Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 10 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

FMI estuda linha de crédito regional



30/06/2010 | 07:06


O FMI (Fundo Monetário Internacional) está desenvolvendo nova linha "preventiva" de crédito que pode ser aplicada a regiões e também impõe menos condições para a liberação dos recursos do que as linhas atuais, afirmou o diretor-gerente da organização, Dominique Strauss-Kahn, durante evento no Instituto Peterson para a Economia Internacional.

Segundo Strauss-Kahn, a abordagem regional ajudaria a evitar o estigma relacionado aos empréstimos do FMI e as reações do mercado que podem elevar o custo dos financiamentos aos países. Segundo ele, a nova linha de crédito pode ser desenvolvida por completo até a próxima reunião de cúpula do G-20, em novembro.

Strauss-Kahn afirmou ainda que o fundo deveria possuir acesso mais amplo aos fluxos de capital dos países e que a entidade internacional também completará a reforma das cotas - que determinam qual será a contribuição e o poder de voto de cada integrante na instituição - até a próxima reunião de cúpula do G-20.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

FMI estuda linha de crédito regional


30/06/2010 | 07:06


O FMI (Fundo Monetário Internacional) está desenvolvendo nova linha "preventiva" de crédito que pode ser aplicada a regiões e também impõe menos condições para a liberação dos recursos do que as linhas atuais, afirmou o diretor-gerente da organização, Dominique Strauss-Kahn, durante evento no Instituto Peterson para a Economia Internacional.

Segundo Strauss-Kahn, a abordagem regional ajudaria a evitar o estigma relacionado aos empréstimos do FMI e as reações do mercado que podem elevar o custo dos financiamentos aos países. Segundo ele, a nova linha de crédito pode ser desenvolvida por completo até a próxima reunião de cúpula do G-20, em novembro.

Strauss-Kahn afirmou ainda que o fundo deveria possuir acesso mais amplo aos fluxos de capital dos países e que a entidade internacional também completará a reforma das cotas - que determinam qual será a contribuição e o poder de voto de cada integrante na instituição - até a próxima reunião de cúpula do G-20.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;