Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 7 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Ministério quer impulsionar turismo em fábricas da região

Nove empresas já oferecem visitas guiadas a suas instalações e atraem 200 pessoas por mês


Fábio Munhoz
Do Diário do Grande ABC

06/06/2015 | 07:05


Setor que emprega cerca de 240 mil pessoas no Grande ABC, a indústria atrai aproximadamente 200 visitantes por mês às fábricas da região. Para impulsionar esse mercado, o Ministério do Turismo quer incentivar ações de marketing, para atrair mais empresas interessadas em abrir suas portas à população que busca conhecer sobre a principal atividade econômica local. O município mais avançado no oferecimento desse tipo de roteiro é São Bernardo.

Oito companhias já participam da iniciativa na cidade, entre elas a Volkswagen, Mercedes-Benz e Scania, do ramo automobilístico, além da Wheaton, que produz embalagens de vidro para a indústria farmacêutica e de cosméticos. A Basf abre visitação para a unidade do bairro Demarchi, onde são produzidos vernizes e tintas. Todas essas plantas ficam localizadas em São Bernardo. Em Santo André, há roteiro monitorado para a fábrica da Braskem, no Polo Petroquímico de Capuava, na divisa com Mauá. As visitas são gratuitas. Para conhecer fábricas de São Bernardo, interessados podem enviar e-mail para turismo.industrial@saobernardo.sp.gov.br. No caso da Braskem, é possível pedir agendamento pelo site www.braskem.com.br, no link ‘contato’.

“O papel do ministério é colocar a região em evidência e mostrar que há um nicho que pode ser trabalhado”, comenta o diretor do Departamento de Estudos e Pesquisas da Pasta, José Francisco Salles Lopes. Para ele, o fato de a região ser conhecida no País como concentradora de montadoras de veículos atrai a curiosidade de diferentes públicos, desde grupos ligados à indústria até visitantes de outros setores. “É um perfil diferente (em relação ao turista convencional). São pessoas com um nível cultural e econômico mais elevado e que têm interesse em conhecer aspectos de alguma coisa que caracteriza a economia.”

O diretor avalia que esse tipo de turismo tem potencial de crescimento no Grande ABC. Ele cita como exemplo o setor de autopeças e, especialmente em Diadema, as fábricas de cosméticos. “Nesse caso, inclusive, daria para aproveitar o potencial de venda desses produtos.”

Além de expor ao Brasil o cotidiano da indústria automobilística, o turismo nas fábricas pode, de acordo com Salles Lopes, estimular a demanda por hotelaria na região. Para o ano que vem, apenas em São Bernardo, está prevista a abertura de duas unidades da bandeira Ibis e uma da marca Adagio, de apart-hotéis. A Prefeitura do município espera dobrar o número de turistas ainda neste ano (leia abaixo).

Segundo Salles Lopes, o turismo industrial é mais consolidado na região Sul, especialmente nos Estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina. “No Sul, muitos viajam para conhecer as vinícolas e as fábricas de chocolate. Nesse tipo de passeio, as pessoas acabam aproveitando para fazer compras”, acrescenta. Em Foz do Iguaçu, no Paraná, o integrante do ministério afirma que há grande número de visitantes que, além de ver o espetáculo das águas nas Cataratas do Iguaçu, opta por conhecer a Usina Hidrelétrica de Itaipu, a maior e mais importante do País. No Exterior, esse tipo de atividade também é bastante difundido. É o caso de Seattle, nos Estados Unidos, onde a fabricante de aviões Boeing abre as portas para quem quiser acompanhar o processo de montagem das aeronaves. Em Amsterdã, na Holanda, é possível entrar na linha de produção da cervejaria Heineken.

HISTÓRICO - Em março, o então ministro do Turismo, Vinicius Lages, participou de reunião no Consórcio Intermunicipal do Grande ABC e definiu com os prefeitos a criação de uma “agenda permanente” para potencializar o turismo industrial e de negócios na região. Na ocasião, o presidente da entidade, Gabriel Maranhão (PSDB), que é chefe do Executivo de Rio Grande da Serra, propôs a criação de um roteiro específico para o cambuci, fruta nativa da Mata Atlântica e encontrada em abundância em Ribeirão Pires, Rio Grande da Serra e no distrito de Paranapiacaba, em Santo André.

