Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 24 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Média móvel de óbitos no País
fica abaixo 1.000 pelo 3º dia

Nario Barbosa / DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Dados são de painel mantido pela Fiocruz; Grande ABC chega à marca de 9.700 óbitos


Bia Moço
Do Diário do Grande ABC
Com agências

04/08/2021 | 00:01


Depois de seis meses seguidos com média diária de mais de 1.000 vítimas fatais da Covid, o Brasil registrou ontem o terceiro dia consecutivo com média móvel de sete dias abaixo deste patamar, segundo o painel de dados Monitora Covid-19, mantido pela Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz).

Em queda desde a segunda quinzena de junho, a média móvel de mortes chegou a menos de 1.000 (988) em 31 de julho e manteve esse patamar nos dias 1° (987) e 2 de agosto (960). Essas foram as primeiras vezes que a média ficou abaixo de 1.000 desde 23 de janeiro deste ano, quando atingiu 1.021 vítimas. Daquela data até o fim de julho, o Brasil viveu o período mais letal da pandemia, com picos em que a média móvel superou 3.000 mortes diárias.

Apesar da queda dos últimos dias, o patamar da média móvel de mortes ainda supera o da maior parte do ano passado. Enquanto em 2021 houve mais de seis meses seguidos com mais de 1.000 vítimas diárias, em 2020 o indicador ficou acima desse nível apenas entre 4 e 10 de junho; entre 19 e 29 de junho; entre 3 de julho e 7 de agosto; e nos dias 10, 11 e 22 de agosto.

Entre setembro e novembro de 2020, a média móvel de mortes por Covid no Brasil recuou, chegando a 323 mortes diárias em 11 de novembro. A partir daí, houve nova tendência de alta, fechando o ano com 706 mortes diárias em 31 de dezembro. Fatores como o relaxamento das medidas de isolamento, as festas de fim de ano e a disseminação da variante gama (P.1) fizeram com que a média móvel de mortes continuasse a aumentar em janeiro até igualar e superar os piores momentos da pandemia em 2020.

A situação continuou a piorar em fevereiro e março e o Brasil registrou mais de 2.000 mortes diárias na média móvel de forma ininterrupta entre 17 de março e 10 de maio. Enquanto a maior média móvel de vítimas registrada em 2020 foi de 1.096 mortes diárias, em 25 de julho, o indicador chegou a 3.123 mortes em 12 de abril de 2021.

A média de mortes caiu ao longo de maio de 2021, mas ainda se manteve acima de 1.500 vítimas por dia. Entre 6 e 19 de junho, houve nova alta, e a média voltou a superar as 2.000 mortes. Desde então, a tendência é de queda.

NA REGIÃO
O Grande ABC chegou ontem à marca de 9.700 óbitos por Covid. No entanto, nas últimas 24 horas quatro das sete cidades registraram 15 mortes – Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra fecharam o dia sem nenhuma vida perdida para a Covid.

Já nos novos casos, somente Rio Grande da Serra não registrou nenhum teste positivo ontem. Já as demais cidades somaram 419 pessoas doentes. No total, desde o início da pandemia já são 238.261 pessoas infectadas pelo coronavírus.

A cidade com o maior número de casos novos foi Santo André, com 136 infectados e cinco mortes. São Bernardo teve 122 novas pessoas contaminadas e também contabilizou cinco óbitos; São Caetano registrou 15 moradores com Covid e duas vidas perdidas; Diadema somou mais 35 casos positvos e três mortes; Mauá teve novos 106 casos confirmados; e Ribeirão Pires, cinco.

ESTADO
O Estado registrou ontem 4.073.622 casos de Covid durante toda a pandemia e 139.464 óbitos. Entre o total, 3.761.948 tiveram a doença e já estão recuperados, sendo que 427.936 foram internados e receberam alta hospitalar. Há 10.003 pacientes internados em todo o território, sendo 5.226 em UTIs (Unidades de Terapia Intensiva) e 4.777 em enfermaria.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;