Fechar
Publicidade

Sábado, 8 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Grande ABC terá equipamentos para monitorar áreas de risco de deslizamentos

Nário Barbosa/Morro do Macuco, em Mauá, sofre com deslizamentos Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

No total serão 15 plataformas instaladas em seis municípios


Vinícius Castelli
Do Diário do Grande ABC

13/04/2021 | 13:09


O Grande ABC ganhará reforço para coletar dados em áreas de risco de deslizamentos. O Cemaden (Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais) realizará a instalação de 15 plataformas de coleta de dados geotécnicas em áreas de alto e muito alto risco de deslizamentos e movimentos de massa do Grande ABC.

As plataformas possibilitam o estabelecimento de correlação entre a quantidade de chuva e a umidade do solo, fatores que desencadeiam o deslizamento e movimento de massa nas encostas urbanas.

De acordo com Acacio Miranda, secretário-executivo do Consórcio Intermunicipal Grande ABC, os novos equipamentos reforçarão o trabalho preventivo realizado pelas Defesas Civis municipais.

“O trabalho de prevenção inclui o mapeamento das áreas de risco, a localização e constatação de situações que possam culminar em desastres ou acidentes. Por meio desta iniciativa, o Cemaden coloca o Grande ABC como região prioritária para o monitoramento geológico”, afirmou.

De acordo com o Cemaden, já foram definidos alguns locais para a instalação dos equipamentos e, no momento está na fase de levantamento documental autorizativo para a realização das instalações, o que deve ser concluído até o próximo mês.

Os aparelhos serão instalados serão em Santo André, São Bernardo, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra. De acordo com o Consórcio Intermunicipal Grande ABC, São Caetano, por não conter áreas de risco alto e muito alto de deslizamentos, não entrou na lista. Bairros como Zaira VI, em Mauá, e Sítio dos Vianas, em Santo André, estão confirmados.

Os equipamentos transmitem por internet para a Sala de Situação do Cemaden, em São José dos Campos, Interior do Estado, e os dados ficam no Mapa Interativo, disponibilizados ao público em geral, inclusive às Defesas Civis de todo o Brasil.

Pesquisador do Cemaden, o geólogo Daniel Metodiev adiantou que alguns dos locais identificados para a instalação poderiam ser considerados como estratégicos, pois estão na divisa entre várias áreas de risco alto a muito alto em dois municípios.

Ele explica que a maioria dos locais vistoriados estão posicionados em encostas com grande número de moradias de baixo padrão sem ou com pouca infraestrutura. Uma das sugestões é que tenha esse equipamento no bairro São Caetaninho, em Ribeirão Pires, onde, em março de 2019, houve deslizamento que vitimou quatro pessoas após forte chuva que caiu na região.

Coordenador do projeto, Márcio Andrade explica que é importante salientar que os locais propostos pelo Cemaden e pelas defesas civis do Grande ABC correspondem com o mapeamento de risco geológico feito por diversas instituições de pesquisa.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Grande ABC terá equipamentos para monitorar áreas de risco de deslizamentos

No total serão 15 plataformas instaladas em seis municípios

Vinícius Castelli
Do Diário do Grande ABC

13/04/2021 | 13:09


O Grande ABC ganhará reforço para coletar dados em áreas de risco de deslizamentos. O Cemaden (Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais) realizará a instalação de 15 plataformas de coleta de dados geotécnicas em áreas de alto e muito alto risco de deslizamentos e movimentos de massa do Grande ABC.

As plataformas possibilitam o estabelecimento de correlação entre a quantidade de chuva e a umidade do solo, fatores que desencadeiam o deslizamento e movimento de massa nas encostas urbanas.

De acordo com Acacio Miranda, secretário-executivo do Consórcio Intermunicipal Grande ABC, os novos equipamentos reforçarão o trabalho preventivo realizado pelas Defesas Civis municipais.

“O trabalho de prevenção inclui o mapeamento das áreas de risco, a localização e constatação de situações que possam culminar em desastres ou acidentes. Por meio desta iniciativa, o Cemaden coloca o Grande ABC como região prioritária para o monitoramento geológico”, afirmou.

De acordo com o Cemaden, já foram definidos alguns locais para a instalação dos equipamentos e, no momento está na fase de levantamento documental autorizativo para a realização das instalações, o que deve ser concluído até o próximo mês.

Os aparelhos serão instalados serão em Santo André, São Bernardo, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra. De acordo com o Consórcio Intermunicipal Grande ABC, São Caetano, por não conter áreas de risco alto e muito alto de deslizamentos, não entrou na lista. Bairros como Zaira VI, em Mauá, e Sítio dos Vianas, em Santo André, estão confirmados.

Os equipamentos transmitem por internet para a Sala de Situação do Cemaden, em São José dos Campos, Interior do Estado, e os dados ficam no Mapa Interativo, disponibilizados ao público em geral, inclusive às Defesas Civis de todo o Brasil.

Pesquisador do Cemaden, o geólogo Daniel Metodiev adiantou que alguns dos locais identificados para a instalação poderiam ser considerados como estratégicos, pois estão na divisa entre várias áreas de risco alto a muito alto em dois municípios.

Ele explica que a maioria dos locais vistoriados estão posicionados em encostas com grande número de moradias de baixo padrão sem ou com pouca infraestrutura. Uma das sugestões é que tenha esse equipamento no bairro São Caetaninho, em Ribeirão Pires, onde, em março de 2019, houve deslizamento que vitimou quatro pessoas após forte chuva que caiu na região.

Coordenador do projeto, Márcio Andrade explica que é importante salientar que os locais propostos pelo Cemaden e pelas defesas civis do Grande ABC correspondem com o mapeamento de risco geológico feito por diversas instituições de pesquisa.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;