Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 26 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Estado admite irregularidades no CDP-Mauá, inaugurado há 7 meses


Gabriel Batista
Do Diário do Grande ABC

17/05/2005 | 08:21


O engenheiro do governo do Estado Rubens Gomes de Carvalho, responsável pela construção do CDP (Centro de Detenção Provisória) de Mauá, disse que a instalação da brigada de incêndio e a necessidade de reparos no gerador de energia barram a realização da vistoria do Corpo de Bombeiros na obra. A prisão foi inaugurada pelo governador Geraldo Alckmin há mais de sete meses, nas vésperas do primeiro turno da eleição municipal, e até hoje não apresenta medidas básicas de segurança. Ainda não passou pela inspeção dos bombeiros para avaliação da estrutura antiincêndio nem tem Habite-se da Prefeitura. Mas já está superlotado. O prédio, com capacidade para 576 pessoas, abriga hoje mais de 900 presos.

"A demora no obtenção do Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros deve-se a essas pendências (instalação da brigada de incêndio e reparos no gerador de energia)", diz o engenheiro Gomes de Carvalho, por meio da assessoria de imprensa do Estado.

Questionado sobre o perigo que essa situação representa a funcionários e presos, o engenheiro do Estado respondeu que "os bombeiros têm conhecimento da estrutura do CDP Vertical que teve o projeto aprovado". O 8º GB (Grupamento de Bombeiros) de Santo André, que fez a análise técnica da planta de engenharia, só aceitou o projeto depois de janeiro, mais de quatro meses após a inauguração. O comandante do 8º GB, tenente-coronel Adilson Alves de Morais, afirma que espera a requisição da direção do CDP para fazer a vistoria.

A prisão também não conta com quadro completo de funcionários. A previsão da Secretaria Estadual de Administração Penitenciária é de que o prédio conte com 165 agentes. A diretora do CDP, Marisa da Costa Gadelha Rodrigues, afirma que 144 trabalham hoje na carceragem, 21 a menos que o necessário. Do total, apenas 117 são agentes penitenciários. O único médico para os mais de 900 presos é voluntário e visita o local uma vez por semana. "O médico pertence ao CDP de Santo André", diz a diretora Marisa.

Segundo o engenheiro Rubens Gomes de Carvalho, os projetos dos CDPs em construção em São Bernardo e Diadema, que podem ser entregues neste ano, estão sendo analisados pelo Corpo de Bombeiros. "Após instalação, será solicitada a vistoria." Ele não respondeu se essas duas unidades também serão inauguradas sem Habite-se e sem alvará.

Interdição – As promotoras substitutas das Execuções Penais de Mauá, Deise Mary Galutti de Paranhos e Laurani Assis de Figueiredo, disseram que não cogitam pedir a interdição do CDP de Mauá. Elas substituem a promotora Adriana Soares, em férias até a primeira semana de junho. "Não temos acompanhado o desenrolar da situação do CDP", declararam as interinas, por meio da assessoria do Ministério Público.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;