Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 24 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Prefeitura promete entregar mais moradias que nos últimos 4 anos


Cadu Proieti
Do Diário do Grande ABC

31/10/2012 | 07:00


Após entrega de 84 moradias do Conjunto Habitacional Jardim Esmeralda, na tarde de ontem, a secretária de Habitação de São Bernardo, Tássia Regino, afirmou que a Prefeitura pretende entregar no segundo mandato de Luiz Marinho (PT) - reeleito no primeiro turno com 65,79% dos votos válidos - número maior de moradias que nos últimos quatro anos do petista à frente do Paço. Até o momento, foram entregues 3.126 unidades. "Será a ampliação estruturada da política que foi realizada no primeiro governo", declarou a titular da Pasta.

No entanto, Tássia preferiu não dar o número exato de habitações que serão construídas. "Não é uma conta que temos condições de fazer agora, porque estamos trabalhando em muitos projetos. A conta da quantidade de moradias gerada em cada empreendimento é diferente, mas a meta do prefeito é fazer mais do que foi feito na última gestão. Então, vamos trabalhar com essa ideia."

A secretária declarou que o plano habitacional da cidade prevê zerar o deficit de moradias prioritárias - situadas em área de risco - até 2028. Esse número é estimado em aproximadamente 38 mil unidades. "A questão central para São Bernardo é não alterar o planejamento e investimento continuado", explicou.

CONJUNTO ESMERALDA

Com a entrega das 84 moradias do Conjunto Habitacional Jardim Esmeralda, a Prefeitura de São Bernardo conclui o projeto desse empreendimento, totalizando 564 unidades habitacionais produzidas no local. As famílias beneficiadas são oriundas do assentamento precário Jardim Esmeralda, sendo que a maioria delas estava temporariamente no auxílio aluguel.

De acordo com a secretária, com a inauguração de novas moradias no município, os imóveis privados que estavam alugados para famílias em bolsa-aluguel na cidade vão ficando livres, facilitando, assim, o processo de retirada de moradores de outras áreas prioritárias. "Hoje, até para alugar uma moradia segura é difícil", comentou Tássia.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;