Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 23 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Genoino põe cargo à disposição mais uma vez



06/07/2005 | 00:16


O presidente nacional do PT, José Genoino, pôs nesta terça-feira, mais uma vez, o cargo à disposição do diretório nacional do partido. Genoino, porém, não formalizou nenhum pedido de afastamento, como fizeram os secretários-geral, Sílvio Pereira, e de Finanças e Planejamento, Delúbio Soares. A informação foi dada pela candidata a presidente nacional da legenda Maria do Rosário (Movimento PT), nas eleições de 18 de setembro.

Apesar de não ser membro da executiva nacional, Maria do Rosário participou da reunião desta terça-feira, em São Paulo. Ela disse que o encontro foi muito difícil, mas que acredita que a sigla deverá sair fortalecida para encontrar o caminho. "Precisamos de muita unidade neste momento, e acredito que a executiva será rearticulada", disse. Maria do Rosário confirmou também a abertura de um processo na Comissão de Ética da agremiação para apuração de todas as denúncias envolvendo o nome de Delúbio.

Afastamento – A candidata do Movimento PT a presidente nacional do partido disse que, apesar de o presidente nacional ter posto o cargo à disposição do diretório – destacando que alguns membros poderão pedir o afastamento dele na reunião do próximo sábado –, Genoino deve permanecer na função. "Mesmo que ele (Genoino) tenha errado, sua saída, neste momento, não contribui em nada para o partido. Além disso, precisamos respeitar sua biografia".

A assessoria do PT informou que a resolução do encontro desta terça-feira foi aprovada por nove votos, na maioria do Campo Majoritário. As alas à esquerda do partido tentaram aprovar uma decisão de seis itens, dentre os quais, o que responsabiliza os "maiores meios de comunicação do País e a oposição de direita pela ofensiva contra o PT e o governo Lula". Essa deliberação teve seis votos.

Além desta, o secretário nacional de Movimentos Populares da legenda, Jorge Almeida, tentou apresentar uma resolução, mas obteve apenas o próprio voto. No início da reunião da executiva, Almeida defendeu o afastamento do presidente nacional do PT.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;