Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 7 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

A indústria está indo a nocaute

O Brasil está com problema sério nas indústrias


Dgabc

30/06/2012 | 00:00


Artigo

O Brasil está com problema sério nas indústrias. Fruto das concorrências internacionais com a China e vários países asiáticos e da falta de política incentivadora à produção e o crédito, continuamos perdendo espaço. Outro fato que nos chama a atenção é o alto custo do crédito para o consumidor final. Os agentes financeiros, cartões de crédito e cheques especiais chegam a cobrar até 10% ao mês para linhas de crédito de produtos de bens duráveis ou não e compras a prazo.

Com essas altas taxas de juros não há incentivo para que o consumidor compre e pague, e de outro lado a indústria, que deveria estar cada vez produzindo mais, fica assustada e limitada. O empresário não investe o que poderia. O crédito deveria ser incentivado e com certeza a produção e a indústria girariam com maior vigor.

Veja o bom exemplo da construção civil. Nos últimos anos a sua produção, consumo e o seu PIB foram superiores aos do País. O crédito farto, os prazos de financiamentos habitacionais mais longos e a redução das taxas de juros - beirando a Selic ou menos - para a moradia popular mantiveram a indústria da construção civil girando a todo o vapor e incentivando o comprador a ter a sua casa própria. Esse exemplo óbvio da habitação poderia ser adaptado também às indústrias de bens básicos e por que não às demais?

Quando a indústria vai mal há desconforto geral no mercado com o receio do desemprego e os outros segmentos tiram o pé do acelerador. Veja o exemplo do trabalhador da construção civil, que nunca foi tão bem remunerado, mas não há desemprego. Experimente fazer reforma em sua casa e veja a dificuldade para arrumar um profissional, e quando arruma é muito caro. Por quê? Estão felizes, com emprego sobrando.

É preciso comprar produtos nacionais competitivos e incentivar o emprego aqui, não na China ou nos países asiáticos.Continuo achando que estamos no caminho certo, embora com lentidão e medidas paliativas ou pontuais. Medidas de redução ou isenção de IPI e IOF são excelentes, mas o problema não é só tributário. Mexer nos juros é mais incentivador para a indústria girar, pois incentiva o consumidor e o emprego. Emprego é tudo para uma família.

Com a baixa da Selic e dos juros da casa própria, temos que mexer com urgência no vespeiro dos juros altos para o consumidor. Com certeza todos ganhariam: o povo e o País.

Milton Bigucci é presidente da construtora MBigucci e da Acigabc, integrante do Conselho Consultivo Nato do Secovi-SP e da Academia de Letras da Grande São Paulo.

Palavra do leitor

Rio+20
Milhares de pessoas, milhões de reais, tudo para tentar chegar a um consenso de que a Terra é o nosso verdadeiro lar. Sabemos da possibilidade de que existam outros planetas iguais à Terra, mas mesmo que venhamos a confirmar, não conseguiríamos chegar lá, tampouco que tipo de seres iríamos encontrar. A Terra está aí para desfrutarmos de tudo de bom que nos dá. Por que continuar envenenando seus rios e seus mares? Por que somos incapazes de reciclar nosso lixo? Por que continuamos jogar lixo nas ruas, praças e terrenos baldios? Não seria tão difícil se cada pessoa fizesse sua parte. Um pouquinho de cada um seria o bastante para que tivéssemos vida longa neste planeta maravilhoso! Então por que maltratá-lo, destruindo suas florestas, que dão os frutos; a sombra, que conserva a umidade do solo, preserva as nascentes dos rios, controla o ciclo das chuvas e permite que haja vida?
Antônio Carlos Guertas
São Bernardo

Paraguai
Não vou tomar partido ou dizer se o que foi feito está certo ou errado, mais quero parabenizar os deputados e senadores do Paraguai. Quem diria que um país que é conhecido pela economia de bugigangas fosse capaz de dar um impeachment ao presidente Lugo! Se no Brasil os senadores e deputados não fossem reféns da máquina federal e tivessem vergonha na cara já teríamos mais dois presidentes fora do planalto, um pelo Mensalão, outra pelos casos de corrupção envolvendo seus ministros e sua ingerência com o caso. Quem sabe agora o povo brasileiro não acorda e para de acreditar no bolsa esmola, na redução fictícia dos juros e no conto da carochinha.
Ailton Gomes
Ribeirão Pires

