Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 3 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Concorrência motiva clínicas de estética a investirem no popular


Luciele Velluto
Do Diário do Grande ABC

30/06/2006 | 08:16


Em um mercado cada vez mais concorrido, as clínicas de estética buscam trazer novidades em serviços para atender o público do Grande ABC. Para os profissionais da área, os tratamentos corporais e faciais já deixaram de ser exclusividade de classes mais altas e ganham espaço no dia-a-dia das pessoas da classe B e C.

A forte concorrência ajudou a diminuir os preços e, hoje, há possibilidade de cada vez mais pessoas cuidarem da autoestima. No região, os preços são menores do que na capital e variam de R$ 25 a R$ 70 uma seção de drenagem linfática, um dos tratamentos corporais mais procurados. “Ficou mais barato porque os produtos também baixaram os preços”, conta a esteticista e professora Patrícia Fernandes, do Fernandes Instituto, de São Caetano.

No início, Patrícia oferecia apenas tratamentos estéticos. Mas para aumentar a clientela e trazer conforto para os mesmos, ela também passou a oferecer um serviço completo, incluindo os salão de beleza. “Fui colocando outros serviços. Fazem tudo aqui, as pessoas não precisam sair correndo para outro lugar para fazer outras coisas, como cabelo e unhas. Hoje, as pessoas tem muita pressa, querem fazer tudo ao mesmo tempo”, diz a profissionais de 18 anos de experiência.

As clínicas passaram também a facilitar o pagamento de pacotes estéticos, assim como negociar para não perder clientes. “A minha filosofia é ter tudo com qualidade e custo acessível. Mesmo que eu possa diminuir o custo, vou facilitar, como pagamento com o cartão de crédito ou parcelamentos em até mais de três vezes. Assim, posso atender até a classe C”, afirma Arlete Cestari, esteticista há 24 anos e dona de uma clínica que leva seu nome em Santo André.

Arlete acredita que o número de casas que prestam serviços relacionados a beleza e saúde do corpo aumentou devido à falta de oportunidade em outras áreas. “Muitas empresas foram embora da região e esse tipo de serviço cresceu muito como uma chance de trabalho. Ao mesmo tempo, as escolas para profissionais de estética também aumentaram, mesmo sem o mercado conseguir absorver todos os formados”, diz.

Início – Com apenas um ano de clínica, a fisioterapeuta Andrea Ortiz, sócia da Naturalis Day Spa, de Santo André, conta que o começo é difícil para conseguir clientes, mas que a cada mês vê seus atendimentos aumentarem. “A busca pelo diferencial foi o que nos ajudou a cativar as pessoas. No começo utilizamos de meios de propaganda na mídia, porém, a melhor propaganda é a indicação, o tradicional boca a boca”, comenta.

Um serviço que Andrea explica que passou a oferecer e que foi muito aceito pelo público é a opção de presentear com um dia de relaxamento, a partir de R$ 80. “A gente vende muito, seja um banho e uma massagem relaxante, ou um tratamento corporal. A pessoa que vai dar o presente leva uma sacolinha com produtos básicos e o número do telefone. Quem recebeu só tem que agendar. É algo que as pessoas não esquecem porque elas saem muito bem daqui, por mais que não tenha o hábito de fazer isso”, conta.

Para as profissionais, esse é um serviço que deve ter cada vez mais adeptos. “Todo dia tem alguém ligando, toda semana tem gente fazendo um tratamento novo. É igual exercícios físicos, tem que ser um hábito. Porque proporciona um bem-estar físico e emocional. As pessoas estão buscando qualidade de vida e isso faz parte”, afirma Patrícia.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Concorrência motiva clínicas de estética a investirem no popular

Luciele Velluto
Do Diário do Grande ABC

30/06/2006 | 08:16


Em um mercado cada vez mais concorrido, as clínicas de estética buscam trazer novidades em serviços para atender o público do Grande ABC. Para os profissionais da área, os tratamentos corporais e faciais já deixaram de ser exclusividade de classes mais altas e ganham espaço no dia-a-dia das pessoas da classe B e C.

A forte concorrência ajudou a diminuir os preços e, hoje, há possibilidade de cada vez mais pessoas cuidarem da autoestima. No região, os preços são menores do que na capital e variam de R$ 25 a R$ 70 uma seção de drenagem linfática, um dos tratamentos corporais mais procurados. “Ficou mais barato porque os produtos também baixaram os preços”, conta a esteticista e professora Patrícia Fernandes, do Fernandes Instituto, de São Caetano.

No início, Patrícia oferecia apenas tratamentos estéticos. Mas para aumentar a clientela e trazer conforto para os mesmos, ela também passou a oferecer um serviço completo, incluindo os salão de beleza. “Fui colocando outros serviços. Fazem tudo aqui, as pessoas não precisam sair correndo para outro lugar para fazer outras coisas, como cabelo e unhas. Hoje, as pessoas tem muita pressa, querem fazer tudo ao mesmo tempo”, diz a profissionais de 18 anos de experiência.

As clínicas passaram também a facilitar o pagamento de pacotes estéticos, assim como negociar para não perder clientes. “A minha filosofia é ter tudo com qualidade e custo acessível. Mesmo que eu possa diminuir o custo, vou facilitar, como pagamento com o cartão de crédito ou parcelamentos em até mais de três vezes. Assim, posso atender até a classe C”, afirma Arlete Cestari, esteticista há 24 anos e dona de uma clínica que leva seu nome em Santo André.

Arlete acredita que o número de casas que prestam serviços relacionados a beleza e saúde do corpo aumentou devido à falta de oportunidade em outras áreas. “Muitas empresas foram embora da região e esse tipo de serviço cresceu muito como uma chance de trabalho. Ao mesmo tempo, as escolas para profissionais de estética também aumentaram, mesmo sem o mercado conseguir absorver todos os formados”, diz.

Início – Com apenas um ano de clínica, a fisioterapeuta Andrea Ortiz, sócia da Naturalis Day Spa, de Santo André, conta que o começo é difícil para conseguir clientes, mas que a cada mês vê seus atendimentos aumentarem. “A busca pelo diferencial foi o que nos ajudou a cativar as pessoas. No começo utilizamos de meios de propaganda na mídia, porém, a melhor propaganda é a indicação, o tradicional boca a boca”, comenta.

Um serviço que Andrea explica que passou a oferecer e que foi muito aceito pelo público é a opção de presentear com um dia de relaxamento, a partir de R$ 80. “A gente vende muito, seja um banho e uma massagem relaxante, ou um tratamento corporal. A pessoa que vai dar o presente leva uma sacolinha com produtos básicos e o número do telefone. Quem recebeu só tem que agendar. É algo que as pessoas não esquecem porque elas saem muito bem daqui, por mais que não tenha o hábito de fazer isso”, conta.

Para as profissionais, esse é um serviço que deve ter cada vez mais adeptos. “Todo dia tem alguém ligando, toda semana tem gente fazendo um tratamento novo. É igual exercícios físicos, tem que ser um hábito. Porque proporciona um bem-estar físico e emocional. As pessoas estão buscando qualidade de vida e isso faz parte”, afirma Patrícia.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;