Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 18 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

O coração, entre o barato e o caro

Uma das últimas novidades da cardiologia em caso de estenose da valva aórtica no idoso: em vez de cirurgia, usa-se o cateterismo


Dgabc

19/04/2013 | 00:00


Artigo

Uma das últimas novidades da cardiologia em caso de estenose da valva aórtica no idoso: em vez de cirurgia, usa-se o cateterismo para trocar a válvula obstruída por prótese de longa duração. É muito caro.

Outra novidade: um tipo revolucionário de stent, mola usada para desobstruir artérias do coração. É produzido com ácido polilático, material absorvido pelo organismo. Um avanço em relação aos disponíveis no mercado, de aço inoxidável. Em vez de permanecer no corpo para sempre, desaparece em até dois anos. Depois, o vaso sanguíneo volta ao funcionamento normal. Também é muito caro.

O mercado oferece também o coração mecânico. Troca-se o órgão doente por pequena máquina que faz circular o sangue. É muito caro.

E estão também disponíveis as cirurgias por computadores. Mãos mecânicas deslizam pelo corpo humano até seu objetivo sem nenhum prejuízo de outras partes. Custa caro.

A indústria farmacêutica investe em pesquisas e obtém drogas cada vez mais poderosas. Mas precisa recuperar o investimento e, por isso, os remédios custam caro.

E de tecnologia em tecnologia, de caro em caro, chegamos ao grande desafio dos médicos nos dias de hoje: como fazer chegar ao paciente tantos recursos num País carente como o nosso? Apesar dos recursos para ampliar a longevidade, temos de nos limitar aos já ultrapassados. Todos os produtos da medicina estão na vitrine, é possível alimentar por eles o desejo de consumo, mas fica nisso. Poucos brasileiros podem investir nas novidades. Quanto a remédios, a maioria se limita aos da farmácia popular.

É preciso reflexão sobre tecnologia em constante evolução e cada vez mais inacessível ao nosso povo. A Associação Médica Brasileira informa que, dos quase 200 milhões de brasileiros, cerca de 150 milhões dependem do sistema público de Saúde. Só na cidade de São Paulo havia, até o último dia do ano passado, 800.224 registros na fila por atendimento na rede municipal de Saúde, com oito meses de espera. Pior: a maioria dos planos de saúde não paga cirurgias mais complexas. Mas não vamos desfilar queixas ou unir num mesmo samba-enredo o luxo e a miséria da medicina. Estamos na antessala brasileira para curar nossos doentes, com o caro, o barato e os planos ausentes na hora em que o paciente necessita. Donde se conclui que, no Brasil, o médico precisa também navegar com um pé em cada canoa.

Américo Tângari Junior é cardiologista.

Palavra do leitor

Código Penal
Existem alguns setores da sociedade pedindo para que adolescentes de 16 anos respondam por seus crimes. Só não podemos esquecer que, em nosso País, só vai para a cadeia quem não tem dinheiro. E esses de 16, quando entrarem lá, serão usados e abusados, inclusive sexualmente, e quando saírem farão maior o número de vítimas. Tudo, absolutamente tudo, está na falta de investimento na Educação. Pois nossos professores são vitimados todos os dias, por essa delinquência e principalmente pelo abandono do Estado. E, como não bastasse, temos Constituição que mais parece colcha de retalhos. E tudo isso só acabará no dia em que deixarmos de ser vítimas das urnas para nos tornarmos eleitores esclarecidos. Para reflexão: o filho do bilionário Eike Batista, Thor Batista, tem 20 anos e matou um ciclista. Ele está preso ou solto?
Cecél Garcia
Santo André

Cesta básica
O aumento dos preços da cesta básica voltou a corroer o poder de compra das pessoas que ganham o salário-mínimo, invertendo tendência que marcou quase todo o período do governo Lula e o início da gestão Dilma. Nos 12 meses encerrados em março, o valor da cesta básica nas principais capitais teve a maior alta dos últimos dez anos. Em São Paulo, subiu 23,1%, segundo o Dieese. Será que é necessário dizer mais alguma coisa sobre o que o PT está fazendo no nosso País. Fico a me perguntar por que não faz tudo isso em favor dos menos privilegiados? Será que desses só quer mesmo o voto? Fico muito indignada!
Rosângela Caris
Mauá

