Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 20 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Novos aplausos



28/10/2008 | 07:02


Nada menos do que 31 novos títulos da Coleção Aplauso serão lançados nesta terça-feira na 32ª Mostra de Cinema de São Paulo, com direito a noite de autógrafos com a presença de biografados, autores e ainda o crítico e comentarista Rubens Ewald Filho, coordenador da coleção, e Hubert Alquéres, presidente da Imprensa Oficial e idealizador da Aplauso.

Numa coleção que já soma 156 lançamentos, teatro e cinema são artes presentes tanto pela publicação de peças e roteiros, quanto pela escolha dos realizadores retratados na série perfis. Não raro, essas duas formas de arte disputam espaço na biografia de um mesmo artista, por exemplo, Leonardo Villar, ator formado pela EAD, que iniciou sua carreira no palco do TBC e cujo talento alcançou repercussão internacional graças à sua atuação no filme O Pagador de Promessas.

Seu perfil está entre muitos outros - Beatriz Segall, Cleyde Yáconis, Raul Cortez - já editados anteriormente. Curiosamente cinema e teatro se unem não exatamente na carreira de Walmor Chagas, mas na narrativa do livro Ensaio Aberto para um Homem Indignado. Trata-se da biografia de um homem de teatro escrita por um cineasta, Djalma Limongi, e isso se reflete, por exemplo, na forma como o autor analisa a persona desse ator na sua extrema adequação à atuação diante das câmeras.

Desta vez os lançamentos trazem nomes de grande importância para a cena teatral como Celso Nunes, o diretor da inesquecível montagem de As Lágrimas Amargas de Petra Von Kant, e Isabel Ribeiro, atriz de teatro e cinema, a musa de Rubens Correa no Teatro Ipanema. Sem dúvida Walmor Chagas é um desses artistas e sua biografia, bem escrita, de leitura fluente, dá conta da dimensão de sua contribuição à cena teatral brasileira.

Ao escolher bem o que contar - o autor não se perde em detalhes pessoais e só os aborda quando seu interesse salta o campo privado para o público, como a parceria amorosa com a atriz Cacilda Becker - Limongi justifica uma das frases escritas por Walmor para o solo O Homem Indignado: "Ando misturando demais as coisas na minha cabeça velha, as minhas coisas e as coisas do meu País e as coisas do mundo, tudo ligado, grudado, a craca que a velhice carrega na memória."

Ações importantes como a construção do Teatro Ziembinski na zona norte do Rio com a intenção de ser um pólo de desenvolvimento da dramaturgia brasileira ou momentos de crise como o fracasso na interpretação de Hamlet ou ainda o brilho já no longa São Paulo Sociedade Anônima, de Luis Sérgio Person integram essa narrativa que se lê num fôlego e cujo interesse extrapola a história de um ator - talentoso, inteligente e culto - para ser reflexão sobre a arte teatral brasileira.

Novos títulos

SÉRIE PERFIL
Walmor Chagas, Ensaio Aberto para Um Homem Indignado, de Djalma Limongi Batista.
Arllete Montenegro, Fé, Amor e Emoção , de Alfredo Sternheim.
Celso Nunes, Sem Amarras, de Eliana Rocha .
Geórgia Gomide, uma Atriz Brasileira, de Eliana Pace.
Isabel Ribeiro, Iluminada, de Luís Sérgio Lima e Silva.
Joana Fomm, Minha História é Viver, Vilmar Ledesma.
Lolita Rodrigues, De Carne e Osso, Eliana Castro.
Louise Cardoso, A Mulher do Barbosa, de Vilmar Ledesma.
Regina Braga, Talento É um Aprendizado, de Marta Góes .
Sônia Guedes, Chá das Cinco, de Adélia Nicolete.
Vera Nunes, Raro Talento, de Eliana Pace.

SÉRIE CINEMA BRASIL
Agostinho Martins Pereira, o Idealista, de Maximo Barro.
Antonio Carlos da Fontoura, Espelho da Alma, de Rodrigo Murat.
Geraldo Moraes, O Cineasta do Interior, de Klecius Henrique.
Ivan Cardoso, O Mestre do Terrir, Remier Lion Rocha.
Mauro Alice, um Operário do Filme, de Sheila Schvarzman.
Miguel Borges, um Lobisomem Sai das Sombras, de Antônio Leão da Silva Neto.
Orlando Senna, o Homem da Montanha, de Hermes Leal.
Vladimir Carvalho, Pedras da Lua e Pelejas no Planalto, de Carlos Alberto Mattos.
José Antonio Garcia, de Marcel Nadale.

ROTEIROS
Fim de Linha, de Gustavo Steinberg e Guilherme Werneck.
Estômago, vários autores.
Cidade dos Homens, de Elena Soarez.
Batismo de Sangue, de Dani Patarra e Helvécio Ratton.
Onde Andará Dulce Veiga?, de Guilherme de Almeida Prado.
Os 12 Trabalhos, de Cláudio Yosida. O Ano em que meus Pais Saíram de Férias, vários.
Chega de Saudade, de Luiz Bolognesi.
O Céu de Suely, Karim Aïnouz, Felipe Bragança e Maurício Zacharias.
Quanto Vale ou é por Quilo, Newton Canito e Sergio Bianchi.
Não por acaso, Philippe Barcinski, Fabiana Werneck Barcinski e Eugênio Puppo.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Novos aplausos


28/10/2008 | 07:02


Nada menos do que 31 novos títulos da Coleção Aplauso serão lançados nesta terça-feira na 32ª Mostra de Cinema de São Paulo, com direito a noite de autógrafos com a presença de biografados, autores e ainda o crítico e comentarista Rubens Ewald Filho, coordenador da coleção, e Hubert Alquéres, presidente da Imprensa Oficial e idealizador da Aplauso.

