Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 2 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Da comunidade para o Municipal


Sara Saar
Do Diário do Grande ABC

13/11/2010 | 07:03


Destinado a crianças, adolescentes e jovens de baixa renda que moram no bairro Cata Preta e no Jardim Santo André, o Grupo de Dança Free Pass viverá amanhã, às 14h30, um marco na trajetória que já soma 12 anos. Pela primeira vez, depois de muitas tentativas, o coletivo andreense subirá ao palco do Teatro Municipal de Santo André.

Cerca de 110 dançarinos exibem a montagem 'O Quebra-Nozes', uma das mais conhecidas obras do balé, que tem como tema a composição clássica homônima do russo Piotr Ilitch Tchaikovsky (1840-1893).

Capaz de agradar crianças e adultos, a história da garota que se apaixona pelo boneco ganha movimento em passos originais e adaptados, tidos em concepção coletiva. "O balé traz a magia do Natal. É este espírito que queremos levar para as famílias", afirma a jornalista e fundadora do Free Pass, Mariana Oliveira, 27 anos, que tem quase 20 de jazz e balé.

Antes da exibição do espetáculo principal, haverá números de balé baby class, jazz, estilo livre e dança de salão. Cerca de 90 dançarinos, de 5 a 55 anos, revezam-se entre as coreografias durante uma hora.

ARTE COM SUOR
São 12 anos de trabalho voluntário. O projeto iniciado em garagem (1998-2001) com seis alunas e transferido para refeitório (2002-2004) com 30 integrantes hoje conta com 130 pessoas, que ensaiam no Cesa Cata Preta desde 2005 – na verdade, uma sala com piso de madeira e parede espelhada, cedida pela Prefeitura. "Olho para trás e percebo o quanto nós crescemos. Mas ainda há muito para desenvolver", analisa Mariana.

Ideias para melhorar existem, mas faltam patrocínios. "O primeiro passo seria contratar professores para aumentar a carga horária – atualmente só oferecemos uma aula por semana de 45 minutos. Além de prática, precisaria de aula teórica com materiais de apoio", explica. A única apresentação no Teatro Municipal deve resultar em vídeo, que servirá como portfólio para a busca de recursos com empresários locais.

Enquanto doações não chegam, Mariana recebe colaborações voluntárias. Quatro alunas de nível avançado também dão aulas gratuitas, aos sábados, das 8h às 17h. Duas costureiras confeccionam os figurinos, sem cobrar pelo serviço.

Para Mariana, "o desejo não é transformar cada um em bailarino profissional, sequer existe estrutura. Mas despertar o amor pela dança". Trata-se de aprendizado que sai da sala e transforma a vida da comunidade. "Eles aprendem que existem regras a cumprir, que precisam respeitar o espaço do outro", exemplifica a coreógrafa.

Ainda estão agendadas duas apresentações do Grupo de Dança Free Pass na cidade: dia 21, às 18h, no Teatro do Aramaçan (Rua São Pedro, 345. Tel.: 4972-8200); e dia 28, no mesmo horário, no Cesa Cata Preta (Estrada da Cata Preta, 810. Tel.: 4453-4233).

O Quebra Nozes – Dança. No Teatro Municipal de Santo André – Praça 4º Centenário, Santo André. Tel.: 4433-0789. Amanhã, às 14h30. Grátis.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Da comunidade para o Municipal

Sara Saar
Do Diário do Grande ABC

13/11/2010 | 07:03


Destinado a crianças, adolescentes e jovens de baixa renda que moram no bairro Cata Preta e no Jardim Santo André, o Grupo de Dança Free Pass viverá amanhã, às 14h30, um marco na trajetória que já soma 12 anos. Pela primeira vez, depois de muitas tentativas, o coletivo andreense subirá ao palco do Teatro Municipal de Santo André.

Cerca de 110 dançarinos exibem a montagem 'O Quebra-Nozes', uma das mais conhecidas obras do balé, que tem como tema a composição clássica homônima do russo Piotr Ilitch Tchaikovsky (1840-1893).

Capaz de agradar crianças e adultos, a história da garota que se apaixona pelo boneco ganha movimento em passos originais e adaptados, tidos em concepção coletiva. "O balé traz a magia do Natal. É este espírito que queremos levar para as famílias", afirma a jornalista e fundadora do Free Pass, Mariana Oliveira, 27 anos, que tem quase 20 de jazz e balé.

Antes da exibição do espetáculo principal, haverá números de balé baby class, jazz, estilo livre e dança de salão. Cerca de 90 dançarinos, de 5 a 55 anos, revezam-se entre as coreografias durante uma hora.

ARTE COM SUOR
São 12 anos de trabalho voluntário. O projeto iniciado em garagem (1998-2001) com seis alunas e transferido para refeitório (2002-2004) com 30 integrantes hoje conta com 130 pessoas, que ensaiam no Cesa Cata Preta desde 2005 – na verdade, uma sala com piso de madeira e parede espelhada, cedida pela Prefeitura. "Olho para trás e percebo o quanto nós crescemos. Mas ainda há muito para desenvolver", analisa Mariana.

Ideias para melhorar existem, mas faltam patrocínios. "O primeiro passo seria contratar professores para aumentar a carga horária – atualmente só oferecemos uma aula por semana de 45 minutos. Além de prática, precisaria de aula teórica com materiais de apoio", explica. A única apresentação no Teatro Municipal deve resultar em vídeo, que servirá como portfólio para a busca de recursos com empresários locais.

Enquanto doações não chegam, Mariana recebe colaborações voluntárias. Quatro alunas de nível avançado também dão aulas gratuitas, aos sábados, das 8h às 17h. Duas costureiras confeccionam os figurinos, sem cobrar pelo serviço.

Para Mariana, "o desejo não é transformar cada um em bailarino profissional, sequer existe estrutura. Mas despertar o amor pela dança". Trata-se de aprendizado que sai da sala e transforma a vida da comunidade. "Eles aprendem que existem regras a cumprir, que precisam respeitar o espaço do outro", exemplifica a coreógrafa.

Ainda estão agendadas duas apresentações do Grupo de Dança Free Pass na cidade: dia 21, às 18h, no Teatro do Aramaçan (Rua São Pedro, 345. Tel.: 4972-8200); e dia 28, no mesmo horário, no Cesa Cata Preta (Estrada da Cata Preta, 810. Tel.: 4453-4233).

O Quebra Nozes – Dança. No Teatro Municipal de Santo André – Praça 4º Centenário, Santo André. Tel.: 4433-0789. Amanhã, às 14h30. Grátis.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;