Fechar
Publicidade

Domingo, 31 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Fernando Lugo e filho de Jango participam de seminário em Sto.André

Tiago Queiroz/AE Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Discussão sobre ditadura militar na América do Sul ocorrerá no período de 9 a 11 de maio


Júnior Carvalho
Especial para o Diário

27/04/2014 | 06:59


Entre 9 e 11 de maio, o Teatro Municipal de Santo André receberá seminário para debater sobre as ditaduras militares na América do Sul. Batizado de ‘Ditaduras no Cone Sul – 50 anos depois’, o encontro contará com palestras do ex-presidente do Paraguai Fernando Lugo e de João Vicente Goulart, filho do presidente do Brasil João Goulart, o Jango, deposto pelo golpe de 1964.

O evento também registrará a presença de Andrés Pascal Allende, sobrinho do ex-presidente chileno Salvador Allende, que também foi forçado a deixar o posto diante da pressão das forças armadas. “Nós pensamos em realizar uma discussão que trouxesse para cá a história política de países como o Chile, Paraguai e Uruguai, que também sofreram com a repressão de regimes ditatoriais”, ressaltou Cido Faria, coordenador do Centro de Memória do Grande ABC, que organiza o evento juntamente com as prefeituras de Santo André e de São Bernardo.

Em março, o Brasil resgatou o processo da derrocada do regime democrático, 50 anos depois de o então presidente Jango anunciar reformas sociais no País e amargar sua queda da Presidência da República. Cinco décadas depois, o País ainda tenta desvendar, por meio de comissões da verdade, o que de fato aconteceu durante os anos de chumbo (1964-1985) e as consequências das torturas e assassinatos a centenas de brasileiros que se posicionaram contrários ao regime.

Assim como a ditadura brasileira, os governos gerenciados por militares nos países vizinhos foram marcados por decretos que massacraram os direitos constitucionais vigentes, inibiram a existência de partidos políticos e registraram perseguição e torturas a quem se mostrasse opositor à gestão militar. “Com exceção do Paraguai, os outros golpes (na América do Sul) foram filhotes da ditadura no Brasil”, analisou Faria.

O primeiro dia de palestra será coordenado pelos prefeitos de Santo André, Carlos Grana, e de São Bernardo, Luiz Marinho, ambos do PT. Nessa data, Lugo e o filho de Jango partilharão o debate com Criméia de Almeida, ex-guerrilheira do Araguaia, que foi presa e torturada com oito meses de gravidez. Já no dia 10, os palestrantes debaterão sobre a participação dos Estados Unidos na Operação Condor, que visava coordenar a ditadura nos países sul-americanos.

O evento encerra com o debate sobre as Copas do Mundo realizadas durante os golpes militares e a influência da Igreja Católica nos movimentos sociais.

JUVENTUDE
Cido Faria explicou ainda que o seminário servirá para que a juventude entenda o processo da redemocratização dos países. “Se os jovens de hoje têm liberdade para dizer o que pensa e discordar de algo é por conta da luta dos jovens das décadas de 60 e 70”, examinou.

A programação completa do evento e outras informações estão disponíveis no portal www.ditadurasnoconesul.com.br. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Fernando Lugo e filho de Jango participam de seminário em Sto.André

Discussão sobre ditadura militar na América do Sul ocorrerá no período de 9 a 11 de maio

Júnior Carvalho
Especial para o Diário

27/04/2014 | 06:59


Entre 9 e 11 de maio, o Teatro Municipal de Santo André receberá seminário para debater sobre as ditaduras militares na América do Sul. Batizado de ‘Ditaduras no Cone Sul – 50 anos depois’, o encontro contará com palestras do ex-presidente do Paraguai Fernando Lugo e de João Vicente Goulart, filho do presidente do Brasil João Goulart, o Jango, deposto pelo golpe de 1964.

O evento também registrará a presença de Andrés Pascal Allende, sobrinho do ex-presidente chileno Salvador Allende, que também foi forçado a deixar o posto diante da pressão das forças armadas. “Nós pensamos em realizar uma discussão que trouxesse para cá a história política de países como o Chile, Paraguai e Uruguai, que também sofreram com a repressão de regimes ditatoriais”, ressaltou Cido Faria, coordenador do Centro de Memória do Grande ABC, que organiza o evento juntamente com as prefeituras de Santo André e de São Bernardo.

Em março, o Brasil resgatou o processo da derrocada do regime democrático, 50 anos depois de o então presidente Jango anunciar reformas sociais no País e amargar sua queda da Presidência da República. Cinco décadas depois, o País ainda tenta desvendar, por meio de comissões da verdade, o que de fato aconteceu durante os anos de chumbo (1964-1985) e as consequências das torturas e assassinatos a centenas de brasileiros que se posicionaram contrários ao regime.

Assim como a ditadura brasileira, os governos gerenciados por militares nos países vizinhos foram marcados por decretos que massacraram os direitos constitucionais vigentes, inibiram a existência de partidos políticos e registraram perseguição e torturas a quem se mostrasse opositor à gestão militar. “Com exceção do Paraguai, os outros golpes (na América do Sul) foram filhotes da ditadura no Brasil”, analisou Faria.

O primeiro dia de palestra será coordenado pelos prefeitos de Santo André, Carlos Grana, e de São Bernardo, Luiz Marinho, ambos do PT. Nessa data, Lugo e o filho de Jango partilharão o debate com Criméia de Almeida, ex-guerrilheira do Araguaia, que foi presa e torturada com oito meses de gravidez. Já no dia 10, os palestrantes debaterão sobre a participação dos Estados Unidos na Operação Condor, que visava coordenar a ditadura nos países sul-americanos.

O evento encerra com o debate sobre as Copas do Mundo realizadas durante os golpes militares e a influência da Igreja Católica nos movimentos sociais.

JUVENTUDE
Cido Faria explicou ainda que o seminário servirá para que a juventude entenda o processo da redemocratização dos países. “Se os jovens de hoje têm liberdade para dizer o que pensa e discordar de algo é por conta da luta dos jovens das décadas de 60 e 70”, examinou.

A programação completa do evento e outras informações estão disponíveis no portal www.ditadurasnoconesul.com.br. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;