Fechar
Publicidade

Domingo, 27 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Globo avisa Conmebol que quer rescindir contrato de transmissão da Libertadores



06/08/2020 | 22:38


A Rede Globo comunicou à Conmebol que quer rescindir o contrato de transmissão da Copa Libertadores. Em carta enviada para a entidade, a emissora alega o "cenário extremamente desafiador provocado pela crise econômica e potencializado pela pandemia de coronavírus". Além disso, a Globo lembra a "desvalorização cambial" porque o contrato foi firmado em dólar.

"Diante do cenário extremamente desafiador provocado pela crise econômica e potencializado pela pandemia de COVID-19, a Globo vem fazendo uma revisão completa de seu portfólio de direitos. Nesse contexto, e tendo em vista a suspensão daquela competição por vários meses, a empresa tentou renegociar com a Conmebol o contrato da Libertadores, válido até 2022, mas infelizmente não houve acordo. Assim, não restou alternativa à Globo a não ser rescindir o contrato", afirmou a emissora em uma nota oficial.

A Globo tentou renegociar o contrato de transmissão, que é válido até 2022, mas não chegou a um acordo com a Conmebol. O valor pago pela emissora é de US$ 65 milhões (R$ 347,3 milhões na cotação atual) por ano para poder transmitir as partidas em sua TV aberta, a própria Globo, e em seu canal fechado, o SporTV.

"Grandes players mundiais têm sido obrigados a renegociar seus acordos sobre eventos esportivos em razão da crise econômica provocada pela COVID-19, que, no Brasil, ainda é acentuada pela desvalorização cambial, que multiplica o valor dos contratos em dólar. Como principal competição de clubes das Américas, a Libertadores continua sendo importante para a Globo. No entanto, para que sua transmissão seja viável e satisfatória para todas as partes envolvidas, ela precisa se adequar à nova realidade mundial dos direitos esportivos e à situação econômica vivida pelo país" prosseguiu a emissora.

O contrato entre as partes foi firmado quando o dólar estava a menos de R$ 4. Agora, a moeda americana vale R$ 5,33, provocando um aumento de quase R$ 100 milhões por ano de vínculo. "Por fim, é importante esclarecer que havia no contrato cláusula específica de rescisão em caso de suspensão da competição por períodos prolongados, por motivo de força maior", completou.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Globo avisa Conmebol que quer rescindir contrato de transmissão da Libertadores


06/08/2020 | 22:38


A Rede Globo comunicou à Conmebol que quer rescindir o contrato de transmissão da Copa Libertadores. Em carta enviada para a entidade, a emissora alega o "cenário extremamente desafiador provocado pela crise econômica e potencializado pela pandemia de coronavírus". Além disso, a Globo lembra a "desvalorização cambial" porque o contrato foi firmado em dólar.

"Diante do cenário extremamente desafiador provocado pela crise econômica e potencializado pela pandemia de COVID-19, a Globo vem fazendo uma revisão completa de seu portfólio de direitos. Nesse contexto, e tendo em vista a suspensão daquela competição por vários meses, a empresa tentou renegociar com a Conmebol o contrato da Libertadores, válido até 2022, mas infelizmente não houve acordo. Assim, não restou alternativa à Globo a não ser rescindir o contrato", afirmou a emissora em uma nota oficial.

A Globo tentou renegociar o contrato de transmissão, que é válido até 2022, mas não chegou a um acordo com a Conmebol. O valor pago pela emissora é de US$ 65 milhões (R$ 347,3 milhões na cotação atual) por ano para poder transmitir as partidas em sua TV aberta, a própria Globo, e em seu canal fechado, o SporTV.

"Grandes players mundiais têm sido obrigados a renegociar seus acordos sobre eventos esportivos em razão da crise econômica provocada pela COVID-19, que, no Brasil, ainda é acentuada pela desvalorização cambial, que multiplica o valor dos contratos em dólar. Como principal competição de clubes das Américas, a Libertadores continua sendo importante para a Globo. No entanto, para que sua transmissão seja viável e satisfatória para todas as partes envolvidas, ela precisa se adequar à nova realidade mundial dos direitos esportivos e à situação econômica vivida pelo país" prosseguiu a emissora.

O contrato entre as partes foi firmado quando o dólar estava a menos de R$ 4. Agora, a moeda americana vale R$ 5,33, provocando um aumento de quase R$ 100 milhões por ano de vínculo. "Por fim, é importante esclarecer que havia no contrato cláusula específica de rescisão em caso de suspensão da competição por períodos prolongados, por motivo de força maior", completou.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;