Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 6 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Voltando ao jogo


Luís Felipe Soares
Do Diário do Grande ABC

24/09/2010 | 07:07


A escolha do título de Wall Street - O Dinheiro Nunca Dorme, filme que estreia hoje com duas cópias nos cinemas do Grande ABC, não poderia ter sido melhor. As atividades e artimanhas existentes no perigoso mercado financeiro não param, principalmente pelo fato de que, para a maioria dos envolvidos, ‘tempo é dinheiro'. Esse universo sedutor e, ao mesmo tempo, hostil, é retomado pelo diretor Oliver Stone, que faz questão de trazer consigo seu próprio ‘tubarão'.

O diretor norte-americano parte dos acontecimentos de seu Wall Street - Poder e Cobiça (1987), protagonizado pelo especulador Gordon Gekko, papel que rendeu a Michael Douglas o Oscar de Melhor Ator no ano seguinte de seu lançamento - além de tornar o personagem um ícone da ganância. Após ser preso ao final do primeiro filme, Gekko está livre e parece redimido dos erros do passado. Tanto é que promove palestras sobre seu novo livro A Ganância é Boa?, que questiona o antigo e famoso mantra.

Em paralelo, Jake (Shia LaBeouf) tenta convencer a companheira Winnie (Carey Mulligan), filha de Gekko, de que seu pai é um novo homem. Mas o rapaz acaba por se tornar o novo discípulo do grande tubarão do setor financeiro, que começa a apresentar a ele e ao público que a necessidade de voltar ao jogo - com o bônus de uma vingança - é maior do a vontade de mudar sua vida.

Se no primeiro longa Oliver Stone tinha como pano de fundo a crise do final dos anos 1980, o cineasta agora aproveita o recente estouro da bolha financeira de 2008 para retratar como o mercado lidou com os problemas e quais as atitudes tomadas pelos figurões do setor.

Independentemente se Michael Douglas irá concorrer a novo prêmio da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood, o mundo que cerca o personagem tem ingredientes o bastante para uma sequência. O diretor não descarta um novo retorno à Wall Street no futuro. Caso isso ocorra, que ele se não esqueça que o ponto forte de suas histórias tem nome e sobrenome: Gordon Gekko.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;