Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 27 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

PF investiga grampo na casa de Inocêncio


Das Agências

03/02/2001 | 00:36


A Polícia Federal está investigando a procedência de uma escuta telefônica encontrada quinta-feira na casa do líder do PFL na Câmara e candidato à presidência da Casa, Inocêncio Oliveira (PE). O laudo técnico sobre a escute deverá sair apenas na segunda-feira.

O aparelho achado na casa de Inocêncio é um interceptador de comunicações, que capta conversas telefônicas e de ambientes e pode retransmiti-las a uma central, via rádio, com a utilização de sinal RF por uma freqüência modulada (FM). O aparelho estava instalado em uma das duas linhas telefônicas da casa do deputado.

Na próxima semana, peritos do Instituto Nacional de Criminalística, da Polícia Federal, vão realizar testes complementares com o equipamento para avaliar seu alcance de transmissão. Com esses testes, a PF pretende identificar se o transmissor estaria sendo utilizado para interceptar as conversas de ambiente ou apenas as conversas telefônicas da casa de Inocêncio Oliveira. A conclusão dos testes será indispensável para a continuidade do inquérito sobre um possível grampo telefônico.

Apesar de assessores de Inocêncio afirmarem que o equipamento encontrado seria sofisticado, peritos da Polícia Federal negam. Segundo a descrição do aparelho pela PF, o equipamento tem características de interceptador industrial, mas não é de tecnologia avançada ou apresenta qualquer grau de sofisticação. A PF informou que o radiotransmissor pode ser adquirido tanto no Brasil quanto no exterior em lojas especializadas em equipamentos eletrônicos. O aparelho, segundo um delegado da PF, custaria hoje em torno de US$ 2 mil.

Para o deputado Roberto Brant (PFL-MG), que foi à casa de Inocêncio na noite em que o grampo foi encontrado, uma eventual divulgação das conversas do deputado poderá prejudicar sua candidatura. “Se, por exemplo, um deputado do PMDB que já confirmou voto a Inocêncio tiver sua conversa divulgada, pode voltar atrás se pressionado pelo partido”, argumentou Brant.

Sextam havia comentários de que os telefones na casa do deputado em Recife também estariam grampeados.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;