Políticos
A maioria de nossos políticos, principalmente os de Brasília, deve mudar o procedimento. Devem agir e pensar coletivamente, não somente em benefício próprio. Para eliminar grande parte da brutal criminalidade é preciso não só alterar as leis, mas reformular totalmente as estruturas. Iniciar com boa escolaridade, exigir dos professores, depois de serem bem pagos, disciplinar com mais rigor os alunos. Acredito que com esse tipo de disciplina e de respeito, possivelmente imediatamente diminuiria a criminalidade. O criminoso deve ocupar na prisão seu tempo trabalhando, produzindo. Para que possa se recuperar deverá se profissionalizar, devemos dar-lhe meios de trabalho, convidando os grandes empresários, dando-lhes isenção de impostos e outras facilidades. Será que é tão difícil chegar a um estudo profundo para a possível solução. O presidiário, quando concluir a condenação sem essa esdrúxula progressão da pena, sairá profissional recuperado, conseguindo com facilidade emprego.
Luiz Alesina
Mauá

Destaque
Joaquim Barbosa, presidente do Supremo Tribunal Federal, ganhou destaque na revista Time e figura entre as 100 pessoas mais influentes do mundo. Homenagem e reconhecimento mais do que merecidos. Aqui no Brasil, alguns desafetos tentam desqualificar o menino pobre que mudou o Brasil e deu alento à população sedenta de justiça quando encarou a difícil tarefa de condenar os mensaleiros amigos do presidente que o indicou ao Supremo. Barbosa mostrou que agiu com independência ao presidir o maior julgamento político contra a corrupção no País. Que a revista possa na sua próxima edição aumentar o número de brasileiros que dignamente honram o nome do Brasil.
Izabel Avallone
Capital

Resposta
Em resposta à carta do munícipe Guilherme Jesus Ster (Lamentável, dia 14), a Prefeitura de São Bernardo informa que não foram encontrados registros nos prontuários de atendimento das últimas semanas da UPA Rudge Ramos em nome de Guilherme Jesus Ster, impossibilitando que a gerência da unidade investigue a queixa do munícipe. Entretanto, as UPAs (Unidades de Pronto Atendimento 24 horas) valorizam a participação e o controle social e visam à melhoria contínua do cuidado oferecido aos seus usuários. A rede municipal de Saúde trabalha constantemente para ofertar cuidado humanizado e centrado nas necessidades de saúde dos usuários, oferecendo, por plantão, dois médicos clínicos gerais e dois pediatras.
Prefeitura de São Bernardo



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

O coração, entre o barato e o caro

Uma das últimas novidades da cardiologia em caso de estenose da valva aórtica no idoso: em vez de cirurgia, usa-se o cateterismo

Dgabc

19/04/2013 | 00:00


Artigo

Uma das últimas novidades da cardiologia em caso de estenose da valva aórtica no idoso: em vez de cirurgia, usa-se o cateterismo para trocar a válvula obstruída por prótese de longa duração. É muito caro.

Outra novidade: um tipo revolucionário de stent, mola usada para desobstruir artérias do coração. É produzido com ácido polilático, material absorvido pelo organismo. Um avanço em relação aos disponíveis no mercado, de aço inoxidável. Em vez de permanecer no corpo para sempre, desaparece em até dois anos. Depois, o vaso sanguíneo volta ao funcionamento normal. Também é muito caro.

O mercado oferece também o coração mecânico. Troca-se o órgão doente por pequena máquina que faz circular o sangue. É muito caro.

E estão também disponíveis as cirurgias por computadores. Mãos mecânicas deslizam pelo corpo humano até seu objetivo sem nenhum prejuízo de outras partes. Custa caro.

A indústria farmacêutica investe em pesquisas e obtém drogas cada vez mais poderosas. Mas precisa recuperar o investimento e, por isso, os remédios custam caro.

E de tecnologia em tecnologia, de caro em caro, chegamos ao grande desafio dos médicos nos dias de hoje: como fazer chegar ao paciente tantos recursos num País carente como o nosso? Apesar dos recursos para ampliar a longevidade, temos de nos limitar aos já ultrapassados. Todos os produtos da medicina estão na vitrine, é possível alimentar por eles o desejo de consumo, mas fica nisso. Poucos brasileiros podem investir nas novidades. Quanto a remédios, a maioria se limita aos da farmácia popular.

É preciso reflexão sobre tecnologia em constante evolução e cada vez mais inacessível ao nosso povo. A Associação Médica Brasileira informa que, dos quase 200 milhões de brasileiros, cerca de 150 milhões dependem do sistema público de Saúde. Só na cidade de São Paulo havia, até o último dia do ano passado, 800.224 registros na fila por atendimento na rede municipal de Saúde, com oito meses de espera. Pior: a maioria dos planos de saúde não paga cirurgias mais complexas. Mas não vamos desfilar queixas ou unir num mesmo samba-enredo o luxo e a miséria da medicina. Estamos na antessala brasileira para curar nossos doentes, com o caro, o barato e os planos ausentes na hora em que o paciente necessita. Donde se conclui que, no Brasil, o médico precisa também navegar com um pé em cada canoa.

