Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 5 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Timão vai à inédita
final da Libertadores

Empate por 1 a 1 com Santos no Estádio do Pacaembu
mantém vivo o sonho do título histórico para o clube


Anderson Fattori
Do Diário do Grande ABC

21/06/2012 | 01:26


Hoje é um dia histórico para o torcedor corintiano. Pela primeira vez na história, o time de Parque São Jorge acordou na final da Copa Libertadores. A vaga foi obtida com muito sofrimento, como seus fãs mais gostam e veio após dramático empate por 1 a 1 com o Santos, nesta quarta-feira à noite, no Pacaembu.

Como havia vencido o primeiro jogo na Vila Belmiro por 1 a 0, time da Capital ficou com o lugar na decisão e agora espera o vencedor do duelo entre Boca Juniors e Universidade do Chile, que jogam hoje.

O início do jogo deixou evidente o desenho tático das equipes. As tão faladas linhas de quatro armadas pelo técnico Tite conseguiam neutralizar as investidas do Santos, sobretudo de Neymar, que não tinha espaço nem para dominar a bola. Assim, o jogo se arrastava com o Santos tentando arrumar brecha, enquanto que o Corinthians dava aula tática.

O torcedor corintiano sentiu o primeiro frio na barriga aos 11 minutos, quando Neymar perdeu a bola e o Timão armou contra-ataque, mas Willian finalizou fraco. Oito minutos depois, Alex cobrou falta para bela defesa de Rafael.

Aos poucos, a habilidade e o toque de bola santista afrouxaram a marcação corintiana. Na primeira escapada, aos 30, Neymar cruzou e Juan chutou, a bola desviou e Cássio defendeu. Na segunda chance o Santos não desperdiçou. Cinco minutos depois, também pela direita, Alan Kardec cruzou rasteiro, Borges desviou, a bola pegou na trave e Neymar mandou para a rede.

A vantagem do Santos no primeiro tempo foi por água abaixo logo no início do segundo. Aos três minutos, Alex cobrou falta na área, Danilo apareceu livre, teve tempo de dominar e deixar tudo igual para explodir o Pacaembu.

O empate corintiano devolveu ao jogo o aspecto do início, com o Santos tentando encontrar espaço e o Timão contra-atacando. Desta vez, porém, a eficiente defesa dos mandantes parecia ainda mais sólida, somada ao cansaço dos santistas, que não conseguiam mais imprimir velocidade.

Os instantes finais foram dramáticos. O Peixe foi com tudo ao ataque, já que apenas um gol podia manter vivo o sonho do tetra e o Corinthians controlou o jogo para festa na arquibancada e no gramado.

 

Danilo ofusca Neymar e confirma fama de decisivo

Ele quase não aparece para os torcedores, mas outra vez foi decisivo na classificação do Corinthians para a final da Libertadores, nesta quarta-feira à noite, contra o Santos. O meia Danilo esbanjou calma para dominar a bola e marcar o gol de empate, logo no início do segundo tempo do clássico brasileiro disputado no Pacaembu.

Foi o sexto gol de Danilo na temporada e todos foram decisivos para o Corinthians. No mesmo Pacaembu, marcou contra o São Paulo e contra a Catanduvense, ambos pelo Paulistão. Mas foi na Libertadores que Danilo brilhou. Ele balançou a rede nos triunfos diante do Nacional (Paragua), Cruz Azul (México) e Deportivo Táchira (Venezuela)

No lance, o jogador corintiano foi inteligente. O atacante Liedson, que entrou no intervalo, puxou a marcação no centro da área e Danilo se posicionou estrategicamente na segunda trave, onde não tinha absolutamente ninguém. Foi de lá que ele marcou o gol histórico.