SÃO BERNARDO - Desde 2013, quando foi criado programa de turismo industrial em São Bernardo, cerca de 1.000 pessoas já visitaram as oito empresas participantes no município. Para este ano, o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Turismo, Jefferson José da Conceição, espera dobrar tanto o número de interessados quanto o de companhias inscritas. Entre as maiores estão Volkswagen, Mercedes-Benz e Scania, do ramo automobilístico; Basf, do setor químico; e a Wheaton, que produz embalagens.

“A parceria não envolve recurso de nenhuma das partes. A empresa assina conosco o termo de parceria e nós respeitamos o formato mais adequado: que tipo de grupo deseja, os melhores horários, as áreas liberadas para visitação, a idade do turista, entre outras exigências.” O secretário informa que o programa está sendo estendido às universidades instaladas no município. “Estamos conectando visitações recíprocas dentro do turismo industrial, com a ida de estudantes e professores às empresas e levando empresários a universidades.”

Outra parceria é feita com a Tecoste Confecções, grupo de costureiras apoiado pela Economia Solidária que produz souvenirs aos visitantes com materiais reciclados feitos a partir de resíduos da indústria de automóveis. A matéria-prima é doada pela Fundação Volkswagen.

A ideia do titular da Pasta é fazer com que o know-how internacional seja incorporado no turismo industrial da cidade. “Para isso, estamos dialogando com os municípios de São João da Madeira e Marinha Grande, em Portugal, para que haja um intercâmbio de conhecimento.”

Com o fomento ao mercado na região, o secretário espera alcançar o título de município de interesse turístico no âmbito estadual e, posteriormente, federal. A inclusão da cidade nesse patamar possibilita o acesso a recursos destinados a impulsionar a atividade de turismo nas regiões beneficiadas.
 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Ministério quer impulsionar turismo em fábricas da região

Nove empresas já oferecem visitas guiadas a suas instalações e atraem 200 pessoas por mês

Fábio Munhoz
Do Diário do Grande ABC

06/06/2015 | 07:05


Setor que emprega cerca de 240 mil pessoas no Grande ABC, a indústria atrai aproximadamente 200 visitantes por mês às fábricas da região. Para impulsionar esse mercado, o Ministério do Turismo quer incentivar ações de marketing, para atrair mais empresas interessadas em abrir suas portas à população que busca conhecer sobre a principal atividade econômica local. O município mais avançado no oferecimento desse tipo de roteiro é São Bernardo.

Oito companhias já participam da iniciativa na cidade, entre elas a Volkswagen, Mercedes-Benz e Scania, do ramo automobilístico, além da Wheaton, que produz embalagens de vidro para a indústria farmacêutica e de cosméticos. A Basf abre visitação para a unidade do bairro Demarchi, onde são produzidos vernizes e tintas. Todas essas plantas ficam localizadas em São Bernardo. Em Santo André, há roteiro monitorado para a fábrica da Braskem, no Polo Petroquímico de Capuava, na divisa com Mauá. As visitas são gratuitas. Para conhecer fábricas de São Bernardo, interessados podem enviar e-mail para turismo.industrial@saobernardo.sp.gov.br. No caso da Braskem, é possível pedir agendamento pelo site www.braskem.com.br, no link ‘contato’.

“O papel do ministério é colocar a região em evidência e mostrar que há um nicho que pode ser trabalhado”, comenta o diretor do Departamento de Estudos e Pesquisas da Pasta, José Francisco Salles Lopes. Para ele, o fato de a região ser conhecida no País como concentradora de montadoras de veículos atrai a curiosidade de diferentes públicos, desde grupos ligados à indústria até visitantes de outros setores. “É um perfil diferente (em relação ao turista convencional). São pessoas com um nível cultural e econômico mais elevado e que têm interesse em conhecer aspectos de alguma coisa que caracteriza a economia.”

