Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 25 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Bolsonaro: Este STF, assim como o Parlamento e Executivo, aos poucos vai mudando

Marcelo Camargo/Agência Brasil  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


18/08/2021 | 19:15


O presidente Jair Bolsonaro (Sem partido) afirmou há pouco nesta quarta-feira (18), em cerimônia de comemoração do centenário da igreja Assembleia de Deus no Pará, que o Supremo Tribunal Federal (STF) vai "mudar aos poucos". Nesta quarta-feira, os presidentes do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), e da Corte, Luiz Fux, fizeram pedido de trégua entre os Poderes da República após reunião para discutir a crise institucional deflagrada pelos constantes ataques do chefe do Executivo a membros do Judiciário. O parlamentar disse que "a democracia não pode ser questionada o tempo todo".

Em discurso diante de fiéis da congregação do pastor Silas Malafaia, que acompanhou a comitiva presidencial ao longo do dia, Bolsonaro atacou novamente o STF. "Temos tido um bom retorno do parlamento. Sabíamos que no outro Poder ao lado, o Supremo Tribunal Federal, uma ou outra pessoa iria nos atrapalhar, mas acreditamos que este Supremo, assim como o parlamento, assim como o Executivo, aos poucos vai mudando", disse pouco antes de lembrar que o próximo presidente poderá indicar mais dois nomes logo no primeiro semestre do mandato.

Bolsonaro celebrou ainda a escolha do atual advogado-geral da União, André Mendonça, para substituir o agora ex-ministro Marco Aurélio Mello, aposentado em julho ao completar 75 anos. Garantiu que o jurista rezará nas primeiras sessões semanais. O ingresso de Mendonça no STF, no entanto, ainda depende de aprovação em sabatina no Senado, adiada por Pacheco, que pretendia colocar a matéria em pauta ainda em agosto, mas recuou após insistência do presidente em acirrar os ânimos entre as instituições.

"Uma missão eu dei para ele, e ele se comprometeu a cumpri-la. Toda primeira sessão da semana no STF, ele pedirá a palavra e iniciará os trabalhos após uma oração", disse antes de ser interrompido por aplausos dos presentes. "Pode ter certeza, Deus se fará mais presente naquela instituição. Onde entra a palavra de Deus entra harmonia, entra paz, entra prosperidade", completou.

''Fé e crença''

O presidente apelou para a "fé e a crença" da população brasileira para que o País supere o desemprego e a inflação. Bolsonaro reconheceu a existência de problemas, como a escalada de preços, crise hídrica e desemprego, mas afirmou que será possível superá-los.

"Com muitos problemas que temos enfrentado e que não estavam previstos: a pandemia e seus reflexos, uma crise de falta d''água como não visto na história do Brasil. O povo tem sofrido com isso: tem inflação, tem desemprego. Tem dias, realmente, angustiantes. O que posso dizer aos senhores? Com fé, com vontade, com crença, nós podemos superar esses obstáculos", afirmou.

O desemprego atualmente está em nível recorde: 14,6% no trimestre encerrado em maio. São 14,8 milhões de brasileiros em busca de uma vaga no mercado de trabalho. Já a inflação acumula alta de 8,99% em 12 meses, com peso maior para produtos básicos da alimentação, como arroz, feijão e carne. A conta de luz, por causa do acionamento das térmicas em função da crise hídrica, está com taxa extra, o que também vem pressionando o orçamento das famílias.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;