Fechar
Publicidade

Domingo, 20 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Auricchio oficializa Regina
Maura como pré-candidata

Após reunião com a executiva municipal do partido, médica
é indicada para garantir hegemonia do PTB em São Caetano


Beto Silva
Do Diário do Grande ABC

28/02/2012 | 01:15


A assessora especial de Ação Social de São Caetano, Regina Maura Zetone (PTB), foi anunciada oficialmente ontem como pré-candidata ao Palácio da Cerâmica pelo grupo governista. A indicação foi feita pelo prefeito José Auricchio Júnior (PTB), após reunião com a executiva municipal do partido.

Agora, o quadro de pré-postulantes ao Paço está praticamente definido. Além da petebista, os vereadores Paulo Pinheiro (PMDB) e Edgar Nóbrega (PT) também devem estar na corrida pela sucessão de Auricchio. O Psol ainda não definiu se terá chapa majoritária.

Regina defenderá a continuidade de 30 anos do PTB no poder. Mais do que isso, poderá fazer história ao ser a primeira mulher a comandar a administração, se vencer o pleito de 7 de outubro. Classificada por Auricchio como "a pessoa mais preparada" para ter as rédeas do governo nas mãos, ela deixará o cargo em 6 de junho, limite da lei eleitoral para que agente público com cargo no Executivo saia da função para concorrer à prefeitura.

"Ser candidata não é fácil. Sei da minha responsabilidade. O planejamento do governo Auricchio foi de longo prazo. Veremos alguns resultados daqui a alguns anos. E isso precisa ter continuidade, com justiça social", avaliou Regina Maura, ao declarar prioridade no binômio Educação e Saúde. "Na área educacional, dá para avançar, mas tem de ser bem estudado financeiramente. Na Saúde, Auricchio começou praticamente do zero. Temos de avançar na organização do sistema, com melhor gerenciamento dos processos. A rede de infraestrutura está completa, será preciso aumento no custeio", analisou, com exclusividade ao Diário, momentos antes do evento de oficialização de seu nome.

Segundo Auricchio, foi uma escolha natural. Regina fora seu braço-direito quando era diretor de Saúde, o substituiu na titularidade da Pasta quando virou prefeito, em 2005, e virou supersecretária em 2009, no início da segunda gestão do petebista.

Agora, a assessora terá cronograma político-partidário pela frente. Deixará de ser figura técnica do governo para ser protagonista. Para isso, terá de trabalhar sua imagem perante o eleitorado. Grosso modo, ser mais popular. "Tem de se apresentar. A sociedade quer conhecê-la como pré-candidata, saber qual seu vínculo com a gestão, com o prefeito, com o grupo, seus projetos", recomendou Auricchio. "Ela está me surpreendendo na rua", completou o prefeito.

Depois, na campanha, terá de ser evidenciada como candidata única do governo, já que o vereador Paulo Pinheiro deixou o grupo para ser representante da oposição. Mas grande parte do eleitorado ainda não identificou essa movimentação.

COMPARAÇÃO

A comparação com a eleição de 2004, quando Auricchio venceu o petista Hamilton Lacerda pela menor diferença de votos da história da cidade (o petebista teve 46,4% dos votos válidos e o petista, 32,2%) é inevitável, já que o médico que conquistou a Prefeitura também teve de trabalhar a popularidade.

Mas, para Auricchio, esta eleição será mais fácil do que há oito anos. "Essa não será tão acirrada. Naquela ocasião, tinha fadiga do governo (municipal), momento de ascensão do PT (dois anos antes, Lula havia sido eleito presidente da República), candidatura qualificada e preparada da oposição com Hamilton Lacerda (PT). Foi de muito mais embate, nível de debate muito intenso."

