Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 18 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Talytha Pugliesi acusa Régis Trovão e Paulo Vilhena de assédio

Reprodução/Twitter Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


21/08/2021 | 10:11


A atriz Talytha Pugliesi acusou o diretor Régis Trovão e o ator Paulo Vilhena de assédio. Na última sexta-feira, dia 20, Talytha fez uma série de vídeos em seus Stories do Instagram para falar sobre os episódios que teriam ocorrido durante os ensaios e apresentações da peça Toda Saudade do Mundo, de 2019. No início de 2020, a modelo já tinha feito uma declaração sobre o caso, embora não tenha citado nomes na época.

- Eu me arrependi muito de ter não falado o nome do assediador no post que eu fiz, porque o meu marido, minha irmã e meu assessor falaram que eu não tinha que falar. E aí, recentemente, eu fiquei muito p**a. Como assim vocês me convenceram? Eu tinha que ter feito o que eu queria. E claramente eu ainda não superei, eu falei desse assunto essa semana. É algo que me faz muito mal, eu me senti muito violentada. Então eu quero deixar aqui esse relato.

Talytha, então, decidiu falar os nomes pela primeira vez.

- Então, vou dizer que quem me assediou foi o diretor da peça, o Régis Trovão. Ele também me assediou moralmente, antes do assédio sexual, o que eu só lembrei depois. E também o ator principal da peça, que me assediou moralmente.

Em janeiro do último ano, o relato da artista mencionava que ela teria sido assediada por um homem o qual tinha confiança e carinho.

[...] Até que ele pegou a minha cabeça, como quem põe a mão atrás da cabeça da pessoa, e traz em sua direção para beijar. Eu empurrei e falei algo do tipo (não me lembro exatamente dos diálogos depois disso): Tá doido, ou Não faz isso, ou Não viaja. Ele tentou pela segunda vez e eu não faço ideia do que falei. Só me lembro de sentir vergonha. Ele pediu desculpas e continuamos conversando. Eu não sei dizer até agora por que eu não levantei e fui embora? Por que eu não gritei, não agredi? Até que mais uma vez, do nada, ele fez o mesmo movimento e me beijou pela terceira vez. Todas as vezes eu o empurrei para longe.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;