Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 5 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Turismo

turismo@dgabc.com.br | 4435-8367

Passeios reservados só para solteiros


Heloísa Cestari
Do Diário do Grande ABC

25/05/2006 | 08:34


Para quem ainda não encontrou a cara-metade, algumas agências especializadas nos chamados roteiros just for singles oferecem pacotes exclusivos para solteiros que prometem diversão, amizades e, é claro, muita paquera.

“A nossa proposta não é formar casais, mas a maioria dos nossos clientes, mesmo que não confesse, procura um par. Diria que cerca de 90% de todos os homens e mulheres que viajam conosco”, comenta Iolanda Cardoso de Oliveira, proprietária da Terrazul Turismo, uma das poucas empresas do Brasil especializadas no segmento, embora o mercado single tenha se revelado em franca expansão. “De acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o Brasil possui 85 milhões de pessoas sozinhas, sendo que, deste contingente, 11 milhões são descasados e o restante, solteiros.”

Para atender à demanda de viajantes solitários que não desejam correr o risco de se sentir isolados num grupo formado apenas por famílias, a agência transformou as viagens para solteiros no carro-chefe de seus roteiros a partir de 1998. Naquela época, a empresa realizava apenas uma excursão por mês. Hoje, há saídas praticamente todas as semanas e para grupos com número muito maior de pessoas – algumas viagens chegam a 250 passageiros.

Como a maioria do público é formada por mulheres, as empresas procuram equilibrar os contingentes masculino e feminino para que o passeio não acabe por se transformar num perfeito Clube da Luluzinha. “Cerca de 70% dos nossos clientes são mulheres, mas restringimos a participação feminina nas excursões a, no máximo, 60%, pois elas mesmas não vão gostar se houver poucos homens no grupo”, explica Iolanda.

Destino – Assim como os casais em lua-de-mel, os solteiros também procuram locais que inspirem o clima de romance, como Campos do Jordão (SP), Monte Verde (MG) e Búzios (RJ). A diferença é que não abrem mão do agito noturno e muito menos dos passeios opcionais diurnos. Mesmo assim, algumas distinções são observadas entre homens e mulheres na hora de definir o roteiro. “Homens, em geral, gostam de atividades de aventura, como trilhas e esportes radicais, enquanto as mulheres preferem ir às compras”, explica Iolanda, lembrando que cerca de 70% de seus clientes pertence à faixa etária de 30 a 45 anos e que pelo menos 50% deles repetem a viagem. “O nosso público é muito fiel. Temos pessoas que já fizeram mais de 100 excursões e há vários clientes que vêm de outros países só para viajar conosco, pois poucas empresas oferecem este tipo de passeio.”

Além da vantagem de se fazer grandes amigos e, quem sabe, até namorar, viajar com grupos de solteiros pode ser uma boa forma de economizar. “Fora o risco de se sentir deslocado, quem viaja sozinho tem de desembolsar 50% a mais com hospedagem para ficar num apartamento single. Sai muito caro”, diz Iolanda.

A secretária-executiva Rosana Neves, 38 anos, de São Caetano, foi para a cidade mineira de Capitólio durante o feriado de 1° de maio, numa excursão just for singles e gostou tanto que já planeja embarcar em outra viagem do gênero no final deste mês, desta vez com destino a Brotas. “Como não tinha nenhum colega que pudesse viajar comigo, optei por este tipo de roteiro e adorei. Fiz muitos amigos com quem mantenho contato até hoje. Além da vantagem de poder viajar sozinha, a hospedagem fica mais barata em apartamento duplo e não se corre o risco de ficar só no meio de casais. Sem falar que as pessoas são mais receptivas, predispostas a conhecer os outros. As festas também ajudam no entrosamento.”

