Fechar
Publicidade

Sábado, 31 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Santos obtém terceira vitória na Libertadores e se aproxima das oitavas de final



25/09/2020 | 01:00


O Santos derrotou o Delfín, neste início de madrugada de sexta-feira, em Manta, por 2 a 1, e se aproximou da classificação para as oitavas de final da Copa Libertadores. Líder do Grupo G, o time de Vila Belmiro alcançou os dez pontos e deixou o adversário com apenas um. O argentino Defensa y Justicia soma seis, enquanto o paraguaio Olímpia tem cinco.

O Santos volta a jogar pela Libertadores na próxima quinta-feira, em Assunção, frente ao Olimpia, enquanto o Delfin recebe no mesmo dia o Defensa y Justicia.

A facilidade com quem o Santos atuou no primeiro tempo não parecia que o jogo está sendo disputado na cidade de Manta, no litoral equatoriano. O time do técnico Cuca teve liberdade para se impor e atuou grande parte dos 45 minutos no campo de ataque.

O Delfín adotou uma postura de contra-ataque, mas a falta de velocidade impediu que o time da casa conseguisse surpreender os santistas. A opção foi arriscar de longe, sem sucesso. Na única vez em que chegou na área, Valencia obrigou João Paulo a fazer bela defesa, ratificando a sua boa fase.

Sempre com espaços para progredir, o Santos abriu o placar, aos 17 minutos. Soteldo escapou pela esquerda e cruzou na cabeça de Marinho: 1 a 0. E o atacante voltou a ser decisivo para o Santos.

Apesar da vantagem, o Santos permaneceu com a mesma postura ofensiva e praticamente não foi incomodado pelo adversário, que ficou em situação pior quando o zagueiro Carlos Rodríguez fez duas faltas em sequência e acabou expulso.

O primeiro tempo só não foi melhor para o Santos, pois o zagueiro Lucas Veríssimo sentiu uma lesão muscular na perna direita e teve de ser substituído por Alex.

O segundo tempo começou ainda mais fácil para o Santos. O ataque inteiro teve chance de fazer o segundo gol, Carlos Sánchez, Kayo Jorge e Arthur Gomes falharam. Marinho perdeu um gol incrível. Com isso, o ditado mais usado no futebol voltou a ser usado: 'quem não faz, toma'.

Em uma jogada despretensiosa do time equatoriano, Janner Corozo invadiu a área, passou pela marcação e cruzou para Rojas, que acabara de entrar: 1 a 1, aos 29 minutos. Mas a estrela do técnico Cyca brilhou com intensidade. Dois de seus jogadores que entraram na etapa final foram os responsáveis diretos pelo segundo gol.

Marinho lançou Raniel na direita e o cruzamento rasteiro foi perfeito para a entrada em velocidade de Jean Mota, que acabara de substituir Kaio Jorge. A partir daí, o time de Vila Belmiro tocou a bola e soube usar a vantagem de ter um jogador a mais para obter importante vitória.

FICHA TÉCNICA

DELFIN 1 X 2 SANTOS

DELFIN - Dennis Corozo; Jonathan González (Cifuentes), Cangá, Carlos Rodríguez e Nazareno; Vélez, Ortiz, Villalva (Rojas) e Janner Corozo; Valencia (Benítez) e Garcês. Técnico: Miguel Zahzú.

SANTOS - João Paulo; Pará, Lucas Veríssimo (Alex), Luan Peres e Felipe Jonatan; Diego Pituca, Carlos Sánchez e Arthur Gomes (Raniel); Marinho, Kaio Jorge (Jean Mota) e Soteldo. Técnico: Cuca.

GOL - Marinho aos 17 minutos do primeiro tempo. Rojas aos 29 e Jean Mota aos 36 minutos.

ÁRBITRO - Kevin Ortega (PER).

CARTÕES AMARELOS - Valência, Canga, Lucas Veríssimo, Pará, Marinho, Nazareno e Luan Peres.

CARTÃO VERMELHO - Carlos Rodríguez.

RENDA E PÚBLICO - Jogo disputado com portões fechados.

