Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 2 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Ex-prefeito some com verba do Incra no Pará


Do Diário do Grande ABC

23/01/1999 | 12:56


O juiz Humberto de Castro, da Justiça Federal no Pará, mandou seqüestrar na sexta-feira todos os bens e determinou a quebra de sigilo bancário do ex-prefeito Milanez Auzier Pinheiro (PMDB), do município de Aveiro, no oeste do Estado. Ele foi denunciado em 1996 pelo Ministério Público Federal por ter se apropriado e desaparecido com R$ 521 mil do Instituto Nacional de Colonizaçao e Reforma Agrária (Incra).

O dinheiro seria utilizado na eletrificaçao rural do Projeto Cupari, um assentamento onde vivem 600 famílias de agricultores. Além da verba, Pinheiro também embolsou outros R$ 25 mil repassados pelo Incra para melhoria da infra-estrutura e construçao de estradas vicinais de acesso ao assentamento.

"Ele está todo enrolado na Justiça e deve ir para a cadeia quando for localizado pela polícia", afirmou o atual prefeito de Aveiro, Reginaldo Maia (PTB).

Segundo o prefeito, Pinheiro também responde na Justiça Federal por crime de corrupçao. Ele teve seu mandato cassado pela Câmara Municipal por ter desaparecido de Aveiro com R$ 621 mil. "Até hoje, o povo quer o couro dele. O dinheiro era do 13% salário de 1996, que ninguém recebeu na prefeitura. Estou negociando para pagar parceladamente", acrescenta Maia, informando que o acusado assinou "dez cheques sem fundos da conta da prefeitura".

Cerca de R$ 200 mil da verba do município teriam sido depositados na conta pessoal de Pinheiro. "Já mandei ofício para todos os cartórios da regiao tentando levantar os bens do ex- prefeito, que nao sao poucos, graças aos golpes que ele andou aplicando", emenda o advogado da prefeitura, Mailton Ferreira.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Ex-prefeito some com verba do Incra no Pará

Do Diário do Grande ABC

23/01/1999 | 12:56


O juiz Humberto de Castro, da Justiça Federal no Pará, mandou seqüestrar na sexta-feira todos os bens e determinou a quebra de sigilo bancário do ex-prefeito Milanez Auzier Pinheiro (PMDB), do município de Aveiro, no oeste do Estado. Ele foi denunciado em 1996 pelo Ministério Público Federal por ter se apropriado e desaparecido com R$ 521 mil do Instituto Nacional de Colonizaçao e Reforma Agrária (Incra).

O dinheiro seria utilizado na eletrificaçao rural do Projeto Cupari, um assentamento onde vivem 600 famílias de agricultores. Além da verba, Pinheiro também embolsou outros R$ 25 mil repassados pelo Incra para melhoria da infra-estrutura e construçao de estradas vicinais de acesso ao assentamento.

"Ele está todo enrolado na Justiça e deve ir para a cadeia quando for localizado pela polícia", afirmou o atual prefeito de Aveiro, Reginaldo Maia (PTB).

Segundo o prefeito, Pinheiro também responde na Justiça Federal por crime de corrupçao. Ele teve seu mandato cassado pela Câmara Municipal por ter desaparecido de Aveiro com R$ 621 mil. "Até hoje, o povo quer o couro dele. O dinheiro era do 13% salário de 1996, que ninguém recebeu na prefeitura. Estou negociando para pagar parceladamente", acrescenta Maia, informando que o acusado assinou "dez cheques sem fundos da conta da prefeitura".

Cerca de R$ 200 mil da verba do município teriam sido depositados na conta pessoal de Pinheiro. "Já mandei ofício para todos os cartórios da regiao tentando levantar os bens do ex- prefeito, que nao sao poucos, graças aos golpes que ele andou aplicando", emenda o advogado da prefeitura, Mailton Ferreira.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;