Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 6 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Imposição contratual barra Camilo e Wanderley no Mineirão

Se atuassem, atletas do Sto.André teriam de retornar à Raposa; clube detém direitos federativos de ambos


Dérek Bittencourt
Do Diário do Grande ABC

30/10/2009 | 07:00


De titulares do Santo André para enfrentar o Cruzeiro a mero espectadores a poucas horas da partida. Foi esse o drama vivido pelo meia Camilo e pelo atacante Wanderley, anteontem, em Belo Horizonte.

Os jogadores viajaram com a certeza de que estariam em campo contra a Raposa, clube que detém os direitos federativos de ambos e os emprestou ao Ramalhão. No entanto, reunião entre dirigentes das equipes ainda na tarde de quarta-feira, definiu que os jogadores não poderiam atuar.

"Havia entendimento entre Santo André e Cruzeiro de que eles poderiam jogar. Mas existe cláusula de que a participação deles resultaria em rescisão de contrato. Se fosse multa, nós pagaríamos. Então, achamos melhor que ficassem de fora de um jogo do que de todos", explicou ontem o presidente da Gestão Empresarial, Ronan Maria Pinto. Foi o próprio dirigente quem tentou negociar com o presidente cruzeirense, Zezé Perrella, a liberação de Camilo e Wanderley. "Fizemos todas as tentativas, mas eles não aceitaram."

A decisão pegou os atletas e até mesmo o técnico Sérgio Soares de surpresa, já que ele contava com os jogadores para repetir a escalação da vitória contra o Palmeiras, na penúltima rodada, para surpreender os mineiros. Deu no que deu: 3 a 2 para o Cruzeiro.

"O Sérgio contava com eles, mas tinha conhecimento de que poderia não dar certo. Dissemos a ele que podia levar os jogadores, tentamos convencer o Cruzeiro, mas não teve jeito", disse Ronan. "Eles não me querem aqui e também não querem que eu jogue contra", desabafou Wanderley, desapontado por não poder entrar em campo.

Santo André e Cruzeiro têm parceria há cerca de três meses e a vinda de Camilo e Wanderley foi fruto disso - assim como a negociação de quatro jogadores da base andreense para o clube de Belo Horizonte. Mas nem mesmo a boa relação foi capaz de um final feliz para o Ramalhão no confronto de anteontem. Por outro lado, segundo o dirigente, há possibilidade de que os jogadores estendam o vínculo de empréstimo ao Ramalhão até a metade do ano que vem.

"Não está nada certo ainda, mas existe a possibilidade de que continuem até o Campeonato Paulista", concluiu Ronan, dando pistas de que são dois dos jogadores que o técnico Sérgio Soares pretende contar na próxima temporada.

Começa venda de ingressos para domingo

Começaram as vendas de ingressos para a partida entre Santo André e Grêmio, às 18h30 de domingo, no Estádio Bruno Daniel, pelo Brasileiro. Os locais destinados a andreenses e gremistas serão os mesmos utilizados na partida contra o Palmeiras. Portanto, cadeiras cobertas e parte da arquibancada ficarão à disposição dos fãs do Ramalhão, e a outra parte da arquibancada, aos gremistas.

Os preços das entradas foram reduzidos em relação ao duelo com o Alviverde: R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia), para todos os setores.

Os postos de venda para andreenses permanecem os mesmos: bilheterias do Bruno Daniel (também para gremistas), lojas Gol de Placa, A Esportiva e Sportcenter, sede da torcida Fúria Andreense, no EC Santo André (Jaçatuba) e Bar do Mazinho.

TRABALHO - Hoje, os jogadores que foram a Belo Horizonte voltam aos treinos. "É hora de pensar em outro adversário porque precisamos muito desta vitória em casa", disse o técnico Sérgio Soares.

IRREGULAR - O terceiro gol do Cruzeiro, como reclamou o goleiro Neneca com o árbitro Célio Amorim após a partida, foi de fato irregular. Antes de a bola chegar em Jonathan, que cruzou para Thiago Ribeiro marcar aos 46 minutos do segundo tempo, o meia Bernardo recebeu em posição de impedimento.