Américo Tângari Junior é cardiologista.

Palavra do leitor

Código Penal
Existem alguns setores da sociedade pedindo para que adolescentes de 16 anos respondam por seus crimes. Só não podemos esquecer que, em nosso País, só vai para a cadeia quem não tem dinheiro. E esses de 16, quando entrarem lá, serão usados e abusados, inclusive sexualmente, e quando saírem farão maior o número de vítimas. Tudo, absolutamente tudo, está na falta de investimento na Educação. Pois nossos professores são vitimados todos os dias, por essa delinquência e principalmente pelo abandono do Estado. E, como não bastasse, temos Constituição que mais parece colcha de retalhos. E tudo isso só acabará no dia em que deixarmos de ser vítimas das urnas para nos tornarmos eleitores esclarecidos. Para reflexão: o filho do bilionário Eike Batista, Thor Batista, tem 20 anos e matou um ciclista. Ele está preso ou solto?
Cecél Garcia
Santo André

Cesta básica
O aumento dos preços da cesta básica voltou a corroer o poder de compra das pessoas que ganham o salário-mínimo, invertendo tendência que marcou quase todo o período do governo Lula e o início da gestão Dilma. Nos 12 meses encerrados em março, o valor da cesta básica nas principais capitais teve a maior alta dos últimos dez anos. Em São Paulo, subiu 23,1%, segundo o Dieese. Será que é necessário dizer mais alguma coisa sobre o que o PT está fazendo no nosso País. Fico a me perguntar por que não faz tudo isso em favor dos menos privilegiados? Será que desses só quer mesmo o voto? Fico muito indignada!
Rosângela Caris
Mauá

Políticos
A maioria de nossos políticos, principalmente os de Brasília, deve mudar o procedimento. Devem agir e pensar coletivamente, não somente em benefício próprio. Para eliminar grande parte da brutal criminalidade é preciso não só alterar as leis, mas reformular totalmente as estruturas. Iniciar com boa escolaridade, exigir dos professores, depois de serem bem pagos, disciplinar com mais rigor os alunos. Acredito que com esse tipo de disciplina e de respeito, possivelmente imediatamente diminuiria a criminalidade. O criminoso deve ocupar na prisão seu tempo trabalhando, produzindo. Para que possa se recuperar deverá se profissionalizar, devemos dar-lhe meios de trabalho, convidando os grandes empresários, dando-lhes isenção de impostos e outras facilidades. Será que é tão difícil chegar a um estudo profundo para a possível solução. O presidiário, quando concluir a condenação sem essa esdrúxula progressão da pena, sairá profissional recuperado, conseguindo com facilidade emprego.
Luiz Alesina
Mauá

Destaque
Joaquim Barbosa, presidente do Supremo Tribunal Federal, ganhou destaque na revista Time e figura entre as 100 pessoas mais influentes do mundo. Homenagem e reconhecimento mais do que merecidos. Aqui no Brasil, alguns desafetos tentam desqualificar o menino pobre que mudou o Brasil e deu alento à população sedenta de justiça quando encarou a difícil tarefa de condenar os mensaleiros amigos do presidente que o indicou ao Supremo. Barbosa mostrou que agiu com independência ao presidir o maior julgamento político contra a corrupção no País. Que a revista possa na sua próxima edição aumentar o número de brasileiros que dignamente honram o nome do Brasil.
Izabel Avallone
Capital

Resposta
Em resposta à carta do munícipe Guilherme Jesus Ster (Lamentável, dia 14), a Prefeitura de São Bernardo informa que não foram encontrados registros nos prontuários de atendimento das últimas semanas da UPA Rudge Ramos em nome de Guilherme Jesus Ster, impossibilitando que a gerência da unidade investigue a queixa do munícipe. Entretanto, as UPAs (Unidades de Pronto Atendimento 24 horas) valorizam a participação e o controle social e visam à melhoria contínua do cuidado oferecido aos seus usuários. A rede municipal de Saúde trabalha constantemente para ofertar cuidado humanizado e centrado nas necessidades de saúde dos usuários, oferecendo, por plantão, dois médicos clínicos gerais e dois pediatras.
Prefeitura de São Bernardo

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;