Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 22 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Este Congresso chega ao ano 30

Quatorze edições plenamente realizadas; agora o Grande ABC se prepara para estudar coletivamente pela 15ª vez a História local. Um recorde...


Ademir Medici
Do Diário do Grande ABC

30/05/2019 | 07:00


Administrações públicas passaram, com seus vários vieses políticos, de esquerda, direita, do centro; prefeitos e vereadores que amam ou ignoram coisas da história e memória; houve a época do Gipem, vive-se a época do Consórcio Intermunicipal; pesquisadores se cansaram, saíram, morreram; outros resistiram e resistem; gerações passaram. E entre as coisas boas desta nação chamada Grande ABC, entre tantas, uma delas é o Congresso de História, que agora recebeu o apêndice “...e Estudos Regionais”. Qual outra experiência regional do gênero tem esse histórico?

Não importa. O certo é que a 15ª edição do Congresso de História e de Estudos Regionais do Grande ABC tem data e local: será realizada entre 27 e 30 de maio de 2020 no Teatro Municipal de Santo André – o local não poderia ser mais nobre, agora que o Teatro Municipal vivencia a sua passagem do 47º para o 48º aniversário.

A data e o local do próximo congresso regional de história foram definidos durante reunião realizada terça-feira na sede do Consórcio Intermunicipal Grande ABC, encontro organizado pelo Grupo Temático História e Memória.

“Desde o início da preparação até a sua realização, o evento é uma produção coletiva que envolve todos os interessados na preservação e difusão da memória e do patrimônio da nossa região”, afirmou o sociólogo Jorge Magyar, coordenador do Grupo Temático.

Acrescenta Jorge Magyar: “Pensamos em fazer contato com as instituições de ensino universitário e também com as escolas de ensino fundamental e médio para envolver os jovens. O Congresso será esse grande movimento para a gente discutir, conversar e reconstruir a cada instante a memória do Grande ABC”.

Sendo assim, mãos à obra, gente! Além do que, vocês estarão prestando uma homenagem a um time saudoso de verdadeiros idealistas: os Paschoalinos, Philadelphos, Dudas, Adrianas, Gilis, Giselas, Dirceus, Marianis, Garbelottos, Botaccinis...

HÁ 50 ANOS
Pela terceira vez o Congresso de História será realizado em Santo André. O de 2020 dará início ao terceiro ciclo, alcançando-se as sete cidades.

Nestes 30 anos, muita coisa mudou na região. Santo André, por exemplo, era uma cidade industrial por excelência há meio século, como registrava a Fundação IBGE em monografia feita em 1969. Um belo documento, ilustrado, descoberto pela pesquisadora Maria Claudia Ferreira, do blog “Santo André Ontem e Hoje”.

Em 1969, Santo André produzia fios de nylon, rayon, pneumáticos e câmaras do ar; chapas e tubos de cimento amianto; laminados, folhas, cabos de alumínio, chapas, discos, tubos e rolos, elevadores, fios e cabos elétricos e telefônicos; anéis e amortecedores, caminhões e peças; cloreto polivinila, soda cáustica, acetatos, acetona, ácido acético, tintas, esmaltes, lacas e vernizes; lingerie, camisas e blusas de nylon; carne bonina e suína, e farinha de trigo...

E hoje? O que ocorreu? Fala-se em desindustrialização. Está claro – as indústrias sucumbiram. A Avenida Industrial é hoje uma avenida comercial e de serviços. O que ocorreu com o Grupo Rhodia no Vale do Tamanduateí? Mas, e os detalhes desta desindustrialização? Nem teóricos, nem curiosos, vai além de um discurso padrão. Compete a você, pesquisador da memória, uma análise diferenciada. A desindustrialização, pois, é um belo tema para o Congresso a se realizar daqui a um ano no torrão andreense.

A noite da grande metamorfose

O espelho está iluminado, uma luz que relembra névoa no cemitério de Hiroshima.

