Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 26 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Filmes tristes ou engraçados podem afetar fluxo sangüíneo


Do Diário do Grande ABC

19/01/2009 | 07:04


Um estudo da Universidade de Maryland, nos Estados Unidos, avaliou a reação do fluxo sanguíneo (artéria braquial) de indivíduos submetidos a situações de tristeza e de alegria. Esse grupo pediu para 20 jovens saudáveis assistirem de 15 a 30 minutos de filmes tristes e de comédias com um intervalo de 48 horas entre as sessões.

Quando assistiram comédias como Quem vai ficar com Mary?, o fluxo sanguíneo aumentou em todos os voluntários, com exceção de um. Segundo os pesquisadores, o resultado foi equivalente ao início de um tratamento com uma droga chamada estatina, para reduzir o colesterol.

Filmes como O Resgate do Soldado Ryan, com cenas de guerra, em contraste, obtiveram o efeito oposto, de acordo com o estudo publicado na revista médica Heart.

Para os pesquisadores, o ato de rir tem o efeito de expandir as artérias. O estresse mental, por outro lado, contrai as artérias. O chefe da equipe, Michael Miller, disse que apesar da necessidade de mais pesquisas, os amantes do cinema vão gostar do seu estudo. "A diferença no fluxo do sangue entre as fases de estresse e as de risadas foi superior a 50%", afirmou.

Para o médico, "o impacto de assistir a um filme triste foi da mesma magnitude de relembrar episódios de raiva e fazer contas de cabeça, enquanto que o impacto de assistir a um filme engraçado foi equivalente a uma sessão de exercícios aeróbicos ou do início de um tratamento com estatina". Durante o estudo, os participantes pararam de consumir álcool, tomar vitaminas ou ervas e fazer ginástica na noite antes do experimento, já que todos estes fatores podem afetar a circulação sanguínea.

É claro que não vou mandar meus pacientes pararem de fazer exercícios ou deixarem de lado suas dietas para apenas dar atenção às comédias ou outros programas humorísticos. Mas na receita de uma adequada qualidade de vida, podemos certamente acrescentar mais esse item.

Ontem, quando comemoramos o Dia Internacional do Riso, lembrei de meu pai entoando o poeta e dizendo: "Sorria, sempre sorria! Mais vale um sorriso triste do que a tristeza de não saber sorrir." Saúde a todos!



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Filmes tristes ou engraçados podem afetar fluxo sangüíneo

Do Diário do Grande ABC

19/01/2009 | 07:04


Um estudo da Universidade de Maryland, nos Estados Unidos, avaliou a reação do fluxo sanguíneo (artéria braquial) de indivíduos submetidos a situações de tristeza e de alegria. Esse grupo pediu para 20 jovens saudáveis assistirem de 15 a 30 minutos de filmes tristes e de comédias com um intervalo de 48 horas entre as sessões.

Quando assistiram comédias como Quem vai ficar com Mary?, o fluxo sanguíneo aumentou em todos os voluntários, com exceção de um. Segundo os pesquisadores, o resultado foi equivalente ao início de um tratamento com uma droga chamada estatina, para reduzir o colesterol.

Filmes como O Resgate do Soldado Ryan, com cenas de guerra, em contraste, obtiveram o efeito oposto, de acordo com o estudo publicado na revista médica Heart.

Para os pesquisadores, o ato de rir tem o efeito de expandir as artérias. O estresse mental, por outro lado, contrai as artérias. O chefe da equipe, Michael Miller, disse que apesar da necessidade de mais pesquisas, os amantes do cinema vão gostar do seu estudo. "A diferença no fluxo do sangue entre as fases de estresse e as de risadas foi superior a 50%", afirmou.

Para o médico, "o impacto de assistir a um filme triste foi da mesma magnitude de relembrar episódios de raiva e fazer contas de cabeça, enquanto que o impacto de assistir a um filme engraçado foi equivalente a uma sessão de exercícios aeróbicos ou do início de um tratamento com estatina". Durante o estudo, os participantes pararam de consumir álcool, tomar vitaminas ou ervas e fazer ginástica na noite antes do experimento, já que todos estes fatores podem afetar a circulação sanguínea.

É claro que não vou mandar meus pacientes pararem de fazer exercícios ou deixarem de lado suas dietas para apenas dar atenção às comédias ou outros programas humorísticos. Mas na receita de uma adequada qualidade de vida, podemos certamente acrescentar mais esse item.

Ontem, quando comemoramos o Dia Internacional do Riso, lembrei de meu pai entoando o poeta e dizendo: "Sorria, sempre sorria! Mais vale um sorriso triste do que a tristeza de não saber sorrir." Saúde a todos!

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;