Fechar
Publicidade

Domingo, 24 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Advogado nega que libanesa tentou subornar policiais


Do Diário OnLine

14/03/2006 | 16:31


O advogado Victor Mauad negou que a libanesa Rana Abdel Rahim Koleilat, presa em São Paulo por suspeita de ligação com o terrorismo, tentou subornar os policiais que a detiveram. Segundo ele, houve um mal entendido porque sua cliente não fala bem português.

Rana estava sendo procurada pela Interpol, e teria ligações com o assassinato do ex-primeiro-ministro do Líbano Hafik al-Hariri, em fevereiro de 2005. Ela também é acusada de ter dado um golpe bancário de US$ 1,2 bilhão no Líbano.

A libanesa foi presa na noite de domingo em um flat na Zona Norte de São Paulo. Antes de ser detida, ela teria tentado subornar os policiais que a prenderam com US$ 200 mil.

Rana ainda estava detida numa delegacia em Itaquera e foi transferida para 89° DP, no Morumbi. O governo brasileiro já comunicou o Líbano e aguarda um pedido de extradição.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Advogado nega que libanesa tentou subornar policiais

Do Diário OnLine

14/03/2006 | 16:31


O advogado Victor Mauad negou que a libanesa Rana Abdel Rahim Koleilat, presa em São Paulo por suspeita de ligação com o terrorismo, tentou subornar os policiais que a detiveram. Segundo ele, houve um mal entendido porque sua cliente não fala bem português.

Rana estava sendo procurada pela Interpol, e teria ligações com o assassinato do ex-primeiro-ministro do Líbano Hafik al-Hariri, em fevereiro de 2005. Ela também é acusada de ter dado um golpe bancário de US$ 1,2 bilhão no Líbano.

A libanesa foi presa na noite de domingo em um flat na Zona Norte de São Paulo. Antes de ser detida, ela teria tentado subornar os policiais que a prenderam com US$ 200 mil.

Rana ainda estava detida numa delegacia em Itaquera e foi transferida para 89° DP, no Morumbi. O governo brasileiro já comunicou o Líbano e aguarda um pedido de extradição.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;