LOCAL - Estádio Jocay, em Manta, Equador.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Santos obtém terceira vitória na Libertadores e se aproxima das oitavas de final


25/09/2020 | 01:00


O Santos derrotou o Delfín, neste início de madrugada de sexta-feira, em Manta, por 2 a 1, e se aproximou da classificação para as oitavas de final da Copa Libertadores. Líder do Grupo G, o time de Vila Belmiro alcançou os dez pontos e deixou o adversário com apenas um. O argentino Defensa y Justicia soma seis, enquanto o paraguaio Olímpia tem cinco.

O Santos volta a jogar pela Libertadores na próxima quinta-feira, em Assunção, frente ao Olimpia, enquanto o Delfin recebe no mesmo dia o Defensa y Justicia.

A facilidade com quem o Santos atuou no primeiro tempo não parecia que o jogo está sendo disputado na cidade de Manta, no litoral equatoriano. O time do técnico Cuca teve liberdade para se impor e atuou grande parte dos 45 minutos no campo de ataque.

O Delfín adotou uma postura de contra-ataque, mas a falta de velocidade impediu que o time da casa conseguisse surpreender os santistas. A opção foi arriscar de longe, sem sucesso. Na única vez em que chegou na área, Valencia obrigou João Paulo a fazer bela defesa, ratificando a sua boa fase.

Sempre com espaços para progredir, o Santos abriu o placar, aos 17 minutos. Soteldo escapou pela esquerda e cruzou na cabeça de Marinho: 1 a 0. E o atacante voltou a ser decisivo para o Santos.

Apesar da vantagem, o Santos permaneceu com a mesma postura ofensiva e praticamente não foi incomodado pelo adversário, que ficou em situação pior quando o zagueiro Carlos Rodríguez fez duas faltas em sequência e acabou expulso.

O primeiro tempo só não foi melhor para o Santos, pois o zagueiro Lucas Veríssimo sentiu uma lesão muscular na perna direita e teve de ser substituído por Alex.

O segundo tempo começou ainda mais fácil para o Santos. O ataque inteiro teve chance de fazer o segundo gol, Carlos Sánchez, Kayo Jorge e Arthur Gomes falharam. Marinho perdeu um gol incrível. Com isso, o ditado mais usado no futebol voltou a ser usado: 'quem não faz, toma'.

Em uma jogada despretensiosa do time equatoriano, Janner Corozo invadiu a área, passou pela marcação e cruzou para Rojas, que acabara de entrar: 1 a 1, aos 29 minutos. Mas a estrela do técnico Cyca brilhou com intensidade. Dois de seus jogadores que entraram na etapa final foram os responsáveis diretos pelo segundo gol.

Marinho lançou Raniel na direita e o cruzamento rasteiro foi perfeito para a entrada em velocidade de Jean Mota, que acabara de substituir Kaio Jorge. A partir daí, o time de Vila Belmiro tocou a bola e soube usar a vantagem de ter um jogador a mais para obter importante vitória.

FICHA TÉCNICA

DELFIN 1 X 2 SANTOS

DELFIN - Dennis Corozo; Jonathan González (Cifuentes), Cangá, Carlos Rodríguez e Nazareno; Vélez, Ortiz, Villalva (Rojas) e Janner Corozo; Valencia (Benítez) e Garcês. Técnico: Miguel Zahzú.

SANTOS - João Paulo; Pará, Lucas Veríssimo (Alex), Luan Peres e Felipe Jonatan; Diego Pituca, Carlos Sánchez e Arthur Gomes (Raniel); Marinho, Kaio Jorge (Jean Mota) e Soteldo. Técnico: Cuca.

GOL - Marinho aos 17 minutos do primeiro tempo. Rojas aos 29 e Jean Mota aos 36 minutos.

ÁRBITRO - Kevin Ortega (PER).

CARTÕES AMARELOS - Valência, Canga, Lucas Veríssimo, Pará, Marinho, Nazareno e Luan Peres.

CARTÃO VERMELHO - Carlos Rodríguez.

RENDA E PÚBLICO - Jogo disputado com portões fechados.

LOCAL - Estádio Jocay, em Manta, Equador.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;