Eike Batista
Eike Batista deve estar se perguntando o que está acontecendo com sua lendária boa sorte: o filho mais velho criando-lhe problemas recorrentes com seus brinquedos de luxo, os carros importados. E agora as ações de suas empresas, as meninas de seus olhos e bolsos, despencando em queda vertiginosa. Se ele fosse um antigo gaulês chamado Eikebatistix vivendo numa aldeia de nome Bananix, iria pensar que os céus estão caindo sobre a cabeça!
Mara Montezuma Assaf
Capital

Fichas sujas
No Brasil levamos tudo na base da gozação. O TSE já havia aprovado que os fichas sujas - na verdade imundas de tanta falcatrua - não poderiam participar da eleição deste ano, mas o lobby deles é tão forte e tão corrupto que até os ministros capitularam e mudaram aquilo que era o correto e certo e o peixinho do Lula, o Dias Toffoli, deu o voto de minerva a favor disso, ou seja, como existem muitos fichas imundas do PT, ele não consegue separar o joio do trigo. Está intrínseco no seu DNA favorecer os cumpanheiros sempre! Se fosse um País sério nem precisaria ministro palpitar e sim seguir a ficha, que pelo próprio nome já diz tudo.
Asdrubal Gobenati
Rio de Janeiro

Vergonha - 1
Agora é oficial: Argentina, Uruguai e infelizmente o Brasil dão golpe incorporando a Venezuela, do déspota Hugo Chavez, no Mercosul, sem o voto do Paraguai, que foi suspenso do bloco antidemocraticamente. Isso se configura como mais um sórdido vexame do governo brasileiro comandado pelo PT. E uma excrescência diplomática que humilha e expõe 190 milhões de brasileiros ao ridículo! O PT não serve à Nação, somente aos seus camaradas, porque forma o bloco dos picaretas.
Paulo Panossian
São Carlos (SP)

Vergonha - 2
Que nome devemos dar à atitude dos países Argentina, Brasil e Uruguai que, se aproveitando de situação momentânea, criada por eles próprios, aprovaram a entrada da Venezuela no Mercosul, sabedores que são da posição contrária do Paraguai?
Luiz Nusbaum
Capital



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

A indústria está indo a nocaute

O Brasil está com problema sério nas indústrias

Dgabc

30/06/2012 | 00:00


Artigo

O Brasil está com problema sério nas indústrias. Fruto das concorrências internacionais com a China e vários países asiáticos e da falta de política incentivadora à produção e o crédito, continuamos perdendo espaço. Outro fato que nos chama a atenção é o alto custo do crédito para o consumidor final. Os agentes financeiros, cartões de crédito e cheques especiais chegam a cobrar até 10% ao mês para linhas de crédito de produtos de bens duráveis ou não e compras a prazo.

Com essas altas taxas de juros não há incentivo para que o consumidor compre e pague, e de outro lado a indústria, que deveria estar cada vez produzindo mais, fica assustada e limitada. O empresário não investe o que poderia. O crédito deveria ser incentivado e com certeza a produção e a indústria girariam com maior vigor.

Veja o bom exemplo da construção civil. Nos últimos anos a sua produção, consumo e o seu PIB foram superiores aos do País. O crédito farto, os prazos de financiamentos habitacionais mais longos e a redução das taxas de juros - beirando a Selic ou menos - para a moradia popular mantiveram a indústria da construção civil girando a todo o vapor e incentivando o comprador a ter a sua casa própria. Esse exemplo óbvio da habitação poderia ser adaptado também às indústrias de bens básicos e por que não às demais?

Quando a indústria vai mal há desconforto geral no mercado com o receio do desemprego e os outros segmentos tiram o pé do acelerador. Veja o exemplo do trabalhador da construção civil, que nunca foi tão bem remunerado, mas não há desemprego. Experimente fazer reforma em sua casa e veja a dificuldade para arrumar um profissional, e quando arruma é muito caro. Por quê? Estão felizes, com emprego sobrando.

É preciso comprar produtos nacionais competitivos e incentivar o emprego aqui, não na China ou nos países asiáticos.Continuo achando que estamos no caminho certo, embora com lentidão e medidas paliativas ou pontuais. Medidas de redução ou isenção de IPI e IOF são excelentes, mas o problema não é só tributário. Mexer nos juros é mais incentivador para a indústria girar, pois incentiva o consumidor e o emprego. Emprego é tudo para uma família.

