Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 2 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Crise e superação

E a crise vai se avolumando, infelizmente...


Dom Pedro Carlos Cipollini

21/03/2016 | 07:00


E a crise vai se avolumando, infelizmente. Ninguém pode negar que estamos em crise. É uma crise política que se reflete na economia e no social. As duas são, a meu ver, frutos de uma grande crise ética e moral, crise esta que vem de longe e que recrudesceu nos últimos anos. A luta pelo poder é acirrada e, a cada dia, podemos constatar que o poder pelo poder corrompe.

É certo que a pobreza e a miséria devem ser combatidas, mas não se pode justificar a violência que toma conta da sociedade, com a injustiça social a ser combatida. De repente estamos em meio a uma situação onde alguns parecem pregar que toda propriedade privada seja um roubo, roubo que justifica todos os outros. A corrupção se instalou de alto a baixo na sociedade. Por sorte as tentativas de justificá-la estão sendo combatidas, inclusive pela Operação Lava Jato. A partir do momento histórico que vivemos, que nos seja permitido avançar na construção de uma sociedade mais justa e solidária.

À medida que a crise se torna aguda, com o desemprego aumentando e a diminuição de recursos básicos, inclusive na Saúde, perguntamos: o que fazer? É certo que medidas práticas na área da gestão econômica devem ser tomadas. Porém, para vencer a crise de credibilidade, o desânimo e a falta de perspectivas que assombram a sociedade, não basta se lamentar. É preciso levantar a cabeça, olhar para frente, com esperança.

A racionalidade econômica se impõe e busca se estabelecer como única saída aceitável para solucionar os problemas mais urgentes que temos. Aí o lucro se torna o único critério de decisão. É a ‘religião econômica’ do deus dinheiro, cuja liturgia a ser celebrada é o consumo. A ‘religião econômica’, a idolatria do deus dinheiro, dizem, deve produzir a salvação que, segundo o economista W. Jevons, consiste em “satisfazer nossos desejos no grau máximo, com o mínimo de esforço, para assim maximalizar o prazer.”

Tudo isto já existe, está em curso. Porém, não se soluciona o drama humano assim. Sem Deus o homem não se explica, se complica. Uma sociedade que rejeita a ética do amor fraterno não sai da crise. A invocação de amar o próximo como a si mesmo, assim como ensinou Jesus, é um dos preceitos fundamentais da vida civilizada. “O amor próprio é uma questão de sobrevivência, e a sobrevivência não precisa de mandamentos...”, porém, “Aceitar o preceito do amor ao próximo é o ato de origem da humanidade”, afirma Z. Bauman em sua obra conhecida (cf. Amor líquido, pp. 98-99). A superação da crise passa pelo cumprimento dos mandamentos de Deus, sintetizados no mandamento do amor.

O amor começa com Deus e é transmitido a nós por Jesus Cristo, seu Filho. Deus amou tanto o mundo que deu seu Filho único para salvá-lo (cf. Jo 3,16). Em Jesus, Deus entra na História para salvar a humanidade do pecado, que se expressa no egoísmo gerador de morte. Ao não compactuar com o sistema de idolatria deste mundo, sem Deus e sem ética (porque sem fé no amor), Jesus teve a sorte de todos os que o rejeitam: a morte. Jesus aceitou conscientemente a morte, mesmo podendo se livrar dela. Mas, entrando na morte, ele a fez implodir. Venceu a morte e nos deu a vida. É este o cerne do mistério cristão que celebramos na Semana Santa: o Mistério Pascal: Morte e Ressurreição, que ensina a superação das crises.

Que Deus abençoe nosso Brasil e nos dê esperança. A Páscoa é festa de libertação, passagem da escravidão para a liberdade, das trevas à luz. Que tenhamos uma boa e feliz Páscoa!

* Dom Pedro Carlos Cipollini é bispo diocesano de Santo André. 



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;