Fechar
Publicidade

Sábado, 22 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Série aposta na caça aos stalkers

Divulgação  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Dupla de detetives começa busca pelos ‘perseguidores’ no Universal Channel a partir de quinta-feira


Gustavo Cipriano

11/11/2014 | 07:10


Muitos motivos podem levar uma pessoa a perseguir alguém. Amor não correspondido, vingança ou até uma fixação doentia sem qualquer explicação racional. Diversos casos deste tipo aparecem por dia na unidade de avaliação de ameaças do departamento de polícia de Los Angeles. No comando, está a tenente Beth Davis (vivida por Maggie Q., atriz conhecida pelo seriado Nikita), que acaba de receber Jack Larsen (Dylan McDermott) como companheiro, transferido da unidade de homicídios de Nova York.

Este é o cenário inicial da nova série ''''Stalker'''', do Universal Channel. A produção está com 22 episódios confirmados em sua primeira temporada e tem estreia marcada para quinta-feira, às 22h no canal fechado, mesmos dia e horário que será exibida semanalmente na emissora.

A nova série produzida por Hilton Smith, Lauren Wagner e Meredith Zamsky promete e não deixa a desejar a nenhuma outra produção policial que se vê aos montes na TV por causa, principalmente, da riqueza de detalhes das investigações. O policial Larsen, inclusive, lembra muito o já famoso Patrick Jane, de The Mentalist, um detetive que fala muitas coisas que aparentemente parecem sem nexo e busca pistas onde ninguém procuraria, mas que mostra um alto nível de inteligência e é capaz de perceber o que aconteceu na cena do crime em questão de segundos.

Enquanto isso, ao mesmo tempo que os dois detetives precisam se virar para resolver os enigmas psicológicos dos criminosos no meio de investigações repletas de reviravoltas, sofrem também fora do trabalho. Acontecimentos pessoais do passado, presente e provavelmente futuro estão completamente ligados ao tema da série e devem prender a atenção do telespectador na expectativa por suas definições.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Série aposta na caça aos stalkers

Dupla de detetives começa busca pelos ‘perseguidores’ no Universal Channel a partir de quinta-feira

Gustavo Cipriano

11/11/2014 | 07:10


Muitos motivos podem levar uma pessoa a perseguir alguém. Amor não correspondido, vingança ou até uma fixação doentia sem qualquer explicação racional. Diversos casos deste tipo aparecem por dia na unidade de avaliação de ameaças do departamento de polícia de Los Angeles. No comando, está a tenente Beth Davis (vivida por Maggie Q., atriz conhecida pelo seriado Nikita), que acaba de receber Jack Larsen (Dylan McDermott) como companheiro, transferido da unidade de homicídios de Nova York.

Este é o cenário inicial da nova série ''''Stalker'''', do Universal Channel. A produção está com 22 episódios confirmados em sua primeira temporada e tem estreia marcada para quinta-feira, às 22h no canal fechado, mesmos dia e horário que será exibida semanalmente na emissora.

A nova série produzida por Hilton Smith, Lauren Wagner e Meredith Zamsky promete e não deixa a desejar a nenhuma outra produção policial que se vê aos montes na TV por causa, principalmente, da riqueza de detalhes das investigações. O policial Larsen, inclusive, lembra muito o já famoso Patrick Jane, de The Mentalist, um detetive que fala muitas coisas que aparentemente parecem sem nexo e busca pistas onde ninguém procuraria, mas que mostra um alto nível de inteligência e é capaz de perceber o que aconteceu na cena do crime em questão de segundos.

Enquanto isso, ao mesmo tempo que os dois detetives precisam se virar para resolver os enigmas psicológicos dos criminosos no meio de investigações repletas de reviravoltas, sofrem também fora do trabalho. Acontecimentos pessoais do passado, presente e provavelmente futuro estão completamente ligados ao tema da série e devem prender a atenção do telespectador na expectativa por suas definições.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;