Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 2 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

dmais@dgabc.com.br | 4435-8396

Fuja da micose


Miriam Gimenes
Do Diário do Grande ABC

20/01/2008 | 07:05


Sol, mar, piscina e calor. Para muitos, esta combinação é sinônimo de bem-estar. Mesmo assim, o que não deve ser deixado de lado nos momentos de lazer são os cuidados com a saúde. Nesta época do ano, algumas doenças costumam se manifestar com mais freqüência, entre elas a micose.

Causada por fungos que se instalam na pele, virilha e unhas, a doença – dividida em superficial e profunda – pode ser contraída tanto na areia contaminada quanto na piscina com água sem cloro. E seu tratamento, em alguns casos, pode levar até um ano.

Segundo o dermatologista Valter Claudino, da Beneficência Portuguesa de Santo André, o tipo de micose mais freqüente no verão é a chamada pano branco – o fungo forma uma barreira do sol e diminui a produção de melanina. “Fezes de animais na areia e piscina com água não tratada são potenciais transmissores da micose, que gosta de calor e umidade.”

A recomendação do especialista é que se freqüente clubes ou piscinas em que seja exigido o exame médico. Na praia, não ande descalço e sempre use cangas ou toalhas para se sentar.

RISCO

Outros ambientes propícios para contrair a patologia são os vestiários, boxes de banheiro e locais úmidos. “É preciso ficar atento se esses lugares são devidamente desinfetados e não usar peças de outras pessoas”, diz o dermatologista Carlos Augusto Pereira da Silva, de Santo André.

Ao primeiro sinal de coceira, descamação e até fissuras na pele, a dermatologista Cristina Laczynski, de Santo André, recomenda procurar um profissional. “Mas deve-se ressaltar que nem toda coceira é micose, porém é bom procurar sempre tratamento.”

Tipos

Micose de unha: comum nas mãos e nos pés das mulheres, a patologia causa uma minúscula mancha branca no canto da unha e pode descolá-la.

Frieira ou pé-de-atleta: o fungo fica entre os dedos dos pés, provoca coceira e deixa a pele esbranquiçada.

Micose do corpo: são lesões escamosas, circulares e com bordas elevadas. Geralmente atingem braços, joelhos e axilas.

Micose da virilha: manchas avermelhadas, úmidas e descamativas aparecem na região da virilha. Causam coceira e podem se alastrar até as nádegas e o abdome. Comum em homens.

Micose de praia ou pano branco: aparece em forma de manchas brancas na pele, mas podem ser acastanhadas ou avermelhadas. Contrai-se em piscinas, praias ou onde há muita concentração de pessoas.


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Fuja da micose

Miriam Gimenes
Do Diário do Grande ABC

20/01/2008 | 07:05


Sol, mar, piscina e calor. Para muitos, esta combinação é sinônimo de bem-estar. Mesmo assim, o que não deve ser deixado de lado nos momentos de lazer são os cuidados com a saúde. Nesta época do ano, algumas doenças costumam se manifestar com mais freqüência, entre elas a micose.

Causada por fungos que se instalam na pele, virilha e unhas, a doença – dividida em superficial e profunda – pode ser contraída tanto na areia contaminada quanto na piscina com água sem cloro. E seu tratamento, em alguns casos, pode levar até um ano.

Segundo o dermatologista Valter Claudino, da Beneficência Portuguesa de Santo André, o tipo de micose mais freqüente no verão é a chamada pano branco – o fungo forma uma barreira do sol e diminui a produção de melanina. “Fezes de animais na areia e piscina com água não tratada são potenciais transmissores da micose, que gosta de calor e umidade.”

A recomendação do especialista é que se freqüente clubes ou piscinas em que seja exigido o exame médico. Na praia, não ande descalço e sempre use cangas ou toalhas para se sentar.

RISCO

Outros ambientes propícios para contrair a patologia são os vestiários, boxes de banheiro e locais úmidos. “É preciso ficar atento se esses lugares são devidamente desinfetados e não usar peças de outras pessoas”, diz o dermatologista Carlos Augusto Pereira da Silva, de Santo André.

Ao primeiro sinal de coceira, descamação e até fissuras na pele, a dermatologista Cristina Laczynski, de Santo André, recomenda procurar um profissional. “Mas deve-se ressaltar que nem toda coceira é micose, porém é bom procurar sempre tratamento.”

Tipos

Micose de unha: comum nas mãos e nos pés das mulheres, a patologia causa uma minúscula mancha branca no canto da unha e pode descolá-la.

Frieira ou pé-de-atleta: o fungo fica entre os dedos dos pés, provoca coceira e deixa a pele esbranquiçada.

Micose do corpo: são lesões escamosas, circulares e com bordas elevadas. Geralmente atingem braços, joelhos e axilas.

Micose da virilha: manchas avermelhadas, úmidas e descamativas aparecem na região da virilha. Causam coceira e podem se alastrar até as nádegas e o abdome. Comum em homens.

Micose de praia ou pano branco: aparece em forma de manchas brancas na pele, mas podem ser acastanhadas ou avermelhadas. Contrai-se em piscinas, praias ou onde há muita concentração de pessoas.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;