Fechar
Publicidade

Domingo, 19 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Políticos ‘viram casaca’ e saúdam campeão mundial


Analy Cristofani
e Raphael Ramos
Do Diário do Grande ABC

21/12/2005 | 08:56


Os principais chefes do Executivo no país deixaram suas paixões de lado terça-feira para reverenciar o tricampeonato mundial do Tricolor. O prefeito da Capital, José Serra (palmeirense), o governador Geraldo Alckmin (santista) e  o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (corintiano) prestaram homenagens ao São Paulo.

O ato mais significativo partiu do governador, que anunciou durante evento no Palácio dos Bandeirantes que o Tricolor vai virar nome da estação do Metrô, assim como o rival Corinthians. Será a futura estação da Linha 4, localizada na avenida Francisco Morato, que se chamará São Paulo-Morumbi. “O estádio foi construído em 1952 e talvez seja um dos primeiros prédios daqui. Por isso, é um reconhecimento da região ao clube”, justificou.

O presidente do São Paulo, Marcelo Portugal Gouvêa, ignorou o fato de Alckmin ser santista e agradeceu a iniciativa do governo do Estado. “Está é exclusivamente uma homenagem à nossa torcida”, afirmou.

O governador também entregou ao elenco do São Paulo medalhas de honra ao mérito esportivo e chegou a cantar parte do hino do clube. “Hoje (terça-feira), todos nós queremos cantar unidos ‘Salve o Tricolor paulista‘“.

Já Serra encontrou-se com os campeões do mundo na calçada do prédio da Prefeitura, no Viaduto do Chá, no centro da Capital e acabou sendo provocado pelos são-paulinos. O prefeito esperava pelo trio elétrico e resolveu ir ao encontro dos torcedores. Mas não suportou a marcação cerrada e recuou. Aos gritos de “Ô, ô, ô, Serra é tricolor” e “Tri Mundial, coisa que o Palmeiras não consegue nem a pau”, Serra resolveu voltar para a porta da Prefeitura e esperou ali a delegação.

E não passou de cinco minutos o encontro do prefeito com o capitão Rogério Ceni, do lado de fora da Prefeitura de São Paulo. O jogador foi o único que desceu do trio e levou a taça para que Serra pudesse levantá-la. O prefeito, no rápido encontro, entregou ao goleiro uma placa em homenagem ao clube.

Antes de viajar ao Japão, Rogério Ceni havia pedido ao prefeito que torcesse pelo São Paulo, já que ele, Rogério, tinha votado em Serra na eleição. Terça-feira, o prefeito disse que seguiu os conselhos do jogador e que torceria de qualquer forma para o São Paulo, mesmo sem o pedido do capitão. Serra ainda elogiou o goleiro e afirmou ter sido Rogério o grande nome do Mundial.

“Torci muito para o São Paulo, independentemente do Rogério ter me pedido isso. Só posso dar os parabéns a todos os são-paulinos e dizer quer o Rogério fez diferença. Ele é uma arma poderosa”, definiu o prefeito.

Serra preferiu não pedir a convocação de Rogério Ceni ao técnico da Seleção Brasileira, Carlos Alberto Parreira. Segundo ele, toda vez que falou, não deu certo. “Prefiro não dar palpite nenhum desta vez”.

Quando retornou ao trio elétrico, o goleiro são-paulino fez um agradecimento ao prefeito pelo microfone. O trio ainda permaneceu na porta da Prefeitura por mais alguns minutos, com Rogério Ceni no comando da festa. O prefeito, no entanto, retornou rapidamente para o seu gabinete.

Lula não participou da festa, mas emitiu nota na qual parabenizou o São Paulo “por ter elevado o nome do país ao topo  do mundo”.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Políticos ‘viram casaca’ e saúdam campeão mundial

Analy Cristofani
e Raphael Ramos
Do Diário do Grande ABC

21/12/2005 | 08:56


Os principais chefes do Executivo no país deixaram suas paixões de lado terça-feira para reverenciar o tricampeonato mundial do Tricolor. O prefeito da Capital, José Serra (palmeirense), o governador Geraldo Alckmin (santista) e  o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (corintiano) prestaram homenagens ao São Paulo.

O ato mais significativo partiu do governador, que anunciou durante evento no Palácio dos Bandeirantes que o Tricolor vai virar nome da estação do Metrô, assim como o rival Corinthians. Será a futura estação da Linha 4, localizada na avenida Francisco Morato, que se chamará São Paulo-Morumbi. “O estádio foi construído em 1952 e talvez seja um dos primeiros prédios daqui. Por isso, é um reconhecimento da região ao clube”, justificou.

O presidente do São Paulo, Marcelo Portugal Gouvêa, ignorou o fato de Alckmin ser santista e agradeceu a iniciativa do governo do Estado. “Está é exclusivamente uma homenagem à nossa torcida”, afirmou.

O governador também entregou ao elenco do São Paulo medalhas de honra ao mérito esportivo e chegou a cantar parte do hino do clube. “Hoje (terça-feira), todos nós queremos cantar unidos ‘Salve o Tricolor paulista‘“.

Já Serra encontrou-se com os campeões do mundo na calçada do prédio da Prefeitura, no Viaduto do Chá, no centro da Capital e acabou sendo provocado pelos são-paulinos. O prefeito esperava pelo trio elétrico e resolveu ir ao encontro dos torcedores. Mas não suportou a marcação cerrada e recuou. Aos gritos de “Ô, ô, ô, Serra é tricolor” e “Tri Mundial, coisa que o Palmeiras não consegue nem a pau”, Serra resolveu voltar para a porta da Prefeitura e esperou ali a delegação.

E não passou de cinco minutos o encontro do prefeito com o capitão Rogério Ceni, do lado de fora da Prefeitura de São Paulo. O jogador foi o único que desceu do trio e levou a taça para que Serra pudesse levantá-la. O prefeito, no rápido encontro, entregou ao goleiro uma placa em homenagem ao clube.

Antes de viajar ao Japão, Rogério Ceni havia pedido ao prefeito que torcesse pelo São Paulo, já que ele, Rogério, tinha votado em Serra na eleição. Terça-feira, o prefeito disse que seguiu os conselhos do jogador e que torceria de qualquer forma para o São Paulo, mesmo sem o pedido do capitão. Serra ainda elogiou o goleiro e afirmou ter sido Rogério o grande nome do Mundial.

“Torci muito para o São Paulo, independentemente do Rogério ter me pedido isso. Só posso dar os parabéns a todos os são-paulinos e dizer quer o Rogério fez diferença. Ele é uma arma poderosa”, definiu o prefeito.

Serra preferiu não pedir a convocação de Rogério Ceni ao técnico da Seleção Brasileira, Carlos Alberto Parreira. Segundo ele, toda vez que falou, não deu certo. “Prefiro não dar palpite nenhum desta vez”.

Quando retornou ao trio elétrico, o goleiro são-paulino fez um agradecimento ao prefeito pelo microfone. O trio ainda permaneceu na porta da Prefeitura por mais alguns minutos, com Rogério Ceni no comando da festa. O prefeito, no entanto, retornou rapidamente para o seu gabinete.

Lula não participou da festa, mas emitiu nota na qual parabenizou o São Paulo “por ter elevado o nome do país ao topo  do mundo”.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;