Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 11 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Família de Gianlucca protesta em frente à Justiça Federal em Sto.André

Divulgação/Arquivo pessoal  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Do Diário OnLine

20/10/2017 | 18:04


Familiares e amigos do pequeno Gianlucca Trevellin, 5 anos, protestaram em frente à Justiça Federal em Santo André na tarde desta sexta-feira contra o Ministério da Saúde para garantir o custeio de tratamento para o menino, que sofre com a rara doença AME (Atrofia Muscular Espinhal).

O ato, que reuniu cerca de 50 pessoas, teve início por volta das 15h e terminou às 17h. O grupo ostentava faixas em apoio a Gianlucca e distribuía panfletos aos motoristas e pedestres que passavam pela Avenida Pereira Barreto.

“Temos a decisão, mas o Ministério da Saúde não compra o medicamento para meu filho. Queremos que o juiz realize o sequestro de verbas públicas ou ordene a prisão do responsável pela compra do remédio. Há sete meses estão ''''passando a mão'''' na cabeça do Ministério, enquanto a doença do meu filho não espera”, afirmou o pai de Gianlucca, o comerciante Renato Trevellin, 40 anos.

Para forçar que a União cumpra a decisão judicial, o advogado da família entrou com pedido de sequestro de verbas públicas, onde a Justiça determina que o valor seja repassado, e depois sejam prestadas contas que comprovem o uso do dinheiro. Em média, cada dose do medicamento custa R$ 410 mil, sendo que no primeiro ano de tratamento o paciente precisa tomar seis doses.

O protesto de hoje é o segundo do tipo no local . O primeiro aconteceu no dia 29 de setembro. A família já organiza uma terceira manifestação para daqui a três sextas-feiras e espera reunir mais pessoas na ocasião. “Vamos dar um tempo para ver se a decisão é cumprida. Caso não seja, a ideia é fazer caminhada saindo da Rua Oliveira Lima até a Justiça Federal”, adiantou o pai do garoto.

A doença, degenerativa e de origem genética, afeta a musculatura do corpo, que para de funcionar com o passar do tempo. Já sem sorrir, e expressando emoções pelo piscar dos olhos, o pequeno andreense está apresentando piora. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Família de Gianlucca protesta em frente à Justiça Federal em Sto.André

Do Diário OnLine

20/10/2017 | 18:04


Familiares e amigos do pequeno Gianlucca Trevellin, 5 anos, protestaram em frente à Justiça Federal em Santo André na tarde desta sexta-feira contra o Ministério da Saúde para garantir o custeio de tratamento para o menino, que sofre com a rara doença AME (Atrofia Muscular Espinhal).

O ato, que reuniu cerca de 50 pessoas, teve início por volta das 15h e terminou às 17h. O grupo ostentava faixas em apoio a Gianlucca e distribuía panfletos aos motoristas e pedestres que passavam pela Avenida Pereira Barreto.

“Temos a decisão, mas o Ministério da Saúde não compra o medicamento para meu filho. Queremos que o juiz realize o sequestro de verbas públicas ou ordene a prisão do responsável pela compra do remédio. Há sete meses estão ''''passando a mão'''' na cabeça do Ministério, enquanto a doença do meu filho não espera”, afirmou o pai de Gianlucca, o comerciante Renato Trevellin, 40 anos.

Para forçar que a União cumpra a decisão judicial, o advogado da família entrou com pedido de sequestro de verbas públicas, onde a Justiça determina que o valor seja repassado, e depois sejam prestadas contas que comprovem o uso do dinheiro. Em média, cada dose do medicamento custa R$ 410 mil, sendo que no primeiro ano de tratamento o paciente precisa tomar seis doses.

O protesto de hoje é o segundo do tipo no local . O primeiro aconteceu no dia 29 de setembro. A família já organiza uma terceira manifestação para daqui a três sextas-feiras e espera reunir mais pessoas na ocasião. “Vamos dar um tempo para ver se a decisão é cumprida. Caso não seja, a ideia é fazer caminhada saindo da Rua Oliveira Lima até a Justiça Federal”, adiantou o pai do garoto.

A doença, degenerativa e de origem genética, afeta a musculatura do corpo, que para de funcionar com o passar do tempo. Já sem sorrir, e expressando emoções pelo piscar dos olhos, o pequeno andreense está apresentando piora. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;