Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 28 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Outra empresa investigada
vence licitação de Marinho

Orlando Filho/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Suspeita de cartel em concorrência federal, Giro
triunfa em pregão para fornecer mochilas na cidade


Raphael Rocha
Do Diário do Grande ABC

14/01/2014 | 07:12


Após oficializar a contratação da Capricórnio S/A para fornecimento de material escolar a alunos dos ensinos Infantil e Fundamental, mesmo investigada por fraude pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), a Prefeitura de São Bernardo, chefiada por Luiz Marinho (PT), declarou como vencedora de licitação para compra de mochilas escolares outra empresa sob suspeita de formação de cartel.

A Giro Indústria e Comércio Ltda, com sede no Paraná, apresentou menor proposta no lote um para abastecimento do produto à rede pública, com valor de R$ 4,5 milhões por 12 meses. Ela é protagonista de ação da Justiça Federal, que paralisou licitação do governo de Dilma Rousseff em novembro de 2011 para apurar conluio no pregão para adquirir 1 milhão de kits com trocador de fraldas e bolsa para carregar utensílios de bebês para atender ao projeto Rede Cegonha.

No edital da União, a Giro é suspeita de combinar preços com a Cequipel Indústria de Móveis Paraná Ltda. Apesar de ser especializada em fabricação e venda de móveis, a Cequipel apresentou atestado assinado por representante da Giro de que também trabalhava no ramo de bolsas e mochilas escolares.

Ambas concorriam na mesma licitação, o que gerou dúvidas da Justiça Federal. Além desse fato, o documento foi rubricado pela Giro no mesmo dia em que o edital do certame foi lançado, já que havia exigência de comprovação de fornecimento anterior de material semelhante ao licitado.

A licitação em São Bernardo está em fase de recursos das concorrentes, prazo que se encerra nesta semana. Se receber aval do governo Marinho, ficará responsável por fornecer mochilas e pastas a 95 mil alunos da rede, segundo estimativa da administração petista. Além dessa empresa, a BNP Comercial Ltda terá de atender à demanda, pois venceu o segundo lote, avaliado em R$ 608,9 mil.

Por nota, a gestão Marinho apenas informou que o contrato ainda não foi assinado com a Giro Indústria e Comércio Ltda. Não respondeu, por exemplo, se a terceirizada disponibilizou documentação atestando estar apta a concorrer ao edital. Procurada, a Giro não retornou aos contatos da equipe do Diário.
 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Outra empresa investigada
vence licitação de Marinho

Suspeita de cartel em concorrência federal, Giro
triunfa em pregão para fornecer mochilas na cidade

Raphael Rocha
Do Diário do Grande ABC

14/01/2014 | 07:12


Após oficializar a contratação da Capricórnio S/A para fornecimento de material escolar a alunos dos ensinos Infantil e Fundamental, mesmo investigada por fraude pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), a Prefeitura de São Bernardo, chefiada por Luiz Marinho (PT), declarou como vencedora de licitação para compra de mochilas escolares outra empresa sob suspeita de formação de cartel.

A Giro Indústria e Comércio Ltda, com sede no Paraná, apresentou menor proposta no lote um para abastecimento do produto à rede pública, com valor de R$ 4,5 milhões por 12 meses. Ela é protagonista de ação da Justiça Federal, que paralisou licitação do governo de Dilma Rousseff em novembro de 2011 para apurar conluio no pregão para adquirir 1 milhão de kits com trocador de fraldas e bolsa para carregar utensílios de bebês para atender ao projeto Rede Cegonha.

No edital da União, a Giro é suspeita de combinar preços com a Cequipel Indústria de Móveis Paraná Ltda. Apesar de ser especializada em fabricação e venda de móveis, a Cequipel apresentou atestado assinado por representante da Giro de que também trabalhava no ramo de bolsas e mochilas escolares.

Ambas concorriam na mesma licitação, o que gerou dúvidas da Justiça Federal. Além desse fato, o documento foi rubricado pela Giro no mesmo dia em que o edital do certame foi lançado, já que havia exigência de comprovação de fornecimento anterior de material semelhante ao licitado.

A licitação em São Bernardo está em fase de recursos das concorrentes, prazo que se encerra nesta semana. Se receber aval do governo Marinho, ficará responsável por fornecer mochilas e pastas a 95 mil alunos da rede, segundo estimativa da administração petista. Além dessa empresa, a BNP Comercial Ltda terá de atender à demanda, pois venceu o segundo lote, avaliado em R$ 608,9 mil.

Por nota, a gestão Marinho apenas informou que o contrato ainda não foi assinado com a Giro Indústria e Comércio Ltda. Não respondeu, por exemplo, se a terceirizada disponibilizou documentação atestando estar apta a concorrer ao edital. Procurada, a Giro não retornou aos contatos da equipe do Diário.
 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;