Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 6 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Prefeituras apostam em pacto nacional para alfabetizar crianças até 8 anos de idade

Denis Maciel/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Programa federal, criado em 2012, acredita que capacitação dos professores é o caminho


Bia Moço
Especial para o Diário

15/11/2017 | 07:00


 Quando se fala em alfabetização – cujo dia nacional foi celebrado ontem – é fundamental pensar na capacitação dos professores. Este, inclusive, é o caminho trilhado pelo Pnaic (Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa), programa federal que estabelece que crianças saibam ler e escrever até o fim do 3º ano do Ensino Fundamental, aos 8 anos. Na região, todas as cidades aderiram ao pacto, que existe desde 2012, e tem a função de se fazer cumprir a meta 5 do PNE (Plano Nacional da Educação).

Ao participar do programa, as sete cidades cumprem o protocolo, que estabelece a formação de professores e a multiplicação dos conhecimentos para toda a equipe escolar. As ações do pacto contam com conjunto integrado de programas, materiais e referências curriculares e pedagógicas, disponibilizados pelo Ministério da Educação, tendo como eixo principal a formação continuada dos professores alfabetizadores. De acordo com o MEC, essas ações foram complementadas por outros três eixos de atuação: materiais didáticos e pedagógicos, avaliações e controle social e mobilização.

Para a coordenadora de projetos educacionais do Pnaic de Santo André, Adriana Maria Biaggio Frenham, a alfabetização depende da capacidade do professor. “O pacto trouxe configuração muito importante, que é justamente a discussão da prática educacional e alfabética. Por isso o impacto é tão positivo, pois prepara o professor para a sala de aula.”

Com debates sobre como novas práticas de alfabetização devem ser aplicadas, a formação instrumenta o professor com discussões de qual é a melhor forma de ensinar o aluno e de levar o conteúdo para a aula. “Se o tutor não está preparado, não faz diferença se o aluno será alfabetizado com 7 ou 8 anos, depende de quem ensina. Com boas práticas é possível alfabetizar crianças até com 6 anos. Claro que isso depende do caso, há crianças com mais ou menos facilidade, mas acredito que a formação continuada causa impactos na prática, aplicação e até mesmo em respeitar o tempo de cada aluno sabendo como trazer o melhor método.”

A nova Base Nacional Curricular determina a antecipação do processo de alfabetização do 3º ano do Ensino Fundamental para o 2º ano do Ensino Fundamental. A determinação só deve ser finalizada no próximo ano e, posteriormente, se aprovada, implementada.

Embora ainda seja assunto na pauta, a Secretaria da Educação do Estado anunciou, em 2013, meta “audaciosa” de alfabetizar crianças aos 7 anos de idade – um ano a menos do que a meta estipulada para todo o Brasil até então, de 8 anos. De acordo com o Estado, hoje 98,7% dos alunos do 2º ano do Ensino Fundamental da rede estadual já sabem ler e escrever.

A última cidade da região a aderir ao Pnaic foi Ribeirão Pires, no dia 6 de novembro. O programa irá capacitar cerca de 164 profissionais, entre coordenadores e professores, abrangendo 1.500 alunos do Ensino Fundamental e 2.800 da Educação Infantil.

Santo André informou que aderiu ao programa em 2012 e, assim como São Bernardo e São Caetano, realiza a formação dos professores, conforme determinação do MEC.

Em Rio Grande da Serra, o Ensino Fundamental é de responsabilidade do governo do Estado, já que a rede pública municipal conta apenas com a Educação Infantil e, portanto, não utiliza o programa.

Já as prefeituras de Mauá e Diadema não se pronunciaram sobre o tema até o fechamento desta edição.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;