Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 2 de Março

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Automóveis

automoveis@dgabc.com.br | 4435-8337

Cara a cara com a cavalaria


Anelisa Lopes
Enviada a Sumaré

27/06/2007 | 07:08


Quinhentos e sete cavalos. Na pista, o ronco do motor faz esta potência parecer muito maior do que escrita por extenso.

O responsável por este exagero, no bom sentido, é um 5.4 V8 de 32 válvulas e 48,9 mkgf de torque a 4.500 rpm.

Tudo isso está concentrado sob o capô do Ford Mustang Shelby GT 500 Cobra 2007, modelo esportivo que vem ao Brasil só por meio de importadoras independentes. Nos EUA, pode ser econtrado com preço entre US$ 80 mil e US$ 90 mil.

O veículo é bem imponente e já intimida pela cobra desenhada nas laterais e na grade de ar na dianteira. Por dentro, o acabamento é sóbrio, predominantemente na cor preta, em couro.

A primeira impressão, porém, não está na força com que o motorista vai pisar no pedal do acelerador, mas no da embreagem. Como grande parte dos carros esportivos, é bem duro e exige um pouco de esforço até o motorista se acostumar.

O medo de domar esta cavalaria, no entanto, passa na primeira curva. Isso porque o controle de tração trabalha para que o carro, que tem tração traseira, mantenha a estabilidade nesta condição.

O carro impressiona pela rapidez nas retomadas de velocidade. O câmbio é manual de seis marchas e possui engates bem precisos.

A aceleração de 0 a 100 km/h é feita em 4,5 segundos. O esportivo pode atingir a velocidade máxima de 300 km/h, mas é limitada eletronicamente a 250 km/h.

Uma versão conversível do Shelby Cobra estará disponível a partir de agosto deste ano no mercado norte-americano.


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Cara a cara com a cavalaria

Anelisa Lopes
Enviada a Sumaré

27/06/2007 | 07:08


Quinhentos e sete cavalos. Na pista, o ronco do motor faz esta potência parecer muito maior do que escrita por extenso.

O responsável por este exagero, no bom sentido, é um 5.4 V8 de 32 válvulas e 48,9 mkgf de torque a 4.500 rpm.

Tudo isso está concentrado sob o capô do Ford Mustang Shelby GT 500 Cobra 2007, modelo esportivo que vem ao Brasil só por meio de importadoras independentes. Nos EUA, pode ser econtrado com preço entre US$ 80 mil e US$ 90 mil.

O veículo é bem imponente e já intimida pela cobra desenhada nas laterais e na grade de ar na dianteira. Por dentro, o acabamento é sóbrio, predominantemente na cor preta, em couro.

A primeira impressão, porém, não está na força com que o motorista vai pisar no pedal do acelerador, mas no da embreagem. Como grande parte dos carros esportivos, é bem duro e exige um pouco de esforço até o motorista se acostumar.

O medo de domar esta cavalaria, no entanto, passa na primeira curva. Isso porque o controle de tração trabalha para que o carro, que tem tração traseira, mantenha a estabilidade nesta condição.

O carro impressiona pela rapidez nas retomadas de velocidade. O câmbio é manual de seis marchas e possui engates bem precisos.

A aceleração de 0 a 100 km/h é feita em 4,5 segundos. O esportivo pode atingir a velocidade máxima de 300 km/h, mas é limitada eletronicamente a 250 km/h.

Uma versão conversível do Shelby Cobra estará disponível a partir de agosto deste ano no mercado norte-americano.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;