Fechar
Publicidade

Sábado, 25 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Em ritmo de férias, Corinthians estréia com derrota na Libertadores


Do Diário OnLine

17/02/2000 | 02:31


A altitude de 2.240 metros nao foi o único obstáculo do Corinthians na estréia da Taça Libertadores. Sem vibraçao e apresentando velhos erros de marcaçao no setor defensivo, a equipe brasileira foi derrotada na madrugada desta quinta pelo América por 2 a 0, no estádio Azteca, na Cidade do México.

Diante de uma equipe razoável, mas que o envolveu praticamente o jogo inteiro, o Corinthians entrou em campo visivelmente pensando no empate. Jogando de forma recuada, mas sem dar combate no meio-campo, o time do Parque Sao Jorge começou o primeiro tempo truculento, parando as jogadas adversárias com muitas faltas.

As três primeiras oportunidades dos mexicanos surgiram com chutes de fora da área. Logo aos cinco minutos, Luna bateu forte no meio do gol, mas Dida, bem colocado, fez a defesa. O Corinthians deu o troco com Vampeta, aos 13 minutos, também com um chute forte de fora da área.

Completamente envolvida pelo adversário, a equipe brasileira sentiu a falta de Rincón para organizar a defesa e o meio-campo. Edu, escalado para o lugar do colombiano, estava apagado. Dinei, perdido em campo, e Luizao, isolado no ataque, nao ofereciam o menor perigo ao gol mexicano.

Os mexicanos continuaram insistindo nos chutes de fora da área. Em duas oportunidades, Calderon, aos 21, e Luna, aos 25, chegaram com facilidade até a defesa corintiana, mas bateram para fora do gol.

A resposta brasileira veio aos 28, quando o Corinthians parecia esboçar alguma reaçao. Dinei fez belo passe em profundidade para Daniel, que entrou na diagonal. O Lateral chutou cruzado, mas o goleiro mexicano espalmou para escanteio.

O gol do América surgiu aos 36 minutos, após cobrança de falta infantil cometida por Edu, que recebeu o cartao amarelo. Blanco cruzou na área, e Dida saiu mal do gol. Sanchez antecipou-se ao goleiro e desviou, de cabeça, para o fundo das redes.

Sem empolgaçao, o Corinthians voltou a oferecer perigo em duas cobranças de falta de Marcelinho, aos 40 e 44 minutos, mas o meia-atacante bateu para fora.

No segundo tempo, o time do Parque Sao Jorge parecia mais determinado. Logo aos três minutos, o ataque fez boa troca de passes. Dinei cruzou, mas ninguém apareceu para concluir o lance.

Cinco minutos depois, o goleiro mexicano evitou um gol olímpico de Marcelinho, rebatendo para fora da área. No rebote, Luizao pegou mal na bola e chutou para fora.

Enquanto o ataque corintiano tentava imprimir um ritmo mais forte, a defesa continuava apresentando falhas na marcaçao e proporcionando espaços para os contra-ataques do América. Aos 12 minutos, Calderon, mais uma vez livre, chutou à queima-roupa. Dida, bem colocado, defendeu.

O técnico Oswaldo de Oliveira, percebendo os erros no meio-campo e na defesa, colocou Marcos Senna no lugar de Márcio Costa. A substituiçao deu sangue novo à equipe, mas nao surtiu muito efeito. Os mexicanos voltaram a envolver o Corinthians, e, aos 25, Berti chutou no canto. Dida fez uma boa defesa, desviando para escanteio.

O segundo gol saiu apenas um minuto depois. A zaga deixou Sanchez livre de marcaçao, dentro da pequena área. O jogador teve o trabalho de apenas desviar de Dida e ampliar o placar.