"Depois você vai ver no teipe que estava impedido sim", esbravejou o camisa um ao árbitro após a partida.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Imposição contratual barra Camilo e Wanderley no Mineirão

Se atuassem, atletas do Sto.André teriam de retornar à Raposa; clube detém direitos federativos de ambos

Dérek Bittencourt
Do Diário do Grande ABC

30/10/2009 | 07:00


De titulares do Santo André para enfrentar o Cruzeiro a mero espectadores a poucas horas da partida. Foi esse o drama vivido pelo meia Camilo e pelo atacante Wanderley, anteontem, em Belo Horizonte.

Os jogadores viajaram com a certeza de que estariam em campo contra a Raposa, clube que detém os direitos federativos de ambos e os emprestou ao Ramalhão. No entanto, reunião entre dirigentes das equipes ainda na tarde de quarta-feira, definiu que os jogadores não poderiam atuar.

"Havia entendimento entre Santo André e Cruzeiro de que eles poderiam jogar. Mas existe cláusula de que a participação deles resultaria em rescisão de contrato. Se fosse multa, nós pagaríamos. Então, achamos melhor que ficassem de fora de um jogo do que de todos", explicou ontem o presidente da Gestão Empresarial, Ronan Maria Pinto. Foi o próprio dirigente quem tentou negociar com o presidente cruzeirense, Zezé Perrella, a liberação de Camilo e Wanderley. "Fizemos todas as tentativas, mas eles não aceitaram."

A decisão pegou os atletas e até mesmo o técnico Sérgio Soares de surpresa, já que ele contava com os jogadores para repetir a escalação da vitória contra o Palmeiras, na penúltima rodada, para surpreender os mineiros. Deu no que deu: 3 a 2 para o Cruzeiro.

"O Sérgio contava com eles, mas tinha conhecimento de que poderia não dar certo. Dissemos a ele que podia levar os jogadores, tentamos convencer o Cruzeiro, mas não teve jeito", disse Ronan. "Eles não me querem aqui e também não querem que eu jogue contra", desabafou Wanderley, desapontado por não poder entrar em campo.

Santo André e Cruzeiro têm parceria há cerca de três meses e a vinda de Camilo e Wanderley foi fruto disso - assim como a negociação de quatro jogadores da base andreense para o clube de Belo Horizonte. Mas nem mesmo a boa relação foi capaz de um final feliz para o Ramalhão no confronto de anteontem. Por outro lado, segundo o dirigente, há possibilidade de que os jogadores estendam o vínculo de empréstimo ao Ramalhão até a metade do ano que vem.

"Não está nada certo ainda, mas existe a possibilidade de que continuem até o Campeonato Paulista", concluiu Ronan, dando pistas de que são dois dos jogadores que o técnico Sérgio Soares pretende contar na próxima temporada.

Começa venda de ingressos para domingo

Começaram as vendas de ingressos para a partida entre Santo André e Grêmio, às 18h30 de domingo, no Estádio Bruno Daniel, pelo Brasileiro. Os locais destinados a andreenses e gremistas serão os mesmos utilizados na partida contra o Palmeiras. Portanto, cadeiras cobertas e parte da arquibancada ficarão à disposição dos fãs do Ramalhão, e a outra parte da arquibancada, aos gremistas.

Os preços das entradas foram reduzidos em relação ao duelo com o Alviverde: R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia), para todos os setores.

Os postos de venda para andreenses permanecem os mesmos: bilheterias do Bruno Daniel (também para gremistas), lojas Gol de Placa, A Esportiva e Sportcenter, sede da torcida Fúria Andreense, no EC Santo André (Jaçatuba) e Bar do Mazinho.

TRABALHO - Hoje, os jogadores que foram a Belo Horizonte voltam aos treinos. "É hora de pensar em outro adversário porque precisamos muito desta vitória em casa", disse o técnico Sérgio Soares.

IRREGULAR - O terceiro gol do Cruzeiro, como reclamou o goleiro Neneca com o árbitro Célio Amorim após a partida, foi de fato irregular. Antes de a bola chegar em Jonathan, que cruzou para Thiago Ribeiro marcar aos 46 minutos do segundo tempo, o meia Bernardo recebeu em posição de impedimento.

"Depois você vai ver no teipe que estava impedido sim", esbravejou o camisa um ao árbitro após a partida.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;