Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 18 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

STF tem 'histórico de sucesso na resistência democrática', afirma Barroso



28/06/2022 | 09:16


O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso reiterou, nesta segunda-feira, 27, que a Corte está preparada para combater eventuais investidas autoritárias durante o processo eleitoral deste ano. Segundo o ministro, o Supremo tem "histórico de sucesso na resistência democrática". As declarações foram feitas durante participação no X Fórum Jurídico de Lisboa, em Portugal. A programação do evento também incluiu os ministros Alexandre de Moraes, André Mendonça e Ricardo Lewandowski.

Sem mencionar o nome do presidente Jair Bolsonaro (PL), Barroso, que foi presidente do TSE, afirmou que "uma característica do populismo autoritário é dizer: 'se eu perder, houve fraude'. E já se fala antes (da eleição)", disse o ministro. É recorrente nos discursos do chefe do Executivo a insinuação de que o processo eleitoral brasileiro possa ser fraudado para tirá-lo do Poder, embora nunca tenha sido comprovada qualquer brecha de segurança nas urnas eletrônicas. O presidente costuma atacar ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e lançar dúvidas, sem provas, sobre a confiabilidade das urnas.

Ainda sem mencionar casos deste governo, Barroso criticou o que chamou de "empacotamento das Cortes". O magistrado apontou a nomeação de "juízes submissos" como uma estratégia de líderes autoritários. Bolsonaro já indicou dois ministros ao STF: André Mendonça e Kassio Nunes Marques. O segundo já deferiu decisões alinhadas aos interesses do Planalto, como por exemplo a devolução do mandato a dois deputados bolsonaristas cassados pelo TSE devido à divulgação de desinformação.

"A segunda (característica do populismo autoritário) é a tentativa de redução dos poderes das Cortes constitucionais para colocar os tribunais a serviço do governo", apontou Barroso. O ministro acrescentou que, em sua avaliação, o Supremo salvou "milhares de vidas" com decisões proferidas durante a pandemia de covid-19. No âmbito da crise sanitária, o STF travou um duelo com o Planalto ao conferir poder de decisão a governadores e prefeitos quanto ao uso de máscara e medidas de restrição.

No mesmo evento, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), defendeu o TSE e afirmou que desconfianças sobre a lisura do processo eleitoral acontecem "absolutamente sem justa causa".

"Teremos eleições este ano, que acontecerão no sistema eletrônico de votação, sob a guarda do eficiente Tribunal Superior Eleitoral, que é uma justiça especializada que custa à sociedade brasileira e que não pode ser desprezada sob uma desconfiança absolutamente sem justa causa", afirmou o senador, também nesta segunda-feira.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;