Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 7 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Bancos somam R$ 10 mi em multas

As multas foram aplicadas aos bancos por não cumprirem normas de segurança nas agências espalhadas pelo País


Luciele Velluto
Do Diário do Grande ABC

06/09/2008 | 07:06


A Contraf (Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro), entidade filiada à CUT (Central Única dos Trabalhadores) divulgou na sexta-feira um balanço que mostra que os bancos já foram multados em R$ 10 milhões este ano por não cumprirem as normas de segurança nas agências em todo o País.

Entre as regras fiscalizadas pela Polícia Federal sob o comando do Ministério da Justiça está a exigência de dois vigilantes por unidade bancária, sistema eletrônico de segurança e cumprimento do plano de segurança exigido pelos órgãos. As multas são aplicadas pela CCASP (Comissão Consultiva para Assuntos da Segurança Privada da Polícia Federal), e podem ser contestadas pelas empresas.

Para o secretário-geral da Contraf, Carlos Cordeiro, os processos em andamento no CCASP são muitos e até o final do ano devem chegar a 1.000. "Isso porque a lei ainda é muito branda para os bancos, pois a polícia não tem uma fiscalização tão rígida a ponto de fechar uma agência se não houver segurança", disse.

O dirigente sindical considera as normas que regulam a segurança bancária antiga e essas estão em estudo para serem atualizadas. "Uma de nossas reivindicações é a porta-giratória com detector de metais para acessar os bancos, incluindo também os caixa de auto-atendimento. Isso traria mais segurança tanto para o funcionários quanto para o clientes", contou Cordeiro.

Um dos casos citados pelos bancários é a greve dos vigilantes que ocorreu neste ano. Segundo o sindicalista, algumas empresas exigiram que os bancários abrissem o banco sem os profissionais de segurança. No entanto, seguindo uma portaria para fiscalização da Polícia Federal, os bancos não foram fechados e nem receberam multa porque normalizaram a situação em 15 dias.

A Febraban (Federação Brasileira dos Bancos) rebate as acusações de falta de segurança e afirma que 75% das multas foram concedidas por questões burocráticas. Em nota, a federação afirma que "aproximadamente 60% das multas foi aplicada a uma única instituição, estatal, que teve problemas de contratação de empresa de vigilância" por causa da legislação que exige licitação para os prestadores de serviço.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Bancos somam R$ 10 mi em multas

As multas foram aplicadas aos bancos por não cumprirem normas de segurança nas agências espalhadas pelo País

Luciele Velluto
Do Diário do Grande ABC

06/09/2008 | 07:06


A Contraf (Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro), entidade filiada à CUT (Central Única dos Trabalhadores) divulgou na sexta-feira um balanço que mostra que os bancos já foram multados em R$ 10 milhões este ano por não cumprirem as normas de segurança nas agências em todo o País.

Entre as regras fiscalizadas pela Polícia Federal sob o comando do Ministério da Justiça está a exigência de dois vigilantes por unidade bancária, sistema eletrônico de segurança e cumprimento do plano de segurança exigido pelos órgãos. As multas são aplicadas pela CCASP (Comissão Consultiva para Assuntos da Segurança Privada da Polícia Federal), e podem ser contestadas pelas empresas.

Para o secretário-geral da Contraf, Carlos Cordeiro, os processos em andamento no CCASP são muitos e até o final do ano devem chegar a 1.000. "Isso porque a lei ainda é muito branda para os bancos, pois a polícia não tem uma fiscalização tão rígida a ponto de fechar uma agência se não houver segurança", disse.

O dirigente sindical considera as normas que regulam a segurança bancária antiga e essas estão em estudo para serem atualizadas. "Uma de nossas reivindicações é a porta-giratória com detector de metais para acessar os bancos, incluindo também os caixa de auto-atendimento. Isso traria mais segurança tanto para o funcionários quanto para o clientes", contou Cordeiro.

Um dos casos citados pelos bancários é a greve dos vigilantes que ocorreu neste ano. Segundo o sindicalista, algumas empresas exigiram que os bancários abrissem o banco sem os profissionais de segurança. No entanto, seguindo uma portaria para fiscalização da Polícia Federal, os bancos não foram fechados e nem receberam multa porque normalizaram a situação em 15 dias.

A Febraban (Federação Brasileira dos Bancos) rebate as acusações de falta de segurança e afirma que 75% das multas foram concedidas por questões burocráticas. Em nota, a federação afirma que "aproximadamente 60% das multas foi aplicada a uma única instituição, estatal, que teve problemas de contratação de empresa de vigilância" por causa da legislação que exige licitação para os prestadores de serviço.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;