Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 23 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

O 'sim' definitivo ao amor

Divulgação  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

‘Vestidas de Noiva’, que fala sobre casamento
homoafetivo, vai ser exibido hoje em São Paulo


Marcela Munhoz

13/11/2015 | 07:00


Brilho no olhar, juramento, aliança, testemunha, família, alegria. Pode colocar tudo isso no mesmo pacote e amarrar com laço feito de amor quando o tema é casamento. O ritual que sela a união de dois apaixonados talvez nunca saia de moda. E mais: faz parte do sonho de muitos. É o caso de Gabriela Torrezani, 24 anos, radialista, que conseguiu tornar realidade seu desejo ao lado da jornalista Fabia Fuzetti, 39, de Santo André. As duas casaram como ‘manda o figurino’. Registraram a união no civil em outubro de 2014 para em janeiro de 2015 colocar branco e dizerem ‘sim’. A experiência foi tão marcante e importante que elas resolveram transformá-la em documentário, aprovado pelo ProAc. Vestidas de Noiva, da Gasolina Filmes, tem sua primeira exibição marcada para hoje, a partir das 20h, no Itaú Cultural, em São Paulo. Em 11 de dezembro, é a vez de Santo André.

"Além de mostrar o processo do casamento, a ideia é ajudar a tornar cada vez mais comum a união dos homossexuais. União garantida por lei”, explica Fabia Fuzetti, que também é uma das diretoras da obra. A jornalista conta que sentiu vontade de fazer o filme depois de perceber que os gays não estavam casando. “Acreditamos que é por causa do medo de se expor, de assumir perante a sociedade a mudança do estado civil. Também tem família que não aceita, então deixa-se o sonho de lado”. Até maio, no aniversário de dois anos da Resolução 175 do CNJ (Conselho Nacional de Justiça) – que impede que os cartórios se recusem a converter uniões estáveis homoafetivas em casamento civil – haviam sido registrados 3.700 casamentos entre pessoas do mesmo sexo no Brasil. “O número é pequeno”, emenda Fuzetti.

“Casamento também é importante no processo legal, para assegurar os bens. Os casais que falaram a favor da união oficial no documentário o entendem como instituição familiar e direito de todos. É forma de assegurar o respeito perante a sociedade. A partir do momento que há um documento não tem como não ser levado a sério”, enfatiza Gabriela Torrezani.

Marcelo Gil, presidente da ONG ABCD’S (Ação Brotar pela Cidadania e Diversidade Sexual), participa do documentário que, segundo ele, é de extrema importância. “O filme desmistifica a união homoafetiva e mostra o quanto é importante os gays se casarem. Digo que se em um casamento heterossexual as testemunhas são as famílias, em um homoafetivo tem de ser todo mundo, quanto mais gente, melhor. É a história sendo escrita e a reafirmação do novo modelo de família em um tempo de tanta intransigência em que temos de lutar, sermos persistentes”, finaliza.

Vestidas de Noiva – Documentário. Hoje, às 20h, no Itaú Cultural (Av. Paulista, 149), em São Paulo. No dia 11/12, às 19h, no Auditório Heleny Guariba, no conjunto do Teatro Municipal de Santo André (Praça 4º Centenário). Grátis.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;