Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 3 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Prefeitura vai aguardar decisão sobre AD


Anderson Fattori

30/10/2010 | 08:01


Apesar do agravo de instrumento obtido pela AD São Caetano que suspendeu o processo de reintegração de posse da sua sede social, a chance da agremiação permanecer no local é remota. O município cumpre determinação do TCE (Tribunal de Contas do Estado) que exige a transferência da administração dos 16 clubes da cidade - que tiveram suas áreas cedidas em comodato - para o poder público.

O caso é bem semelhante ao ocorrido recentemente com o Fundação, o primeiro da lista a ser reintegrado ao patrimônio municipal.

Além da AD, outros clubes tradicionais como Abrev Barcelona, Águias de Nova Gerty e Santa Maria se enquadram na determinação e passarão pelo mesmo processo judicial.

Confiante na decisão judicial, a Prefeitura informou que não pretende recorrer para tentar derrubar o agravo de instrumento. A tática a ser utilizada pelo município é aguardar a posição do juiz sobre o processo paralelo movido pela agremiação, que tenta destituir do cargo o diretor do 4º Cartório, Sergio Pardal, e o juiz que deferiu o pedido de reintegração de posse.

O clube argumenta que Sergio Pardal é funcionário público- ocupa o cargo de presidente do Comad (Conselho Municipal Antidrogas) - e tentou por duas vezes se eleger como vereador.
O desembargador Fernando Antonio Maia da Cunha foi quem aceitou o pedido da AD São Caetano e solicitou a suspensão da decisão tomada em primeira instância com parecer favorável à Prefeitura.

Antes de saber da suspensão do processo, a Secretaria de Esportes já havia feito, em conjunto com funcionários da Justiça, inventário nas dependências da sede social do clube para separar o que era de propriedade da AD São Caetano. A reintegração da posse estava marcada para ontem pela manhã, mas por conta da decisão judicial acabou suspensa.

Não há prazo estipulado para que o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo se posicione a respeito da argumentação do clube.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Prefeitura vai aguardar decisão sobre AD

Anderson Fattori

30/10/2010 | 08:01


Apesar do agravo de instrumento obtido pela AD São Caetano que suspendeu o processo de reintegração de posse da sua sede social, a chance da agremiação permanecer no local é remota. O município cumpre determinação do TCE (Tribunal de Contas do Estado) que exige a transferência da administração dos 16 clubes da cidade - que tiveram suas áreas cedidas em comodato - para o poder público.

O caso é bem semelhante ao ocorrido recentemente com o Fundação, o primeiro da lista a ser reintegrado ao patrimônio municipal.

Além da AD, outros clubes tradicionais como Abrev Barcelona, Águias de Nova Gerty e Santa Maria se enquadram na determinação e passarão pelo mesmo processo judicial.

Confiante na decisão judicial, a Prefeitura informou que não pretende recorrer para tentar derrubar o agravo de instrumento. A tática a ser utilizada pelo município é aguardar a posição do juiz sobre o processo paralelo movido pela agremiação, que tenta destituir do cargo o diretor do 4º Cartório, Sergio Pardal, e o juiz que deferiu o pedido de reintegração de posse.

O clube argumenta que Sergio Pardal é funcionário público- ocupa o cargo de presidente do Comad (Conselho Municipal Antidrogas) - e tentou por duas vezes se eleger como vereador.
O desembargador Fernando Antonio Maia da Cunha foi quem aceitou o pedido da AD São Caetano e solicitou a suspensão da decisão tomada em primeira instância com parecer favorável à Prefeitura.

Antes de saber da suspensão do processo, a Secretaria de Esportes já havia feito, em conjunto com funcionários da Justiça, inventário nas dependências da sede social do clube para separar o que era de propriedade da AD São Caetano. A reintegração da posse estava marcada para ontem pela manhã, mas por conta da decisão judicial acabou suspensa.

Não há prazo estipulado para que o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo se posicione a respeito da argumentação do clube.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;