Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 7 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Rússia diz que Sputnik V é 83% eficaz contra variante Delta

Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


11/08/2021 | 15:11


O imunizante russo Sputnik V é cerca de 83% eficaz contra a variante Delta, identificada pela primeira vez na Índia, o que representa uma porcentagem menor do que o anteriormente previsto, anunciou o ministro da Saúde russo, Mikhail Murashko. Apesar da queda de eficácia, segundo a agência TASS, as autoridades culparam a nova cepa pelo aumento dos casos de coronavírus em junho e julho e a relutância da população em se imunizar, apesar de as vacinas estarem amplamente disponíveis.

Os desenvolvedores da vacina disseram, em junho, que a Sputnik V era cerca de 90% eficaz contra a variante delta. Mesmo com menor porcentagem de eficácia, o diretor do Instituto Gamaleya, Alexander Gintsburg, destacou, em entrevista ao jornal Izvestia, que o imunizante é seguro e eficaz contra todas as cepas do coronavírus. O Gamaleya foi responsável pelo desenvolvimento da vacina.

Na esteira da vacinação mundial, a agência de medicamentos da Espanha autorizou, nesta quarta-feira, 11, a primeira rodada de ensaios clínicos em humanos da vacina contra a covid-19 desenvolvida pela empresa espanhola Hipra.

O ensaio clínico vai comparar o imunizante espanhol com outras que já estão no mercado. Ou seja, os voluntários receberão uma ou outra, sem saber qual, e será avaliado, como objetivo principal, a segurança e tolerância da vacina. Como objetivos secundários, serão analisadas a imunogenicidade (capacidade de ativar o sistema imunitário) e a eficácia.

Diante da alta de casos impulsionados pela variante delta, o líder supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei, disse hoje que a pandemia da covid-19 é o "problema número um" do país e deve ser contida com urgência.

O Ministério da Saúde do Irã relatou, nesta quarta-feira, 42.541 novos casos nas últimas 24 horas, elevando o total de infecções para 4.281.217. Ainda foram registrados 536 óbitos, totalizando 95.647 mortes, desde o início da pandemia.

Na campanha de vacinação, o presidente da França, Emmanuel Macron, defendeu a gestão "democrática" do seu governo perante a crise de saúde após as críticas de manifestantes antivacina no país.

Em todo o país, centros de vacinação e testes em instalações externas e farmácias foram marcadas com suásticas e com escritos como "colaborador", "nazista" e "genocídio" nas últimas semanas. Os mesmos slogans também foram vistos em algumas manifestações contra os passes de saúde da doença.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;