Com a baixa da Selic e dos juros da casa própria, temos que mexer com urgência no vespeiro dos juros altos para o consumidor. Com certeza todos ganhariam: o povo e o País.

Milton Bigucci é presidente da construtora MBigucci e da Acigabc, integrante do Conselho Consultivo Nato do Secovi-SP e da Academia de Letras da Grande São Paulo.

Palavra do leitor

Rio+20
Milhares de pessoas, milhões de reais, tudo para tentar chegar a um consenso de que a Terra é o nosso verdadeiro lar. Sabemos da possibilidade de que existam outros planetas iguais à Terra, mas mesmo que venhamos a confirmar, não conseguiríamos chegar lá, tampouco que tipo de seres iríamos encontrar. A Terra está aí para desfrutarmos de tudo de bom que nos dá. Por que continuar envenenando seus rios e seus mares? Por que somos incapazes de reciclar nosso lixo? Por que continuamos jogar lixo nas ruas, praças e terrenos baldios? Não seria tão difícil se cada pessoa fizesse sua parte. Um pouquinho de cada um seria o bastante para que tivéssemos vida longa neste planeta maravilhoso! Então por que maltratá-lo, destruindo suas florestas, que dão os frutos; a sombra, que conserva a umidade do solo, preserva as nascentes dos rios, controla o ciclo das chuvas e permite que haja vida?
Antônio Carlos Guertas
São Bernardo

Paraguai
Não vou tomar partido ou dizer se o que foi feito está certo ou errado, mais quero parabenizar os deputados e senadores do Paraguai. Quem diria que um país que é conhecido pela economia de bugigangas fosse capaz de dar um impeachment ao presidente Lugo! Se no Brasil os senadores e deputados não fossem reféns da máquina federal e tivessem vergonha na cara já teríamos mais dois presidentes fora do planalto, um pelo Mensalão, outra pelos casos de corrupção envolvendo seus ministros e sua ingerência com o caso. Quem sabe agora o povo brasileiro não acorda e para de acreditar no bolsa esmola, na redução fictícia dos juros e no conto da carochinha.
Ailton Gomes
Ribeirão Pires

Eike Batista
Eike Batista deve estar se perguntando o que está acontecendo com sua lendária boa sorte: o filho mais velho criando-lhe problemas recorrentes com seus brinquedos de luxo, os carros importados. E agora as ações de suas empresas, as meninas de seus olhos e bolsos, despencando em queda vertiginosa. Se ele fosse um antigo gaulês chamado Eikebatistix vivendo numa aldeia de nome Bananix, iria pensar que os céus estão caindo sobre a cabeça!
Mara Montezuma Assaf
Capital

Fichas sujas
No Brasil levamos tudo na base da gozação. O TSE já havia aprovado que os fichas sujas - na verdade imundas de tanta falcatrua - não poderiam participar da eleição deste ano, mas o lobby deles é tão forte e tão corrupto que até os ministros capitularam e mudaram aquilo que era o correto e certo e o peixinho do Lula, o Dias Toffoli, deu o voto de minerva a favor disso, ou seja, como existem muitos fichas imundas do PT, ele não consegue separar o joio do trigo. Está intrínseco no seu DNA favorecer os cumpanheiros sempre! Se fosse um País sério nem precisaria ministro palpitar e sim seguir a ficha, que pelo próprio nome já diz tudo.
Asdrubal Gobenati
Rio de Janeiro

Vergonha - 1
Agora é oficial: Argentina, Uruguai e infelizmente o Brasil dão golpe incorporando a Venezuela, do déspota Hugo Chavez, no Mercosul, sem o voto do Paraguai, que foi suspenso do bloco antidemocraticamente. Isso se configura como mais um sórdido vexame do governo brasileiro comandado pelo PT. E uma excrescência diplomática que humilha e expõe 190 milhões de brasileiros ao ridículo! O PT não serve à Nação, somente aos seus camaradas, porque forma o bloco dos picaretas.
Paulo Panossian
São Carlos (SP)

Vergonha - 2
Que nome devemos dar à atitude dos países Argentina, Brasil e Uruguai que, se aproveitando de situação momentânea, criada por eles próprios, aprovaram a entrada da Venezuela no Mercosul, sabedores que são da posição contrária do Paraguai?
Luiz Nusbaum
Capital

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;