Da crônica de Guido Fidelis publicada pelo Diário em 30 de maio de 1989. Confiram a íntegra no Facebook da Memória.

Diário há 30 anos

Terça-feira, 30 de maio de 1989 - ano 32, edição 7078

- Empresas & Empresários – Indústrias de calçados obtêm êxito na região, com duas grandes indústrias em São Caetano: Solados e Ekiju.

- Ponto de Vista (Virgínia Pezzolo) – Afinal, quem manda neste País?

- Cena Política (Joaquim Alessi) – Pode dar um grande bolo na festa preparada pelo PDT de Santo André.

Em 30 de maio de...

1919 – Roberto Simonsen homenageado em Santos, no hotel do Parque Balneário, pela escolha para fazer parte da missão comercial e industrial brasileira que vai em breve visitar a Inglaterra.

Nota – Roberto Simonsen entraria na história de São Caetano pelas mãos da Cerâmica São Caetano, sucessora da antiga Cerâmica Privilegiada.

Internacional

Do noticiário do Correio Paulistano: os aliados exigem da Áustria 10 bilhões de coroas de indenização, no prazo de um ano.

Do noticiário do Estadão: na Rússia, a tomada da cidade de Pskoff pelas tropas da Estônia.

1934 – Ângelo Roselli nasce em Valle Del Ângelo, Província de Salerno, Itália. Veio para o Brasil em 1954. Trabalhou na Pirelli, Cofap, Aços Villares, Volkswagen e Otis, nesta por 22 anos, onde se aposentou em 1993.

Hoje

- Dia do Geólogo

- Dia do Decorador

Santos do Dia

- Fernando III

- Camila Batista Varani

- José Marello

Municípios Brasileiros

Celebram seus aniversários em 30 de maio:

- Em São Paulo, Palestina, São Joaquim da Barra e Valparaíso

- No Rio Grande do Sul, Barracão e Santo Augusto

- No Pará, Conceição do Araguaia

- Em Minas Gerais, Descoberto e São Félix de Minas

- No Acre, Mâncio Lima 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Este Congresso chega ao ano 30

Quatorze edições plenamente realizadas; agora o Grande ABC se prepara para estudar coletivamente pela 15ª vez a História local. Um recorde...

Ademir Medici
Do Diário do Grande ABC

30/05/2019 | 07:00


Administrações públicas passaram, com seus vários vieses políticos, de esquerda, direita, do centro; prefeitos e vereadores que amam ou ignoram coisas da história e memória; houve a época do Gipem, vive-se a época do Consórcio Intermunicipal; pesquisadores se cansaram, saíram, morreram; outros resistiram e resistem; gerações passaram. E entre as coisas boas desta nação chamada Grande ABC, entre tantas, uma delas é o Congresso de História, que agora recebeu o apêndice “...e Estudos Regionais”. Qual outra experiência regional do gênero tem esse histórico?

Não importa. O certo é que a 15ª edição do Congresso de História e de Estudos Regionais do Grande ABC tem data e local: será realizada entre 27 e 30 de maio de 2020 no Teatro Municipal de Santo André – o local não poderia ser mais nobre, agora que o Teatro Municipal vivencia a sua passagem do 47º para o 48º aniversário.

A data e o local do próximo congresso regional de história foram definidos durante reunião realizada terça-feira na sede do Consórcio Intermunicipal Grande ABC, encontro organizado pelo Grupo Temático História e Memória.

“Desde o início da preparação até a sua realização, o evento é uma produção coletiva que envolve todos os interessados na preservação e difusão da memória e do patrimônio da nossa região”, afirmou o sociólogo Jorge Magyar, coordenador do Grupo Temático.

Acrescenta Jorge Magyar: “Pensamos em fazer contato com as instituições de ensino universitário e também com as escolas de ensino fundamental e médio para envolver os jovens. O Congresso será esse grande movimento para a gente discutir, conversar e reconstruir a cada instante a memória do Grande ABC”.

