Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 20 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

S.Bernardo lança programa para minimizar os impactos da chuva

Celso Luiz/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Vanessa de Oliveira
Do Diário do Grande ABC

07/02/2017 | 07:00


 A Prefeitura de São Bernardo lançou ontem a Operação Pé D’água – Prevenção e Mobilização, voltada a ações de prevenção dos impactos da chuva. A medida é uma continuidade da Operação Guarda-Chuva (iniciativa lançada pela gestão anterior, em 2010), com algumas poucas mudanças.

Entre as novidades está o prolongamento das atividades, que antes eram encerradas em 15 de abril. O novo programa se estenderá até o quarto mês do ano.

Houve acréscimo também no número de secretarias envolvidas no projeto gerenciado pela Defesa Civil. “Eram oito, agora são 13 (Pastas). A Defesa Civil vai capacitar mais agentes de outras secretarias; tem uma ação muito urgente, a Defesa Civil terá um número maior de apoiadores”, falou o prefeito Orlando Morando (PSDB). Atualmente, o órgão municipal conta com 24 agentes, “Já estamos treinando e esperamos passar de 100 pessoas (voluntárias)”, completou o chefe do Executivo.

Outro ponto que ganhou reforço foi a frota de veículos da Defesa Civil – passando de quatro para cinco viaturas –, e a quantidade de pluviômetros, que de 41 pertencentes à iniciativa privada (que compartilham as informações), aumentou para 51, com a aquisição de mais dez pela Prefeitura. Morando não soube informar o custo despendido na compra dos equipamentos. “Temos ponto em que o solo não é favorável e pode ser levado a deslizamento, mas todos são monitorados e daí a eficiência de ter mais pluviômetros, porque a partir de um volume depositado naquela região você passa a ter um risco maior”, disse o prefeito.

A cidade possui atualmente 162 setores de risco e 1.654 unidades habitacionais nessas áreas, mas nenhuma em grau muito alto de acidente. Segundo a administração, todas as áreas são monitoradas.

PISCINÃO

Os problemas contratuais da obra do Piscinão do Paço, iniciada em 2013 e, no momento, paralisada, estão sendo levantados por auditoria da Prefeitura. Após o levantamento, Morando afirmou que será possível estimar um prazo para entrega dos trabalhos. “Nos próximos 15 dias teremos concluído o diagnóstico do contrato e poderemos assegurar quando a obra será concluída.”



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

S.Bernardo lança programa para minimizar os impactos da chuva

Vanessa de Oliveira
Do Diário do Grande ABC

07/02/2017 | 07:00


 A Prefeitura de São Bernardo lançou ontem a Operação Pé D’água – Prevenção e Mobilização, voltada a ações de prevenção dos impactos da chuva. A medida é uma continuidade da Operação Guarda-Chuva (iniciativa lançada pela gestão anterior, em 2010), com algumas poucas mudanças.

Entre as novidades está o prolongamento das atividades, que antes eram encerradas em 15 de abril. O novo programa se estenderá até o quarto mês do ano.

Houve acréscimo também no número de secretarias envolvidas no projeto gerenciado pela Defesa Civil. “Eram oito, agora são 13 (Pastas). A Defesa Civil vai capacitar mais agentes de outras secretarias; tem uma ação muito urgente, a Defesa Civil terá um número maior de apoiadores”, falou o prefeito Orlando Morando (PSDB). Atualmente, o órgão municipal conta com 24 agentes, “Já estamos treinando e esperamos passar de 100 pessoas (voluntárias)”, completou o chefe do Executivo.

Outro ponto que ganhou reforço foi a frota de veículos da Defesa Civil – passando de quatro para cinco viaturas –, e a quantidade de pluviômetros, que de 41 pertencentes à iniciativa privada (que compartilham as informações), aumentou para 51, com a aquisição de mais dez pela Prefeitura. Morando não soube informar o custo despendido na compra dos equipamentos. “Temos ponto em que o solo não é favorável e pode ser levado a deslizamento, mas todos são monitorados e daí a eficiência de ter mais pluviômetros, porque a partir de um volume depositado naquela região você passa a ter um risco maior”, disse o prefeito.

A cidade possui atualmente 162 setores de risco e 1.654 unidades habitacionais nessas áreas, mas nenhuma em grau muito alto de acidente. Segundo a administração, todas as áreas são monitoradas.

PISCINÃO

Os problemas contratuais da obra do Piscinão do Paço, iniciada em 2013 e, no momento, paralisada, estão sendo levantados por auditoria da Prefeitura. Após o levantamento, Morando afirmou que será possível estimar um prazo para entrega dos trabalhos. “Nos próximos 15 dias teremos concluído o diagnóstico do contrato e poderemos assegurar quando a obra será concluída.”

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;