Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 1 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Noiva deixa futuro marido no altar da igreja para votar

André Henriques/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

A caminho do casório, bancária decidiu cumprir seu direito


Leone Farias
Do Diário do Grande ABC

27/10/2014 | 07:00


A bancária Luara Cônego Precioso, 23 anos, foi às urnas ontem para exercer seu direito de cidadã. Até aí, nada de diferente em relação aos milhões de outros eleitores que compareceram para votar. O inusitado é que ela foi vestida de noiva à sua seção eleitoral, na Emeb Viriato Correia, no Rudge Ramos, em São Bernardo, deixando o noivo, Adenilson Precioso, esperando por mais de uma hora para casar.

Luara conta que, logo depois de seu Dia da Noiva (ou seja, após fazer a maquiagem e penteado), estava indo ao casamento, em bufê no bairro Paraíso, em Santo André, quando o motorista contratado para levá-la ao altar, Edésio Mandelli, sugeriu que passasse primeiro para votar. E ela gostou da ideia. Depois da votação, a noiva teve de se apresssar para não perder o compromisso. “Meu noivo está mandando mensagem de que vai embora”, brincou.

CALMARIA
Sem santinhos espalhados pelo chão nem boca de urna nas imediações. Foi dessa forma que estavam ontem os arredores das escolas percorridas pela equipe do Diário no Grande ABC pela manhã. Havia poucas bandeiras, entre as quais algumas do Brasil. “Vim com ela para pensar na Pátria”, disse o comerciante Augusto Toldo, que votou na EE Cynira de Souza, no Rudge Ramos. 

A tranquilidade foi vista nas ruas da região até o fim do horário de votação.

BATERIA
Por problemas na rede pública de energia elétrica, o Colégio Arbos, em Santo André, no bairro Jardim, onde funcionavam sessões de votação, ficou sem luz durante quase uma hora e meia ontem – entre 11h e 12h45 –, o que levou os responsáveis pela 306ª Zona Eleitoral a trocarem as baterias das urnas eletrônicas para que durassem até o fim da votação.

Chefe do cartório da 306ª Zona Eleitoral, Kelly Bassetto explicou que, embora incomum, o fato é previsto e, para isso, conta com baterias reservas. Mesmo com a ausência de energia, as urnas podem operar de forma autônoma normalmente por quatro horas, mas, como tinham ficado funcionando desde as 11h sem a corrente da rede, houve a troca do componente que fornece a carga, em três sessões. Pouco depois, a luz voltou. (Colaborou Luís Felipe Soares)



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Noiva deixa futuro marido no altar da igreja para votar

A caminho do casório, bancária decidiu cumprir seu direito

Leone Farias
Do Diário do Grande ABC

27/10/2014 | 07:00


A bancária Luara Cônego Precioso, 23 anos, foi às urnas ontem para exercer seu direito de cidadã. Até aí, nada de diferente em relação aos milhões de outros eleitores que compareceram para votar. O inusitado é que ela foi vestida de noiva à sua seção eleitoral, na Emeb Viriato Correia, no Rudge Ramos, em São Bernardo, deixando o noivo, Adenilson Precioso, esperando por mais de uma hora para casar.

Luara conta que, logo depois de seu Dia da Noiva (ou seja, após fazer a maquiagem e penteado), estava indo ao casamento, em bufê no bairro Paraíso, em Santo André, quando o motorista contratado para levá-la ao altar, Edésio Mandelli, sugeriu que passasse primeiro para votar. E ela gostou da ideia. Depois da votação, a noiva teve de se apresssar para não perder o compromisso. “Meu noivo está mandando mensagem de que vai embora”, brincou.

CALMARIA
Sem santinhos espalhados pelo chão nem boca de urna nas imediações. Foi dessa forma que estavam ontem os arredores das escolas percorridas pela equipe do Diário no Grande ABC pela manhã. Havia poucas bandeiras, entre as quais algumas do Brasil. “Vim com ela para pensar na Pátria”, disse o comerciante Augusto Toldo, que votou na EE Cynira de Souza, no Rudge Ramos. 

A tranquilidade foi vista nas ruas da região até o fim do horário de votação.

BATERIA
Por problemas na rede pública de energia elétrica, o Colégio Arbos, em Santo André, no bairro Jardim, onde funcionavam sessões de votação, ficou sem luz durante quase uma hora e meia ontem – entre 11h e 12h45 –, o que levou os responsáveis pela 306ª Zona Eleitoral a trocarem as baterias das urnas eletrônicas para que durassem até o fim da votação.

Chefe do cartório da 306ª Zona Eleitoral, Kelly Bassetto explicou que, embora incomum, o fato é previsto e, para isso, conta com baterias reservas. Mesmo com a ausência de energia, as urnas podem operar de forma autônoma normalmente por quatro horas, mas, como tinham ficado funcionando desde as 11h sem a corrente da rede, houve a troca do componente que fornece a carga, em três sessões. Pouco depois, a luz voltou. (Colaborou Luís Felipe Soares)

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;