Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 28 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Padrasto sequestra e envenena menina de 13 anos


Rafael Ribeiro
Do Diário do Grande ABC

19/04/2013 | 07:00


O reciclador Alexsandro Ornelas Cardoso, 34 anos, foi preso em flagrante pela Polícia Militar de São Bernardo no Pronto-Socorro Central da cidade após sequestrar sua enteada, de 13, em Jandira, na Grande São Paulo, e envenená-la com chumbinho.

A menina foi sequestrada na terça-feira. Ela passava alguns dias na casa da irmã quando, pela manhã, Cardoso foi ao local armado com facão e a levou.

A Polícia Civil de Barueri, onde o caso foi registrado, rastreou seus passos até a noite de quarta-feira, descobrindo que ele andou com a menina pela Zona Sul da Capital e também por Diadema.

Na madrugada de ontem, teria oferecido café envenenado com chumbinho, dizendo que era para manter a menina acordada. Ao perceber que foi colocado algo na bebida, a jovem fingiu engolir um pouco do líquido e cuspiu. Cardoso acionou o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) para a menina e bebeu o restante na sequência, sendo ajudado por um popular que passava pelo local.

Em nota, a Prefeitura informou que ambos estão fora de risco. A menina manteve a consciência, enquanto o reciclador chegou desacordado. Ele será levado à delegacia para ser autuado tão logo receba alta médica, o que deve acontecer hoje.

As causas que levaram Cardoso a sequestrar a menina ainda são incertas para os familiares da vítima. O reciclador tinha relacionamento de cinco meses com a mãe da criança e estaria fazendo ameaças após ela sinalizar com o fim do namoro.

Os parentes dizem que ele era muito apegado à menina. Como a mãe trabalhava fora, era Cardoso quem tomava conta dela e a levava a todos os lugares que ia.

Recentemente, no entanto, ela pediu para ir morar com a irmã. "Ela é muito reprimida e chora muito quando perguntamos. Não conseguimos descobrir o que houve", disse Weverton Ribeiro, 21, cunhado da vítima.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Padrasto sequestra e envenena menina de 13 anos

Rafael Ribeiro
Do Diário do Grande ABC

19/04/2013 | 07:00


O reciclador Alexsandro Ornelas Cardoso, 34 anos, foi preso em flagrante pela Polícia Militar de São Bernardo no Pronto-Socorro Central da cidade após sequestrar sua enteada, de 13, em Jandira, na Grande São Paulo, e envenená-la com chumbinho.

A menina foi sequestrada na terça-feira. Ela passava alguns dias na casa da irmã quando, pela manhã, Cardoso foi ao local armado com facão e a levou.

A Polícia Civil de Barueri, onde o caso foi registrado, rastreou seus passos até a noite de quarta-feira, descobrindo que ele andou com a menina pela Zona Sul da Capital e também por Diadema.

Na madrugada de ontem, teria oferecido café envenenado com chumbinho, dizendo que era para manter a menina acordada. Ao perceber que foi colocado algo na bebida, a jovem fingiu engolir um pouco do líquido e cuspiu. Cardoso acionou o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) para a menina e bebeu o restante na sequência, sendo ajudado por um popular que passava pelo local.

Em nota, a Prefeitura informou que ambos estão fora de risco. A menina manteve a consciência, enquanto o reciclador chegou desacordado. Ele será levado à delegacia para ser autuado tão logo receba alta médica, o que deve acontecer hoje.

As causas que levaram Cardoso a sequestrar a menina ainda são incertas para os familiares da vítima. O reciclador tinha relacionamento de cinco meses com a mãe da criança e estaria fazendo ameaças após ela sinalizar com o fim do namoro.

Os parentes dizem que ele era muito apegado à menina. Como a mãe trabalhava fora, era Cardoso quem tomava conta dela e a levava a todos os lugares que ia.

Recentemente, no entanto, ela pediu para ir morar com a irmã. "Ela é muito reprimida e chora muito quando perguntamos. Não conseguimos descobrir o que houve", disse Weverton Ribeiro, 21, cunhado da vítima.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;