Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 23 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Vice de Morando se aproxima de Marinho

Rivalidade política entre Marinho e Edinho parece ter terminado com o fim da disputa pelo Paço Municipal


Rita Donato
Do Diário do Grande ABC

31/12/2008 | 07:04


A rivalidade política entre o prefeito eleito de São Bernardo, Luiz Marinho (PT), e o ex-candidato a vice da chapa tucana, Edinho Montemor (PSB), terminou com o fim da disputa pelo Paço. O socialista admite manter encontros freqüentes com o petista e é acusado pelo próprio grupo como espécie de "porta- voz" do rival, responsável por aliciar vereadores eleitos para fazer oposição a Marinho a compor a base de sustentação do governo a partir de 2009.

Os novos aliados afirmam que o assunto discutido na constantes reuniões é "o futuro do time São Bernardo", dirigido por Edinho. "Ele vem dialogando sobre o time e é de interesse da cidade que cresça, portanto, vamos ajudar", garante o próximo chefe do Executivo.

Ex-braço direito de Orlando Morando (PSDB), Edinho confirma que a proximidade tem como "único objetivo" garantir que o time possa utilizar os campos do município sem pagar taxas à Prefeitura. "Nossa relação é amistosa e cordial, temos conversado sobre futebol. Preciso garantir o apoio do prefeito porque usamos a estrutura do município. Ele demonstrou interesse e comentou os projetos para o esporte."

Para os socialistas, a aproximação de Edinho com Marinho vai além do interesse de utilizar os espaços públicos sem onerar os cofres do time. "Tudo leva a crer que ele manobra para manter sua mulher no cargo de coordenadora de área", acusa um colega de partido que pediu para ter o nome preservado.

Edinho nega a especulação e troca farpas com os próprios aliados. "Terminou a eleição e tenho uma responsabilidade muito grande com o time. Essa aproximação (com Marinho) gera inveja, ciúme e intriga. O grupo não tem confiança nele próprio. Sempre dei demonstração de lealdade e desprendimento, mas acabou. O que eles querem de mim agora?"

Edinho, que já foi secretário de Esportes na gestão de William Dib (PSB), assegura não ter intenção em pleitear a Pasta - ainda sem comandante -, mas dá claros indícios de uma possível aliança com o governo petista. "Não existe descarte em política. Já fui governo quando era deputado (federal) e era da base do presidente Lula. Nada impede de conversarmos porque temos um objetivo em comum: queremos o bem de São Bernardo."

O futuro prefeito também não descarta a aliança com o ex-adversário. "Conversamos com todos os partidos: PSDB, PSB, DEM, PMDB. Sou prefeito eleito de todos. Na vida política tudo é possível."



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Vice de Morando se aproxima de Marinho

Rivalidade política entre Marinho e Edinho parece ter terminado com o fim da disputa pelo Paço Municipal

Rita Donato
Do Diário do Grande ABC

31/12/2008 | 07:04


A rivalidade política entre o prefeito eleito de São Bernardo, Luiz Marinho (PT), e o ex-candidato a vice da chapa tucana, Edinho Montemor (PSB), terminou com o fim da disputa pelo Paço. O socialista admite manter encontros freqüentes com o petista e é acusado pelo próprio grupo como espécie de "porta- voz" do rival, responsável por aliciar vereadores eleitos para fazer oposição a Marinho a compor a base de sustentação do governo a partir de 2009.

Os novos aliados afirmam que o assunto discutido na constantes reuniões é "o futuro do time São Bernardo", dirigido por Edinho. "Ele vem dialogando sobre o time e é de interesse da cidade que cresça, portanto, vamos ajudar", garante o próximo chefe do Executivo.

Ex-braço direito de Orlando Morando (PSDB), Edinho confirma que a proximidade tem como "único objetivo" garantir que o time possa utilizar os campos do município sem pagar taxas à Prefeitura. "Nossa relação é amistosa e cordial, temos conversado sobre futebol. Preciso garantir o apoio do prefeito porque usamos a estrutura do município. Ele demonstrou interesse e comentou os projetos para o esporte."

Para os socialistas, a aproximação de Edinho com Marinho vai além do interesse de utilizar os espaços públicos sem onerar os cofres do time. "Tudo leva a crer que ele manobra para manter sua mulher no cargo de coordenadora de área", acusa um colega de partido que pediu para ter o nome preservado.

Edinho nega a especulação e troca farpas com os próprios aliados. "Terminou a eleição e tenho uma responsabilidade muito grande com o time. Essa aproximação (com Marinho) gera inveja, ciúme e intriga. O grupo não tem confiança nele próprio. Sempre dei demonstração de lealdade e desprendimento, mas acabou. O que eles querem de mim agora?"

Edinho, que já foi secretário de Esportes na gestão de William Dib (PSB), assegura não ter intenção em pleitear a Pasta - ainda sem comandante -, mas dá claros indícios de uma possível aliança com o governo petista. "Não existe descarte em política. Já fui governo quando era deputado (federal) e era da base do presidente Lula. Nada impede de conversarmos porque temos um objetivo em comum: queremos o bem de São Bernardo."

O futuro prefeito também não descarta a aliança com o ex-adversário. "Conversamos com todos os partidos: PSDB, PSB, DEM, PMDB. Sou prefeito eleito de todos. Na vida política tudo é possível."

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;