Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 19 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

CPI vai pedir cassaçao de suplente de Hildebrando


Do Diário do Grande ABC

29/09/1999 | 22:31


A CPI do Narcotráfico vai pedir a cassaçaodo deputado José Aleksandro (PFL-AC), que assumiu a vaga do deputado cassado Hildebrando Pascoal. Ele depôs hoje na Comissao Parlamentar de Inquérito e, segundo o deputado Moroni Torgan (PFL-CE), relator da CPI, teria mentido em seu depoimento ao negar ser dono de uma chácara no município de Senador Guiomard, no Acre. Moroni garantiu que a CPI tem provas de que a chácara pertence ao deputado e que ele estaria tentando esconder seu patrimônio. O relator disse que a prestaçao de informaçoes falsas à CPI caracteriza quebra de decoro parlamentar, permitindo a abertura do processo de cassaçao de mandato.  

Em seu depoimento, José Aleksandro negou que tenhaenvolvimento com o narcotráfico, mas enfrentou dificuldades para explicar seu enriquecimento ao longo desta década. O deputado, que já foi denunciado por estelionato e formaçao de quadrilha, também deixou sem respostas algumas perguntas sobre sua ficha policial.  

Denúncias - Na primeira fase do depoimento, em que teve liberdade para falar livremente por mais de 30 minutos, José Aleksandro evitou responder às denúncias formuladas pela CPI e pelo Ministério Público do Acre contra ele. A exemplo do que fez o ex-deputado Hildebrando Pascoal, ele alegou que estava sendo alvo de ''uma perseguiçao`` política de ''promotores petistas``.  

O deputado também passou boa parte do tempo fazendoacusaçoes ao governador do Acre, Jorge Viana (PT), tomando por base declaraçoes de parentes de Hildebrando. ''Meu nome foi colocado como o de uma pessoa ligada ao narcotráfico, com grupos de extermínio. Nao tive oportunidade de me defender``, disse José Aleksandro.  

A formaçao de patrimônio nao foi explicada pelo deputado.Funcionário público até 1992, e filho de um açougueiro, Aleksandro é considerado um dos homens mais ricos de Rio Branco. ''Seu patrimônio contradiz com o que o senhor está afirmando``, disse o deputado Magno Malta (PTB-ES) ao ler uma lista de bens atribuídos a Aleksandro.  

O deputado se complicou mais ainda ao justificar sua fichapolicial. Antes de assumir a vaga de Hildebrando, Aleksandro enviou à CPI um dossiê, numa tentativa de provar que nao tem nenhum problema com a Justiça ou a polícia. Mas, segundo Magno Malta, Aleksandro excluiu da documentaçao o trecho de um inquérito, realizado em Fortaleza, em que é acusado de peculato e formaçao de quadrilha. O dossiê foi encaminhado também à presidência e à corregedoria da Câmara. ''Está claro aí uma tentativa de enganar a CPI``, disse Malta.  

Crime eleitoral - José Aleksandro deixou escapar que''quatro ou cinco táxis`` trabalharam para ele ''no dia`` das eleiçoes passadas, numa cidade do interior do Acre. O deputado nao esclareceu se os táxis foram utilizados para transportar eleitores. ''Ele está admitindo um crime eleitoral``, afirmou a deputada Laura Carneiro (PFL-RJ).   José Aleksandro responde a processo na 2ªVara Criminal deRio Branco por desvio de R$ 1,2 milhao da Câmara de Vereadores. O deputado é acusado ainda de envolvimento com o grupo de traficantes e matadores supostamente liderado por Hildebrando Pascoal.   Entre os supostos crimes de José Aleksandro estaria oatentado ao ex-secretário da Fazenda do Acre, Walterlúcio Bessa Campelo. Em depoimento à CPI, Walterlúcio disse que Aleksandro havia encomendado sua morte.  

José Aleksandro é irmao de Alexandre Alves, o Nim, um dos27 presos transportados do Acre para Brasília sábado passado, sob a acusaçao de pertencerem a um grupo de extermínio que seria comandado por Hildebrando Pascoal.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;