Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 10 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Vítima de paralisia cerebral não recebe remédios


André Vieira
Do Diário do Grande ABC

14/01/2009 | 07:00


Sem condições de custear os 18 remédios de uso contínuo que Fernanda Simões da Silva, 7 anos, necessita, a família da criança ainda espera que a Prefeitura de São Bernardo atenda o pedido feito em novembro pela medicação, não disponível na rede pública.

Normalmente os pais de Fernanda recebem a cada três meses os remédios, e agora o pai da criança teme que não haja o suficiente para o mês.

"Algumas medicações eu só vou ter em estoque até o dia 22", diz o vigilante João Paulo Moreira da Silva, 30, morador do Jardim do Lago. "Com 9 meses, minha filha foi vítima de um erro médico e como sequela teve paralisia cerebral. Ela não anda, não fala e usa aparelhos ortopédicos."

Para poder retirar o coquetel, 45 dias antes de terminarem os remédios, a família precisa apresentar as receitas para a Secretaria de Saúde. O último pedido, para receber a medicação referente ao primeiro trimestre de 2009, foi realizado em 10 de novembro.

"Me disseram só para aguardar e não deram qualquer prazo. Disseram que a medicação pode chegar hoje ou só em 90 dias, mas quem tem necessidades especiais não pode esperar", afirmou aflito o vigilante, que está afastado de suas funções por problemas de saúde. Pelos cálculos de Silva, se tivesse que pagar pelos remédios necessários à filha teria de desembolsar cerca de R$ 6.000.

Procurada pelo Diário, a Prefeitura de São Bernardo não oferece data-limite para atender a família e informa que a nova equipe da secretaria de Saúde tomará as providências para a compra dos medicamentos o mais rápido possível. "Os remédios ainda serão licitados, pois constatou-se que não foi dado andamento ao processo na época da solicitação", respondeu em nota.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Vítima de paralisia cerebral não recebe remédios

André Vieira
Do Diário do Grande ABC

14/01/2009 | 07:00


Sem condições de custear os 18 remédios de uso contínuo que Fernanda Simões da Silva, 7 anos, necessita, a família da criança ainda espera que a Prefeitura de São Bernardo atenda o pedido feito em novembro pela medicação, não disponível na rede pública.

Normalmente os pais de Fernanda recebem a cada três meses os remédios, e agora o pai da criança teme que não haja o suficiente para o mês.

"Algumas medicações eu só vou ter em estoque até o dia 22", diz o vigilante João Paulo Moreira da Silva, 30, morador do Jardim do Lago. "Com 9 meses, minha filha foi vítima de um erro médico e como sequela teve paralisia cerebral. Ela não anda, não fala e usa aparelhos ortopédicos."

Para poder retirar o coquetel, 45 dias antes de terminarem os remédios, a família precisa apresentar as receitas para a Secretaria de Saúde. O último pedido, para receber a medicação referente ao primeiro trimestre de 2009, foi realizado em 10 de novembro.

"Me disseram só para aguardar e não deram qualquer prazo. Disseram que a medicação pode chegar hoje ou só em 90 dias, mas quem tem necessidades especiais não pode esperar", afirmou aflito o vigilante, que está afastado de suas funções por problemas de saúde. Pelos cálculos de Silva, se tivesse que pagar pelos remédios necessários à filha teria de desembolsar cerca de R$ 6.000.

Procurada pelo Diário, a Prefeitura de São Bernardo não oferece data-limite para atender a família e informa que a nova equipe da secretaria de Saúde tomará as providências para a compra dos medicamentos o mais rápido possível. "Os remédios ainda serão licitados, pois constatou-se que não foi dado andamento ao processo na época da solicitação", respondeu em nota.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;