Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 27 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

MCTA se apresenta na Paraíba


Luís Felipe Soares
Especial para o Diário

30/10/2008 | 07:00


O tradicional grupo MCTA (Movimento Cultural, Teatral e de Artes), de São Caetano, irá representar o Grande ABC no XI Festival Nacional de Artes da Cidade de Areia (PB), no chamado brejo paraibano.

Além de apresentações teatrais, o festival também conta com mostras de dança, música e gastronomia - principal chamariz do evento. Essa é a segunda vez que o MCTA se apresenta no festival. Estiveram por lá há dois anos, com o espetáculo Cante para Eu Dormir.

A companhia encerra a mostra de teatro no dia 7 de novembro com apresentação de Canta Patativa, Canta Sertão, seu atual trabalho. O espetáculo, que estreou em fevereiro, conta histórias de diversos sertanejos que viajam para São Paulo em busca de uma vida melhor. Apesar da mudança, todos ainda têm planos de voltar para sua terra natal.

"Essa viagem vai ser muito importante para o grupo. Aqueles que não conhecem a cultura nordestina vão poder conviver diretamente com ela", diz o diretor e dramaturgo do MCTA, Carlinhos Lira.

A peça conta com a adaptação de alguns versos de Patativa do Assaré, um dos principais nomes da poesia popular. "Eu peguei algumas poesias do Patativa e trouxe para o espetáculo. Aos poucos, costurei o texto com esses versos."

Além do espetáculo teatral, a atração conta um documentário de dez minutos com imagens do sertão. Durante o vídeo, um texto narrado conta o que significa ser um sertanejo. "Estou curioso para ver a reação do público quanto a essa visão que estamos dando deles", afirma Lira.

Ele acredita que a Capital paulista não é mais vista com bons olhos pelos imigrantes. "Hoje São Paulo impõe medo. Os sertanejos deixaram de ver a cidade como o Eldorado a ser conquistado."

A idéia inicial do grupo era aproveitar a viagem e fazer outras apresentações pela região. Mas o fato de a equipe, formada por 12 pessoas, conciliar as atividades no MCTA com outras profissões fez com que a minitemporada fosse deixada de lado.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

MCTA se apresenta na Paraíba

Luís Felipe Soares
Especial para o Diário

30/10/2008 | 07:00


O tradicional grupo MCTA (Movimento Cultural, Teatral e de Artes), de São Caetano, irá representar o Grande ABC no XI Festival Nacional de Artes da Cidade de Areia (PB), no chamado brejo paraibano.

Além de apresentações teatrais, o festival também conta com mostras de dança, música e gastronomia - principal chamariz do evento. Essa é a segunda vez que o MCTA se apresenta no festival. Estiveram por lá há dois anos, com o espetáculo Cante para Eu Dormir.

A companhia encerra a mostra de teatro no dia 7 de novembro com apresentação de Canta Patativa, Canta Sertão, seu atual trabalho. O espetáculo, que estreou em fevereiro, conta histórias de diversos sertanejos que viajam para São Paulo em busca de uma vida melhor. Apesar da mudança, todos ainda têm planos de voltar para sua terra natal.

"Essa viagem vai ser muito importante para o grupo. Aqueles que não conhecem a cultura nordestina vão poder conviver diretamente com ela", diz o diretor e dramaturgo do MCTA, Carlinhos Lira.

A peça conta com a adaptação de alguns versos de Patativa do Assaré, um dos principais nomes da poesia popular. "Eu peguei algumas poesias do Patativa e trouxe para o espetáculo. Aos poucos, costurei o texto com esses versos."

Além do espetáculo teatral, a atração conta um documentário de dez minutos com imagens do sertão. Durante o vídeo, um texto narrado conta o que significa ser um sertanejo. "Estou curioso para ver a reação do público quanto a essa visão que estamos dando deles", afirma Lira.

Ele acredita que a Capital paulista não é mais vista com bons olhos pelos imigrantes. "Hoje São Paulo impõe medo. Os sertanejos deixaram de ver a cidade como o Eldorado a ser conquistado."

A idéia inicial do grupo era aproveitar a viagem e fazer outras apresentações pela região. Mas o fato de a equipe, formada por 12 pessoas, conciliar as atividades no MCTA com outras profissões fez com que a minitemporada fosse deixada de lado.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;