Outro benefício refere-se à qualidade dos encontros. “Viagens são uma boa forma de se arrumar um namorado. Você observa a pessoa, passa mais tempo com ela do que se estivesse num barzinho e, com isso, tem a oportunidade de conhecê-la melhor. Temos um cliente que casou já na primeira viagem que fez a Brotas”, completa Iolanda.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Passeios reservados só para solteiros

Heloísa Cestari
Do Diário do Grande ABC

25/05/2006 | 08:34


Para quem ainda não encontrou a cara-metade, algumas agências especializadas nos chamados roteiros just for singles oferecem pacotes exclusivos para solteiros que prometem diversão, amizades e, é claro, muita paquera.

“A nossa proposta não é formar casais, mas a maioria dos nossos clientes, mesmo que não confesse, procura um par. Diria que cerca de 90% de todos os homens e mulheres que viajam conosco”, comenta Iolanda Cardoso de Oliveira, proprietária da Terrazul Turismo, uma das poucas empresas do Brasil especializadas no segmento, embora o mercado single tenha se revelado em franca expansão. “De acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o Brasil possui 85 milhões de pessoas sozinhas, sendo que, deste contingente, 11 milhões são descasados e o restante, solteiros.”

Para atender à demanda de viajantes solitários que não desejam correr o risco de se sentir isolados num grupo formado apenas por famílias, a agência transformou as viagens para solteiros no carro-chefe de seus roteiros a partir de 1998. Naquela época, a empresa realizava apenas uma excursão por mês. Hoje, há saídas praticamente todas as semanas e para grupos com número muito maior de pessoas – algumas viagens chegam a 250 passageiros.

Como a maioria do público é formada por mulheres, as empresas procuram equilibrar os contingentes masculino e feminino para que o passeio não acabe por se transformar num perfeito Clube da Luluzinha. “Cerca de 70% dos nossos clientes são mulheres, mas restringimos a participação feminina nas excursões a, no máximo, 60%, pois elas mesmas não vão gostar se houver poucos homens no grupo”, explica Iolanda.

Destino – Assim como os casais em lua-de-mel, os solteiros também procuram locais que inspirem o clima de romance, como Campos do Jordão (SP), Monte Verde (MG) e Búzios (RJ). A diferença é que não abrem mão do agito noturno e muito menos dos passeios opcionais diurnos. Mesmo assim, algumas distinções são observadas entre homens e mulheres na hora de definir o roteiro. “Homens, em geral, gostam de atividades de aventura, como trilhas e esportes radicais, enquanto as mulheres preferem ir às compras”, explica Iolanda, lembrando que cerca de 70% de seus clientes pertence à faixa etária de 30 a 45 anos e que pelo menos 50% deles repetem a viagem. “O nosso público é muito fiel. Temos pessoas que já fizeram mais de 100 excursões e há vários clientes que vêm de outros países só para viajar conosco, pois poucas empresas oferecem este tipo de passeio.”

Além da vantagem de se fazer grandes amigos e, quem sabe, até namorar, viajar com grupos de solteiros pode ser uma boa forma de economizar. “Fora o risco de se sentir deslocado, quem viaja sozinho tem de desembolsar 50% a mais com hospedagem para ficar num apartamento single. Sai muito caro”, diz Iolanda.

A secretária-executiva Rosana Neves, 38 anos, de São Caetano, foi para a cidade mineira de Capitólio durante o feriado de 1° de maio, numa excursão just for singles e gostou tanto que já planeja embarcar em outra viagem do gênero no final deste mês, desta vez com destino a Brotas. “Como não tinha nenhum colega que pudesse viajar comigo, optei por este tipo de roteiro e adorei. Fiz muitos amigos com quem mantenho contato até hoje. Além da vantagem de poder viajar sozinha, a hospedagem fica mais barata em apartamento duplo e não se corre o risco de ficar só no meio de casais. Sem falar que as pessoas são mais receptivas, predispostas a conhecer os outros. As festas também ajudam no entrosamento.”

Outro benefício refere-se à qualidade dos encontros. “Viagens são uma boa forma de se arrumar um namorado. Você observa a pessoa, passa mais tempo com ela do que se estivesse num barzinho e, com isso, tem a oportunidade de conhecê-la melhor. Temos um cliente que casou já na primeira viagem que fez a Brotas”, completa Iolanda.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;