Sendo assim, mãos à obra, gente! Além do que, vocês estarão prestando uma homenagem a um time saudoso de verdadeiros idealistas: os Paschoalinos, Philadelphos, Dudas, Adrianas, Gilis, Giselas, Dirceus, Marianis, Garbelottos, Botaccinis...

HÁ 50 ANOS
Pela terceira vez o Congresso de História será realizado em Santo André. O de 2020 dará início ao terceiro ciclo, alcançando-se as sete cidades.

Nestes 30 anos, muita coisa mudou na região. Santo André, por exemplo, era uma cidade industrial por excelência há meio século, como registrava a Fundação IBGE em monografia feita em 1969. Um belo documento, ilustrado, descoberto pela pesquisadora Maria Claudia Ferreira, do blog “Santo André Ontem e Hoje”.

Em 1969, Santo André produzia fios de nylon, rayon, pneumáticos e câmaras do ar; chapas e tubos de cimento amianto; laminados, folhas, cabos de alumínio, chapas, discos, tubos e rolos, elevadores, fios e cabos elétricos e telefônicos; anéis e amortecedores, caminhões e peças; cloreto polivinila, soda cáustica, acetatos, acetona, ácido acético, tintas, esmaltes, lacas e vernizes; lingerie, camisas e blusas de nylon; carne bonina e suína, e farinha de trigo...

E hoje? O que ocorreu? Fala-se em desindustrialização. Está claro – as indústrias sucumbiram. A Avenida Industrial é hoje uma avenida comercial e de serviços. O que ocorreu com o Grupo Rhodia no Vale do Tamanduateí? Mas, e os detalhes desta desindustrialização? Nem teóricos, nem curiosos, vai além de um discurso padrão. Compete a você, pesquisador da memória, uma análise diferenciada. A desindustrialização, pois, é um belo tema para o Congresso a se realizar daqui a um ano no torrão andreense.

A noite da grande metamorfose

O espelho está iluminado, uma luz que relembra névoa no cemitério de Hiroshima.

Da crônica de Guido Fidelis publicada pelo Diário em 30 de maio de 1989. Confiram a íntegra no Facebook da Memória.

Diário há 30 anos

Terça-feira, 30 de maio de 1989 - ano 32, edição 7078

- Empresas & Empresários – Indústrias de calçados obtêm êxito na região, com duas grandes indústrias em São Caetano: Solados e Ekiju.

- Ponto de Vista (Virgínia Pezzolo) – Afinal, quem manda neste País?

- Cena Política (Joaquim Alessi) – Pode dar um grande bolo na festa preparada pelo PDT de Santo André.

Em 30 de maio de...

1919 – Roberto Simonsen homenageado em Santos, no hotel do Parque Balneário, pela escolha para fazer parte da missão comercial e industrial brasileira que vai em breve visitar a Inglaterra.

Nota – Roberto Simonsen entraria na história de São Caetano pelas mãos da Cerâmica São Caetano, sucessora da antiga Cerâmica Privilegiada.

Internacional

Do noticiário do Correio Paulistano: os aliados exigem da Áustria 10 bilhões de coroas de indenização, no prazo de um ano.

Do noticiário do Estadão: na Rússia, a tomada da cidade de Pskoff pelas tropas da Estônia.

1934 – Ângelo Roselli nasce em Valle Del Ângelo, Província de Salerno, Itália. Veio para o Brasil em 1954. Trabalhou na Pirelli, Cofap, Aços Villares, Volkswagen e Otis, nesta por 22 anos, onde se aposentou em 1993.

Hoje

- Dia do Geólogo

- Dia do Decorador

Santos do Dia

- Fernando III

- Camila Batista Varani

- José Marello

Municípios Brasileiros

Celebram seus aniversários em 30 de maio:

- Em São Paulo, Palestina, São Joaquim da Barra e Valparaíso

- No Rio Grande do Sul, Barracão e Santo Augusto

- No Pará, Conceição do Araguaia

- Em Minas Gerais, Descoberto e São Félix de Minas

- No Acre, Mâncio Lima 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;