Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 28 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Tradição de malhar Judas sobrevive no Grande ABC

Nario Barbosa/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Comerciante produz boneco há 49 anos em Santo André; ex-presidente Lula foi o alvo da brincadeira


Yara Ferraz
Do Diário do Grande ABC

27/03/2016 | 07:00


 Conforme a tradição, Sábado de Aleluia é dia de malhar Judas, o apóstolo que traiu Jesus Cristo. No Grande ABC a brincadeira é mantida pelo comerciante Vanderlei Vicente Ferreira, 61 anos, que confecciona bonecos para a data há 49 anos. A ação de destruir o personagem foi realizada ao meio-dia no Centro de Santo André.

Neste ano, o boneco foi caracterizado como o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), envolvido em acusações de lavagem de dinheiro e falsidade ideológica. No ano passado, o boneco representou o traficante brasileiro preso e executado na Indonésia, Rodrigo Gularte.

De forma criativa, o boneco Judas também chamou a atenção para problemas do bairro, como a faixa de pedestres apagada entre a Travessa Lourenço Rondinelli e a Rua Coronel Fernando Prestes. “Não fico um ano sem fazer o boneco. Antigamente, havia muitas residências e crianças aqui no bairro, então era uma festa. Hoje a tradição está um pouco esquecida. A maioria dos jovens não conhece”, destacou Ferreira.

Entre os participantes da brincadeira estava o representante comercial Vandriano Sá Cavadinha, 34. Ele recorda que esperava ansiosamente pela data quando criança. Neste ano, o morador trouxe o filho Heitor, 2, para conhecer a tradição. “Antigamente, nós amarrávamos o Judas em uma corda e saíamos com ele pelo bairro todo. As crianças saiam atrás batendo no boneco. Dessa vez eu resolvi apresentar para o meu filho”, afirmou.

O aposentado Roberto Siqueira, 70, sempre soube da ação do amigo Ferreira, porém essa foi a primeira vez que ele resolveu ir até o local na data. “Gostei muito. A gente sabe que é uma brincadeira, mas é legal ver que ele conseguiu chamar a atenção para a atualidade.”

Embora a brincadeira esteja cada ano mais esvaziada, Ferreira destaca que não pretende parar com a ação. Só resta escolher o personagem para o próximo ano.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Tradição de malhar Judas sobrevive no Grande ABC

Comerciante produz boneco há 49 anos em Santo André; ex-presidente Lula foi o alvo da brincadeira

Yara Ferraz
Do Diário do Grande ABC

27/03/2016 | 07:00


 Conforme a tradição, Sábado de Aleluia é dia de malhar Judas, o apóstolo que traiu Jesus Cristo. No Grande ABC a brincadeira é mantida pelo comerciante Vanderlei Vicente Ferreira, 61 anos, que confecciona bonecos para a data há 49 anos. A ação de destruir o personagem foi realizada ao meio-dia no Centro de Santo André.

Neste ano, o boneco foi caracterizado como o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), envolvido em acusações de lavagem de dinheiro e falsidade ideológica. No ano passado, o boneco representou o traficante brasileiro preso e executado na Indonésia, Rodrigo Gularte.

De forma criativa, o boneco Judas também chamou a atenção para problemas do bairro, como a faixa de pedestres apagada entre a Travessa Lourenço Rondinelli e a Rua Coronel Fernando Prestes. “Não fico um ano sem fazer o boneco. Antigamente, havia muitas residências e crianças aqui no bairro, então era uma festa. Hoje a tradição está um pouco esquecida. A maioria dos jovens não conhece”, destacou Ferreira.

Entre os participantes da brincadeira estava o representante comercial Vandriano Sá Cavadinha, 34. Ele recorda que esperava ansiosamente pela data quando criança. Neste ano, o morador trouxe o filho Heitor, 2, para conhecer a tradição. “Antigamente, nós amarrávamos o Judas em uma corda e saíamos com ele pelo bairro todo. As crianças saiam atrás batendo no boneco. Dessa vez eu resolvi apresentar para o meu filho”, afirmou.

O aposentado Roberto Siqueira, 70, sempre soube da ação do amigo Ferreira, porém essa foi a primeira vez que ele resolveu ir até o local na data. “Gostei muito. A gente sabe que é uma brincadeira, mas é legal ver que ele conseguiu chamar a atenção para a atualidade.”

Embora a brincadeira esteja cada ano mais esvaziada, Ferreira destaca que não pretende parar com a ação. Só resta escolher o personagem para o próximo ano.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;