Numa coleção que já soma 156 lançamentos, teatro e cinema são artes presentes tanto pela publicação de peças e roteiros, quanto pela escolha dos realizadores retratados na série perfis. Não raro, essas duas formas de arte disputam espaço na biografia de um mesmo artista, por exemplo, Leonardo Villar, ator formado pela EAD, que iniciou sua carreira no palco do TBC e cujo talento alcançou repercussão internacional graças à sua atuação no filme O Pagador de Promessas.

Seu perfil está entre muitos outros - Beatriz Segall, Cleyde Yáconis, Raul Cortez - já editados anteriormente. Curiosamente cinema e teatro se unem não exatamente na carreira de Walmor Chagas, mas na narrativa do livro Ensaio Aberto para um Homem Indignado. Trata-se da biografia de um homem de teatro escrita por um cineasta, Djalma Limongi, e isso se reflete, por exemplo, na forma como o autor analisa a persona desse ator na sua extrema adequação à atuação diante das câmeras.

Desta vez os lançamentos trazem nomes de grande importância para a cena teatral como Celso Nunes, o diretor da inesquecível montagem de As Lágrimas Amargas de Petra Von Kant, e Isabel Ribeiro, atriz de teatro e cinema, a musa de Rubens Correa no Teatro Ipanema. Sem dúvida Walmor Chagas é um desses artistas e sua biografia, bem escrita, de leitura fluente, dá conta da dimensão de sua contribuição à cena teatral brasileira.

Ao escolher bem o que contar - o autor não se perde em detalhes pessoais e só os aborda quando seu interesse salta o campo privado para o público, como a parceria amorosa com a atriz Cacilda Becker - Limongi justifica uma das frases escritas por Walmor para o solo O Homem Indignado: "Ando misturando demais as coisas na minha cabeça velha, as minhas coisas e as coisas do meu País e as coisas do mundo, tudo ligado, grudado, a craca que a velhice carrega na memória."

Ações importantes como a construção do Teatro Ziembinski na zona norte do Rio com a intenção de ser um pólo de desenvolvimento da dramaturgia brasileira ou momentos de crise como o fracasso na interpretação de Hamlet ou ainda o brilho já no longa São Paulo Sociedade Anônima, de Luis Sérgio Person integram essa narrativa que se lê num fôlego e cujo interesse extrapola a história de um ator - talentoso, inteligente e culto - para ser reflexão sobre a arte teatral brasileira.

Novos títulos

SÉRIE PERFIL
Walmor Chagas, Ensaio Aberto para Um Homem Indignado, de Djalma Limongi Batista.
Arllete Montenegro, Fé, Amor e Emoção , de Alfredo Sternheim.
Celso Nunes, Sem Amarras, de Eliana Rocha .
Geórgia Gomide, uma Atriz Brasileira, de Eliana Pace.
Isabel Ribeiro, Iluminada, de Luís Sérgio Lima e Silva.
Joana Fomm, Minha História é Viver, Vilmar Ledesma.
Lolita Rodrigues, De Carne e Osso, Eliana Castro.
Louise Cardoso, A Mulher do Barbosa, de Vilmar Ledesma.
Regina Braga, Talento É um Aprendizado, de Marta Góes .
Sônia Guedes, Chá das Cinco, de Adélia Nicolete.
Vera Nunes, Raro Talento, de Eliana Pace.

SÉRIE CINEMA BRASIL
Agostinho Martins Pereira, o Idealista, de Maximo Barro.
Antonio Carlos da Fontoura, Espelho da Alma, de Rodrigo Murat.
Geraldo Moraes, O Cineasta do Interior, de Klecius Henrique.
Ivan Cardoso, O Mestre do Terrir, Remier Lion Rocha.
Mauro Alice, um Operário do Filme, de Sheila Schvarzman.
Miguel Borges, um Lobisomem Sai das Sombras, de Antônio Leão da Silva Neto.
Orlando Senna, o Homem da Montanha, de Hermes Leal.
Vladimir Carvalho, Pedras da Lua e Pelejas no Planalto, de Carlos Alberto Mattos.
José Antonio Garcia, de Marcel Nadale.

ROTEIROS
Fim de Linha, de Gustavo Steinberg e Guilherme Werneck.
Estômago, vários autores.
Cidade dos Homens, de Elena Soarez.
Batismo de Sangue, de Dani Patarra e Helvécio Ratton.
Onde Andará Dulce Veiga?, de Guilherme de Almeida Prado.
Os 12 Trabalhos, de Cláudio Yosida. O Ano em que meus Pais Saíram de Férias, vários.
Chega de Saudade, de Luiz Bolognesi.
O Céu de Suely, Karim Aïnouz, Felipe Bragança e Maurício Zacharias.
Quanto Vale ou é por Quilo, Newton Canito e Sergio Bianchi.
Não por acaso, Philippe Barcinski, Fabiana Werneck Barcinski e Eugênio Puppo.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;