A partir daí, o Corinthians se perdeu ainda mais em campo. Luizao deu lugar a Fernando Baiano, mas já era tarde. A desmotivaçao parecia maior do que o cansaço. Tocando a bola aos gritos de "olé" da torcida, o América administrou o placar e apenas esperou pelo apito final do árbitro Oscar Ruiz.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Em ritmo de férias, Corinthians estréia com derrota na Libertadores

Do Diário OnLine

17/02/2000 | 02:31


A altitude de 2.240 metros nao foi o único obstáculo do Corinthians na estréia da Taça Libertadores. Sem vibraçao e apresentando velhos erros de marcaçao no setor defensivo, a equipe brasileira foi derrotada na madrugada desta quinta pelo América por 2 a 0, no estádio Azteca, na Cidade do México.

Diante de uma equipe razoável, mas que o envolveu praticamente o jogo inteiro, o Corinthians entrou em campo visivelmente pensando no empate. Jogando de forma recuada, mas sem dar combate no meio-campo, o time do Parque Sao Jorge começou o primeiro tempo truculento, parando as jogadas adversárias com muitas faltas.

As três primeiras oportunidades dos mexicanos surgiram com chutes de fora da área. Logo aos cinco minutos, Luna bateu forte no meio do gol, mas Dida, bem colocado, fez a defesa. O Corinthians deu o troco com Vampeta, aos 13 minutos, também com um chute forte de fora da área.

Completamente envolvida pelo adversário, a equipe brasileira sentiu a falta de Rincón para organizar a defesa e o meio-campo. Edu, escalado para o lugar do colombiano, estava apagado. Dinei, perdido em campo, e Luizao, isolado no ataque, nao ofereciam o menor perigo ao gol mexicano.

Os mexicanos continuaram insistindo nos chutes de fora da área. Em duas oportunidades, Calderon, aos 21, e Luna, aos 25, chegaram com facilidade até a defesa corintiana, mas bateram para fora do gol.

A resposta brasileira veio aos 28, quando o Corinthians parecia esboçar alguma reaçao. Dinei fez belo passe em profundidade para Daniel, que entrou na diagonal. O Lateral chutou cruzado, mas o goleiro mexicano espalmou para escanteio.

O gol do América surgiu aos 36 minutos, após cobrança de falta infantil cometida por Edu, que recebeu o cartao amarelo. Blanco cruzou na área, e Dida saiu mal do gol. Sanchez antecipou-se ao goleiro e desviou, de cabeça, para o fundo das redes.

Sem empolgaçao, o Corinthians voltou a oferecer perigo em duas cobranças de falta de Marcelinho, aos 40 e 44 minutos, mas o meia-atacante bateu para fora.

No segundo tempo, o time do Parque Sao Jorge parecia mais determinado. Logo aos três minutos, o ataque fez boa troca de passes. Dinei cruzou, mas ninguém apareceu para concluir o lance.

Cinco minutos depois, o goleiro mexicano evitou um gol olímpico de Marcelinho, rebatendo para fora da área. No rebote, Luizao pegou mal na bola e chutou para fora.

Enquanto o ataque corintiano tentava imprimir um ritmo mais forte, a defesa continuava apresentando falhas na marcaçao e proporcionando espaços para os contra-ataques do América. Aos 12 minutos, Calderon, mais uma vez livre, chutou à queima-roupa. Dida, bem colocado, defendeu.

O técnico Oswaldo de Oliveira, percebendo os erros no meio-campo e na defesa, colocou Marcos Senna no lugar de Márcio Costa. A substituiçao deu sangue novo à equipe, mas nao surtiu muito efeito. Os mexicanos voltaram a envolver o Corinthians, e, aos 25, Berti chutou no canto. Dida fez uma boa defesa, desviando para escanteio.

O segundo gol saiu apenas um minuto depois. A zaga deixou Sanchez livre de marcaçao, dentro da pequena área. O jogador teve o trabalho de apenas desviar de Dida e ampliar o placar.

A partir daí, o Corinthians se perdeu ainda mais em campo. Luizao deu lugar a Fernando Baiano, mas já era tarde. A desmotivaçao parecia maior do que o cansaço. Tocando a bola aos gritos de "olé" da torcida, o América administrou o placar e apenas esperou pelo apito final do árbitro Oscar Ruiz.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;