Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 5 de Março

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Operação prende 16 criminosos relacionados à facção criminosa

Nario Barbosa/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Trabalho desarticulou ligação entre PCC e grupo que atua na favela da Rocinha, no Rio de Janeiro


Yara Ferraz
Do Diário do Grande ABC

20/10/2017 | 07:00


 Operação desencadeada pela Dise (Delegacia de Investigação Sobre Entorpecentes) de São Bernardo prendeu 16 pessoas na Baixada Santista e também no Interior do Estado ontem. Entre os criminosos está Fabiano Robson dos Santos Freitas, integrante do PCC (Primeiro Comando da Capital) que mantinha contato com facção criminosa que atua na favela da Rocinha, no Rio de Janeiro.

Conforme o delegado seccional de São Bernardo, Aldo Galiano Júnior, responsável pela Operação Salazar, Fabiano – conhecido como Negão da Baixada, Febem e Salazar – era o único que mantinha contato com representantes da ADA (Amigos Dos Amigos), uma das três maiores facções criminosas do Rio de Janeiro. Ele foi encontrado na Praia Grande, Litoral paulista, e já tinha passagens por tráfico de drogas.

As prisões ocorrem após oito meses de investigações. A ligação entre as duas facções criminosas foi confirmada em escuta telefônica. “Eles pediam apoio para o PCC. Trabalhamos com três hipóteses para esta situação. Por conta da situação difícil que acontece no Rio, eles (ADA) precisavam de dinheiro para sustentar a ação de lá ou precisavam vender drogas para arrecadar dinheiro em São Paulo. A última (hipótese) é a de que eles queriam trazer drogas escondidas para cá, para não ocasionar apreensão de grande porte”, disse o delegado.

Segundo o seccional, a partir dos 30 telefones celulares apreendidos na ação, além de computadores e contabilidade, será possível obter mais informações e desenvolver uma segunda fase de investigação. Também foram apreendidas cinco armas, quatro delas na Praia Grande, e uma em Cananeia, além da quantia de R$ 25 mil em dinheiro.

Os principais elementos para as prisões de ontem foram conhecidos durante operação realizada em março (SubZero), que resultou na prisão de oito pessoas, incluindo um líder do PCC em Diadema.

 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Operação prende 16 criminosos relacionados à facção criminosa

Trabalho desarticulou ligação entre PCC e grupo que atua na favela da Rocinha, no Rio de Janeiro

Yara Ferraz
Do Diário do Grande ABC

20/10/2017 | 07:00


 Operação desencadeada pela Dise (Delegacia de Investigação Sobre Entorpecentes) de São Bernardo prendeu 16 pessoas na Baixada Santista e também no Interior do Estado ontem. Entre os criminosos está Fabiano Robson dos Santos Freitas, integrante do PCC (Primeiro Comando da Capital) que mantinha contato com facção criminosa que atua na favela da Rocinha, no Rio de Janeiro.

Conforme o delegado seccional de São Bernardo, Aldo Galiano Júnior, responsável pela Operação Salazar, Fabiano – conhecido como Negão da Baixada, Febem e Salazar – era o único que mantinha contato com representantes da ADA (Amigos Dos Amigos), uma das três maiores facções criminosas do Rio de Janeiro. Ele foi encontrado na Praia Grande, Litoral paulista, e já tinha passagens por tráfico de drogas.

As prisões ocorrem após oito meses de investigações. A ligação entre as duas facções criminosas foi confirmada em escuta telefônica. “Eles pediam apoio para o PCC. Trabalhamos com três hipóteses para esta situação. Por conta da situação difícil que acontece no Rio, eles (ADA) precisavam de dinheiro para sustentar a ação de lá ou precisavam vender drogas para arrecadar dinheiro em São Paulo. A última (hipótese) é a de que eles queriam trazer drogas escondidas para cá, para não ocasionar apreensão de grande porte”, disse o delegado.

Segundo o seccional, a partir dos 30 telefones celulares apreendidos na ação, além de computadores e contabilidade, será possível obter mais informações e desenvolver uma segunda fase de investigação. Também foram apreendidas cinco armas, quatro delas na Praia Grande, e uma em Cananeia, além da quantia de R$ 25 mil em dinheiro.

Os principais elementos para as prisões de ontem foram conhecidos durante operação realizada em março (SubZero), que resultou na prisão de oito pessoas, incluindo um líder do PCC em Diadema.

 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;