Preterido na corrida, Gilberto Costa rechaça frustração

Cinco meses após trocar o PP pelo PTB impulsionado pela esperança de ser indicado como o candidato governista a prefeito de São Caetano, o secretário de Esportes e Turismo, Gilberto Costa, rechaçou frustração por ter sido preterido no páreo diante de Regina Maura. "Tenho 47 anos. O dia que tiver de ser, será", profetizou.

Gilberto e toda a executiva municipal do PTB, incluindo os quatro vereadores, Auricchio e Regina, se reuniram à noite no Caeps (Centro Avançado de Estudos e Pesquisas Sociais), onde concederam entrevista coletiva. Mais do que reforçar a assessora como pré-candidata, o ato serviu para demonstrar a união petebista em torno de Regina.

"Eu nunca neguei que quando viesse para o PTB aceitaria, que não o meu nome, qualquer outra situação que fosse plausível. E, em cima de análises de pesquisas, a gente viu que a Regina Maura está numa situação mais privilegiada de ganhar a eleição. Nessa linha, deixo de ser candidato para apoiar a candidata do partido", declarou o secretário.

Com a ratificação da pré-candidatura da assessora, resta a Gilberto brigar para compor a chapa governista como vice. Não está descartada, porém, a possibilidade de entrar na corrida para retornar à Câmara. "Vamos dialogar. Sou soldado. E como todo soldado estou disposto a qualquer tipo de disputa, qualquer guerra", afirmou, ressaltando uma certeza. "Vou sair às ruas com minha família e assessores para eleger a Regina."

RECONHECIMENTO

Se Gilberto Costa não conquistou a indicação para encabeçar a chapa do PTB à Prefeitura de São Caetano, ao menos ganhou gesto público de reconhecimento de Auricchio por ajudar na construção do projeto da legenda. "Foi a disputa mais ética e transparente protagonizada no PTB, em especial pela figura do Gilberto", sintetizou o prefeito.

Escolha do vice levará em conta 2014

A escolha do vice que irá compor a chapa com Regina Maura passará por debate sobre a eleição de 2014. Nesse cenário, o PSDB sai na frente, por ser o partido do governador Geraldo Alckmin, que terá papel fundamental neste e no próximo pleito. "O calendário eleitoral implica na ligação de uma eleição com a subsequente. E aí (a escolha do vice) afunila mais", avaliou o prefeito José Auricchio Júnior.

O chefe do Executivo ressaltou, no entanto, que outros critérios serão relevantes para a definição, como diálogo com os 20 partidos do arco de alianças, pesquisa eleitoral e a vontade da pré-candidata Regina Maura. Mas, segundo o petebista, Alckmin estará no palanque do grupo mesmo sem um representante tucano na chapa majoritária.

Outra composição avaliada para a concretização da dobrada são as áreas de atuação dos representantes. Médica, Regina é da área de Saúde. Um integrante do setor educacional é visto com bons olhos. Nesse aspecto, destaca-se o reitor da USCS (Universidade Municipal de São Caetano), Silvio Minciotti, que, de quebra, é presidente do PSDB local.

Apesar dos indícios, Auricchio evitou antecipar qualquer favoritismo e colocou outros nomes com possibilidade de formar a parceria, como o chefe de Gabinete, Luiz Antonio Cicaroni (PP). Inclusive abriu precedente para chapa pura. "Tem partido grande que quer entrar na discussão. Os dois nomes têm atributos que podem compor na chapa. Mas o próprio PTB deve entrar nessa disputa."

A definição ocorrerá entre dois e três meses. E a agenda, agora, é conversar com as duas dezenas de legendas que estão no grupo governista. "Tem de haver conversa olho no olho, ouvi-los, debater, interagir e, na medida do possível, convergir. Esse processo não é tão rápido. Paralelamente, uma questão mais minha, tenho de dialogar com secretários e apoiadores do governo, que até então respeitaram sem opinar. São formadores de opinião, que se destacam em suas áreas e têm qualificação para compor ou desenvolver o plano de governo. E, depois disso, entra o debate do vice", pontuou o prefeito.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;