Além de balançar a rede, o meia corintiano teve participação fundamental no esquema armado pelo técnico Tite. Ele recompunha com perfeição o meio campo, formando a segunda linha de quatro na defesa corintiana e impedia os avançou de Arouca ou Adriano, que pouco produziram.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Timão vai à inédita
final da Libertadores

Empate por 1 a 1 com Santos no Estádio do Pacaembu
mantém vivo o sonho do título histórico para o clube

Anderson Fattori
Do Diário do Grande ABC

21/06/2012 | 01:26


Hoje é um dia histórico para o torcedor corintiano. Pela primeira vez na história, o time de Parque São Jorge acordou na final da Copa Libertadores. A vaga foi obtida com muito sofrimento, como seus fãs mais gostam e veio após dramático empate por 1 a 1 com o Santos, nesta quarta-feira à noite, no Pacaembu.

Como havia vencido o primeiro jogo na Vila Belmiro por 1 a 0, time da Capital ficou com o lugar na decisão e agora espera o vencedor do duelo entre Boca Juniors e Universidade do Chile, que jogam hoje.

O início do jogo deixou evidente o desenho tático das equipes. As tão faladas linhas de quatro armadas pelo técnico Tite conseguiam neutralizar as investidas do Santos, sobretudo de Neymar, que não tinha espaço nem para dominar a bola. Assim, o jogo se arrastava com o Santos tentando arrumar brecha, enquanto que o Corinthians dava aula tática.

O torcedor corintiano sentiu o primeiro frio na barriga aos 11 minutos, quando Neymar perdeu a bola e o Timão armou contra-ataque, mas Willian finalizou fraco. Oito minutos depois, Alex cobrou falta para bela defesa de Rafael.

Aos poucos, a habilidade e o toque de bola santista afrouxaram a marcação corintiana. Na primeira escapada, aos 30, Neymar cruzou e Juan chutou, a bola desviou e Cássio defendeu. Na segunda chance o Santos não desperdiçou. Cinco minutos depois, também pela direita, Alan Kardec cruzou rasteiro, Borges desviou, a bola pegou na trave e Neymar mandou para a rede.

A vantagem do Santos no primeiro tempo foi por água abaixo logo no início do segundo. Aos três minutos, Alex cobrou falta na área, Danilo apareceu livre, teve tempo de dominar e deixar tudo igual para explodir o Pacaembu.

O empate corintiano devolveu ao jogo o aspecto do início, com o Santos tentando encontrar espaço e o Timão contra-atacando. Desta vez, porém, a eficiente defesa dos mandantes parecia ainda mais sólida, somada ao cansaço dos santistas, que não conseguiam mais imprimir velocidade.

Os instantes finais foram dramáticos. O Peixe foi com tudo ao ataque, já que apenas um gol podia manter vivo o sonho do tetra e o Corinthians controlou o jogo para festa na arquibancada e no gramado.

 

Danilo ofusca Neymar e confirma fama de decisivo

Ele quase não aparece para os torcedores, mas outra vez foi decisivo na classificação do Corinthians para a final da Libertadores, nesta quarta-feira à noite, contra o Santos. O meia Danilo esbanjou calma para dominar a bola e marcar o gol de empate, logo no início do segundo tempo do clássico brasileiro disputado no Pacaembu.

Foi o sexto gol de Danilo na temporada e todos foram decisivos para o Corinthians. No mesmo Pacaembu, marcou contra o São Paulo e contra a Catanduvense, ambos pelo Paulistão. Mas foi na Libertadores que Danilo brilhou. Ele balançou a rede nos triunfos diante do Nacional (Paragua), Cruz Azul (México) e Deportivo Táchira (Venezuela)

No lance, o jogador corintiano foi inteligente. O atacante Liedson, que entrou no intervalo, puxou a marcação no centro da área e Danilo se posicionou estrategicamente na segunda trave, onde não tinha absolutamente ninguém. Foi de lá que ele marcou o gol histórico.

Além de balançar a rede, o meia corintiano teve participação fundamental no esquema armado pelo técnico Tite. Ele recompunha com perfeição o meio campo, formando a segunda linha de quatro na defesa corintiana e impedia os avançou de Arouca ou Adriano, que pouco produziram.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;