O diretor avalia que esse tipo de turismo tem potencial de crescimento no Grande ABC. Ele cita como exemplo o setor de autopeças e, especialmente em Diadema, as fábricas de cosméticos. “Nesse caso, inclusive, daria para aproveitar o potencial de venda desses produtos.”

Além de expor ao Brasil o cotidiano da indústria automobilística, o turismo nas fábricas pode, de acordo com Salles Lopes, estimular a demanda por hotelaria na região. Para o ano que vem, apenas em São Bernardo, está prevista a abertura de duas unidades da bandeira Ibis e uma da marca Adagio, de apart-hotéis. A Prefeitura do município espera dobrar o número de turistas ainda neste ano (leia abaixo).

Segundo Salles Lopes, o turismo industrial é mais consolidado na região Sul, especialmente nos Estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina. “No Sul, muitos viajam para conhecer as vinícolas e as fábricas de chocolate. Nesse tipo de passeio, as pessoas acabam aproveitando para fazer compras”, acrescenta. Em Foz do Iguaçu, no Paraná, o integrante do ministério afirma que há grande número de visitantes que, além de ver o espetáculo das águas nas Cataratas do Iguaçu, opta por conhecer a Usina Hidrelétrica de Itaipu, a maior e mais importante do País. No Exterior, esse tipo de atividade também é bastante difundido. É o caso de Seattle, nos Estados Unidos, onde a fabricante de aviões Boeing abre as portas para quem quiser acompanhar o processo de montagem das aeronaves. Em Amsterdã, na Holanda, é possível entrar na linha de produção da cervejaria Heineken.

HISTÓRICO - Em março, o então ministro do Turismo, Vinicius Lages, participou de reunião no Consórcio Intermunicipal do Grande ABC e definiu com os prefeitos a criação de uma “agenda permanente” para potencializar o turismo industrial e de negócios na região. Na ocasião, o presidente da entidade, Gabriel Maranhão (PSDB), que é chefe do Executivo de Rio Grande da Serra, propôs a criação de um roteiro específico para o cambuci, fruta nativa da Mata Atlântica e encontrada em abundância em Ribeirão Pires, Rio Grande da Serra e no distrito de Paranapiacaba, em Santo André.

SÃO BERNARDO - Desde 2013, quando foi criado programa de turismo industrial em São Bernardo, cerca de 1.000 pessoas já visitaram as oito empresas participantes no município. Para este ano, o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Turismo, Jefferson José da Conceição, espera dobrar tanto o número de interessados quanto o de companhias inscritas. Entre as maiores estão Volkswagen, Mercedes-Benz e Scania, do ramo automobilístico; Basf, do setor químico; e a Wheaton, que produz embalagens.

“A parceria não envolve recurso de nenhuma das partes. A empresa assina conosco o termo de parceria e nós respeitamos o formato mais adequado: que tipo de grupo deseja, os melhores horários, as áreas liberadas para visitação, a idade do turista, entre outras exigências.” O secretário informa que o programa está sendo estendido às universidades instaladas no município. “Estamos conectando visitações recíprocas dentro do turismo industrial, com a ida de estudantes e professores às empresas e levando empresários a universidades.”

Outra parceria é feita com a Tecoste Confecções, grupo de costureiras apoiado pela Economia Solidária que produz souvenirs aos visitantes com materiais reciclados feitos a partir de resíduos da indústria de automóveis. A matéria-prima é doada pela Fundação Volkswagen.

A ideia do titular da Pasta é fazer com que o know-how internacional seja incorporado no turismo industrial da cidade. “Para isso, estamos dialogando com os municípios de São João da Madeira e Marinha Grande, em Portugal, para que haja um intercâmbio de conhecimento.”

Com o fomento ao mercado na região, o secretário espera alcançar o título de município de interesse turístico no âmbito estadual e, posteriormente, federal. A inclusão da cidade nesse patamar possibilita o acesso a recursos destinados a impulsionar a atividade de turismo nas regiões beneficiadas.
 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;